Marcelo Oliveira se mostra otimista com semana decisiva do Flu no Brasileirão e Sul-Americana
Foto: Mailson Santana/Fluminense

Neste domingo (25), o Fluminense perdeu para o Internacional por 2 a 0 e está a apenas dois pontos da zona de rebaixamento. O técnico Marcelo Oliveira concedeu entrevista após a partida e também sobre o jogo de volta da semifinal da Sul-Americana, na próxima quarta-feira (28).

"Nós já estimulamos, falamos com os jogadores no vestiário depois da oração final. Parece que nossa sina é essa, de deixar para os últimos jogos. Serão jogos de características decisivas, na Sul-Americana e no Brasileiro. É possível, temos capacidade. Precisamos ser mais efetivos, ter um poder de definição maior. Esses jogos serão no Maracanã, serão diante da nossa torcida. Sabemos que o torcedor vai apoiar muito e podem ter certeza que o time vai brigar muito nessas duas competições" disse o treinador.

Marcelo Oliveira analisou a partida e afirmou que novamente a equipe não foi efetiva nas jogadas de ataque. Segundo ele, o primeiro gol de Nico López mudou a partida.

"Tentamos nos organizar hoje para atacar também, tanto é que colocamos atacantes. Tínhamos que marcar bem e esperar que o Internacional, sob uma certa pressão em razão dos últimos resultados, se abrisse um pouco mais. Ensaiamos alguns contra-ataques, tivemos algumas oportunidades de chute, mas não fomos efetivos mais uma vez e isso tem sido um problema. O jogo estava até certo ponto controlado. O Inter até teve um bom volume. Mas no segundo tempo nos descuidamos em uma situação que treinamos, tínhamos que ter uma marcação de rebote e o Nico López foi muito feliz no chute. E ali começou a mudar o jogo".

Além do goleiro Júlio César e do zagueiro Gum, Sornoza também não atuou nesta partida. O equatoriano estava no banco de reservas e não entrou em nenhum momento. Marcelo Oliveira explicou porque optou por não escalá-lo.

"É pelo rendimento dos últimos jogos. Ele vinha participando, mas pouco das jogadas ofensivas, e sem servir muito os colegas. Achávamos que nesse jogo precisava competir mais. Nesse quesito tanto o Junior Dutra quanto o Fernando, que entrou no meio, lutaram mais pela bola. Foi uma opção minha. Vamos aguardar agora o próximo jogo. Ele é um grande jogador, de seleção. Mas tem finalizado pouco, servido pouco. Precisa melhorar e talvez um descanso possa fazer bem para ele".

Este foi o sétimo jogo seguido sem vitória e sem marcar nenhum gol. Apesar da fase ruim, o treinador fez questão de enaltecer o comprometimento dos jogadores.

"Não podemos cobrar dos jogadores um esforço ainda maior do que eles estão dando. A impressão que me dá é de jogadores muito comprometidos com o trabalho. Tenho repetido isso diversas vezes. São jogadores que doam muito em campo. Só posso entender de uma forma: Deus está preparando algo maior agora. Vamos passar a respirar esse jogo contra do Atlético-PR e criar um clima, uma mobilização para o jogo de domingo contra o América-MG, onde jogaremos por dois resultados".

Sobre a queda de rendimento da equipe, Marcelo Oliveira afirmou que não tem explicação absoluta para essa irregularidade e que a equipe tem criado situações de gol.

"A classificação diante do Nacional foi normal, pois jogamos muito bem. Até aquele momento fazíamos bons jogos. Então era possível buscar o resultado lá e tivemos uma produção muito boa. Nós lutamos muito, em alguns jogos criamos grandes situações. No jogo contra o Vasco, foi quase que ataque contra defesa e eles conseguiram o gol. Jogo do Sport, da mesma forma. E os outros jogos, fomos irregulares, às vezes por desatenção, outras por infelicidade".

O treinador também evitou falar sobre os problemas que a equipe vem passando, como a perda de Pedro, para não soar como desculpa. E afirmou que permanece confiante em bons resultados nesta semana decisiva.

"Nós poupamos o time todo em um jogo lá atrás contra o Santos porque tínhamos a volta contra o Nacional e também porque teríamos vários jogos para fazer a pontuação necessária. Deu certo, porque apesar de ter perdido para o Santos, conseguimos a reação sobre o Nacional e passamos de fase. O que está errado é agora, essa sequência de jogos. Alguns criando muito e não fazendo gol, outros jogos sem criar tanto e sendo exaltado só o esforço e a dedicação. Mas a confiança continua a mesma" finalizou.

Antes do duelo contra o América-MG pela última rodada do Campeonato Brasileiro, o Tricolor recebe o Atlético-PR, no Maracanã, para o jogo de volta da semifinal da Sul-Americana. A partida será às 21h45

VAVEL Logo