Em jogo com arbitragem polêmica, Aparecidense elimina Ponte Preta na Copa do Brasil
Foto: Reprodução/Twitter Aparecidense

Em jogo com arbitragem polêmica, Aparecidense elimina Ponte Preta na Copa do Brasil

Partida ficou paralisada por 16 minutos até arbitragem anular gol ilegal da Macaca

carlos-borges
Carlos Borges

Aparecidense-GO e Ponte Preta se enfrentaram nesta terça-feira (12) pela primeira fase da Copa do Brasil, no Estádio Anníbal Batista de Toledo. Com arbitragem polêmica e na reestreia do técnico Jorginho, o Camaleão derrotou a Macaca por 1 a 0 e se classificou para a segunda fase do torneio.

O primeiro tempo foi de poucas chances reais de gol pelo lado da Ponte, mas o time goiano foi mais eficiente nas finalizações. Aos cinco minutos, Moisés chutou na entrada da área. A bola quicou no campo e enganou Ivan. O goleiro defendeu com o peito e a zaga afastou o rebote. Aos 27, após roubar bola no campo de ataque, Uederson chutou de fora da área e a bola desviou na defesa da Macaca, e foi no ângulo de Ivan. O arqueiro ainda tocou na bola, mas não conseguiu evitar o gol do Camaleão.

Na segunda etapa, a Ponte chegou assustando. Logo aos dois minutos, Thalles chutou na entrada da área e Pedrão fez boa defesa. No rebote, a defesa da Aparecidense afastou o perigo. Aos 27, a Ponte assustou de novo os donos da casa. Matheus Vargas cruzou e Thalles desvia de cabeça, mas Pedrão, com as pontas dos dedos, mandou para escanteio e salvou mais uma vez o time goiano.

O Aparecidense teve chance de ampliar o placar. Washington tenta jogada individual e a bola sobra para Aleílson, que se antecipa da defesa e chuta de bico. Ivan saiu bem e evitou o segundo gol dos goianos. Após um minuto, em contra-ataque, a Ponte Preta marcou, mas o gol foi invalidado após grande polêmica da arbitragem. Renan Fonseca cabeceou após lançamento e Pedrão espalmou para o meio da área. No rebote, sem marcação, Thalles acerta a trave e a bola sobra para Hugo Cabral que, em posição ilegal, empatou a partida.

Após o gol da Macaca, os jogadores e a comissão técnica da Aparecidense ficaram revoltados e pressionaram a arbitragem, pois o empate dava a classificação para a Ponte Preta, por estar melhor ranqueada na classificação da CBF e tinha a vantagem do empate. Após a partida ficar paralisada por 16 minutos e a polícia entrar em campo para proteger a arbitragem, Léo Simão Holanda, árbitro da partida, anulou o gol da Ponte. O jogo teve continuidade mesmo após a polêmica.

A Aparecidense segurou o placar e venceu por 1 a 0. A equipe de Goiás aguarda o vencedor do duelo entre Bragantino-PA e ASA-AL, que jogarão na próxima quarta-feira (13), às 16h30.

VAVEL Logo