Retrospectiva VAVEL: Muita crise e pouco futebol no Coritiba
(Reprodução / Coritiba)

Retrospectiva VAVEL: Muita crise e pouco futebol no Coritiba

Clube terminou o ano sem títulos e não conseguiu o acesso para voltar a elite do futebol brasileiro

sandroquintanilha
Sandro Quintanilha

Crise, fracassos e decepção. Assim pode ser resumida a temporada do Coritiba em 2018. Com apenas 35% de aproveitamento, o clube terminou o ano sem conquistar nenhum título e passou longe de garantir sua vaga para retornar à elite do futebol brasileiro. 

Em 57 jogos disputados, o Alviverde teve um balanço geral de 20 vitórias, 18 empates e 19 derrotas. A péssima campanha em campo levou o Coxa  a uma intensa briga política. Revoltada, a torcida protestou, chegando organizar campanhas para publico zero nos dias de jogos.

O melhor momento da temporada

Mesmo sem conseguir apresentar um grande futebol, o Coritiba chegou à grande final do Campeonato Paranaense. O time garantiu seu lugar na finalíssima ao vencer a Taça Dionísio Filho, o primeiro turno do estadual, derrotando o Rio Branco. O Verdão ficou com o vice, após perder para o Atlético-PR, no agregado.

Na Copa do Brasil, o Coxa avançou nas duas primeiras rodadas. Empatou, em 1 a 1, fora de casa, com o Parnayba, do Piauí, e depois venceu o Uberlândia, por 2 a 0, Estádio Municipal Parque do Sabiá, em Minas Gerais. A campanha parou no Goiás, após perder no Serra Dourada, por 1 a 0, e ceder o empate, que terminou 1 a 1, no Couto Pereira. 

O pior momento da temporada

O começo da tragédia veio com o sofrimento no Brasileirão. O Coxa era o clube com a maior receita entre os 20 da Segundona e, por isso, tinha a obrigação de brigar pelo topo da classificação. Porém, com apenas 13 vitórias em 38 partidas encerrou o ano com uma discreta aparição na disputa. 

A consequência do desempenho nos gramados atingiu a diretoria. O presidente Samir Namur teve seu cargo ameaçado após o grupo de oposição convocar uma Assembléia Geral para tentar o impeachment do cartola. 

Fora do clube, os torcedores também perderam a paciência com o atual diretor. Um evento de protesto foi organizado no Facebook, chamado de “Renúncia do atual presidente Samir Namur do Coritiba”, teve quase mil pessoas confirmadas e mais de dois mil interessados. A renda que vinha das arquibancadas foi diretamente afetada, registrando uma média de público de apenas 5.762 pessoas.

Reprodução / Facebook
Reprodução / Facebook

O Destaque

Em seu quarto ano vestindo a camisa alviverde, o goleiro Wilson foi mais uma vez uma peça fundamental no elenco. Ao todo, foram 51 partidas, contando todas as competições, tendo sofrido 48 gols.

Ele foi uma importante referencia durante os momentos conturbados do clube. Em outubro, o arqueiro acabou sofrendo uma lesão no joelho e não conseguiu voltar nessa temporada.

A Decepção

Contratado para resolver os problemas no ataque, Alecsandro não rendeu o que se esperava nesse ano. O jogador fez apenas seis gols em 31 partidas disputadas.

O atleta de 37 anos chegou a ser afastado do grupo principal e passou a treinar separado. Vindo do Palmeiras, sua permanência para 2018 ficou por conta de uma cláusula de renovação obrigatória, com os vencimentos bancados pelo Coxa.

Os Treinadores

Quatro comandantes passaram pelo Alviverde nessa temporada. Quem começou o ano foi Sandro Forner, que acabou sendo demitido após a derrota na largada da Série B. Quem assumiu foi Eduardo Baptista, que saiu no início do returno, depois de empatar com o lanterna Sampaio Côrrea.

A solução encontrada foi efetivar o auxiliar Tcheco para cargo de treinador. Porém, devido aos resultados ruins, ele acabou sendo substituído por Argel Fucks, que guiou o Coxa durante o fim do Brasileirão e segue no comando da equipe.

Reprodução / Coritiba
Reprodução / Coritiba

O 2019

A expectativa para o Coritiba é  começar o ano de 2019 bem diferente do que terminou 2018. Para isso, Argel Fucks quer ter a  oportunidade de começar do zero e fazer o trabalho do seu jeito .As mudanças devem vir de imediato, sobretudo em relação ao elenco. 

Tentando fazer as pazes com a torcida, a diretoria  prometeu realizar uma série de descontos e benefícios para  sócio. Além disso, anunciou que não haverá reajustes nos atuais planos. Será criado duas novas categorias, voltadas principalmente, para torcedores de baixa renda.

VAVEL Logo