Atlético-PR e Junior Barranquilla apenas empatam e deixam final da Sul-Americana em aberto
Pablo comemorando o gol que abriu o placar (Foto: Divulgação/AtléticoParanaense.com)

Atlético-PR e Junior Barranquilla apenas empatam e deixam final da Sul-Americana em aberto

Junior chegou até a perder um pênalti; Atlético agora conta com a força da torcida para ser campeão

vv_cunha
Victor Cunha
Junior de BarranquillaVieira, Piedrahita, Gómez, Pérez e Gutiérrez; Cantillo, Narváez (Hernández, min. 83), Sanchéz (Moreno, min. 70) e Barreira; González (Luis Ruiz, min. 66) e Díaz
Atlético-PRSantos, Jonathan, Thiago Heleno, Léo Pereira e Renan Lodi; Lucho González (Marcinho, min. 86), Bruno Guimarães, Nikão, Raphael Veiga Wellington, min. 77) e Marcelo Cirino; Pablo (Rony, min. 60)
Placar0-1, min. 51, Pablo.-1, min. 53, González
INCIDENCIASJogo válido pela final da Copa Sul-Americana, sendo disputado no estádio Metropolitano

Na ida da grande decisão da Copa Sul-Americana, o Junior Barranquilla recebeu o Atlético Parananense no Estádio Metropolitano. Com os gols de Pablo para o Atlético e González para o Junior,  o jogo disputado na última quarta-feira (05) fica com sua definição para a volta, uma semana depois. Lembrando que na final o gol qualificado não é regra de desempate e existe prorrogação em caso de igualdade no placar.

O primeiro tempo não foi muito movimentado, o que já era esperado, se considerando que é uma final onde os nervos estavam à flor da pele. Houveram poucas chances, um Junior Barranquilla pressionando e jogando muito mais no campo de ataque e, apenas no fim do primeiro tempo, um Atlético Parananense jogando com um pouco mais de calma.

Logo aos 2 minutos o Junior chegou em uma de suas duas chances. Díaz recebeu uma bola dentro da área e bateu colocado, usando a parte interna do pé, mas acertou exatamente onde Santos estava, que defendeu a bola sem problemas.

Já aos 28, Díaz mostrava o porquê de ser um do destaques do time colombiano. O atacante recebeu uma bola alta dentro da área e, sem deixar ela cair, girou o corpo já batendo na bola, mas ela subiu e passou perto do travessão, sendo essa a segunda e última chance de gol do primeiro tempo.

O principal destaque da primeira etapa foi a conexão entre Díaz e Barreira. Ambos os jogadores se entenderam muito dentr dos gramados e criaram inúmeras situações que poderiam ser perigosas. A zaga do Furacão sofreu com ambos os jogadores pelos 45 minutos iniciais.

O segundo tempo foi completamente diferente do primeiro. Houve emoção, chances de gol e é claro, os gols. Logo com 1 minuto, Raphael Veiga bateu um escanteio e Léo Pereira cabeceou pra fora, mostrando a que vinha o Atlético. E aos 5 o resultado apareceu. Em um contra ataque, Nikão foi lançado, ganhou no jogo de corpo e lançou Pablo, que bateu na saída do goleiro Vieira para abrir o placar.

Mas apenas 2 minutos depois o Junior Barranquilla empatou. Em uma confusão na área, Sanchéz conseguiu cabecear a bola para o meio e González bateu forte para vencer Santos e empatar a partida.

Aos 25, o Junior desperdiçaria a chance de vencer. Jonathan cortou uma bola embaixo das traves, após um cabeceio perigoso. Na sequência do lance, Rony tocou Gutiérrez e fez pênalti. Pérez, 2 minutos depois, bateu a penalidade com muita força e acertou o travessão, que tremeu com a pancada e assim o Junior manteve o jogo empatado.

Nos acréscimos da partida houveram 2 chances. Aos 46 Ruiz foi lançado na área e tentou tocar pro meio. O atacante estava cara a cara com Santos, que ficou com a bola. E, aos 48 minutos, Barreira bateu de longe, no canto de baixo das traves de Santo, que voou para buscar a bola e salvar o Furacão, deixando a definição para a próxima quarta-feira (12), às 21h45, na Arena da Baixada, que já tem todos os seus ingressos vendidos para a partida. O campeão desta edição será inédito, já que Atlético e Junior Barranquilla nunca foram campeões internacionais na história.

VAVEL Logo

Atlético PR Notícias

há 2 dias
há 3 dias
há 3 dias
há 3 dias
há 8 dias
há 10 dias
há 10 dias
há 14 dias
há 14 dias
há 16 dias