Análise: Vasco apresenta futebol consistente com time alternativo, mas peca nas finalizações
(Foto: Rafael Ribeiro/Vasco da Gama)

Análise: Vasco apresenta futebol consistente com time alternativo, mas peca nas finalizações

Gigante da Colina perdeu invencibilidade no 14º jogo na temporada, diante da Cabofriense 

yannrodrigues
Yann Rodrigues

Acabou a invencibilidade do Vasco em 2019. Depois de 13 jogos, com 10 vitórias e três empates, o Cruzmaltino perdeu para Cabofriense em Cariacica pela quarta rodada da Taça Rio. Apesar do bom futebol apresentado com o time misto, a equipe de Valentim não transformou as chances em gol. 

Domínio vascaíno do início ao fim. Essa é a melhor frase para resumir a partida em Cariacica. O Tricolor Praiano chegou duas vezes e marcou dois gols, foi preciso e cirúrgico, enquanto o Gigante brincou de perder chances ou parou na sensacional atuação do goleiro George

Antes de levar o gol de Rincón, aos 11 minutos, Marrony tinha mandado uma bola no travessão, de cabeça. Os mandantes responderam com o gol em uma bola alçada na área, com o atacante entrando totalmente livre, apontando falha do setor defensivo que jogou pela primeira vez junto na temporada. 

A pressão do Vasco aumentou. Claudio Winck bateu falta no travessão, Ribamar e Marrony perderam gols sozinhos após bolas levantadas na área e o camisa 9 ainda teve um gol anulado, corretamente, pela arbitragem.

No intervalo, Alberto Valentim ousou e voltou com Thiago Galhardo na vaga de Raul. Logo aos 13 minutos colocou Tiago Reis e Yago Pikachu nas vagas de Claudio Winck e Ribamar. Lançou o time ao ataque em busca da virada. Deu certo, mas não 100%.

A pressão aumentou, a criação melhorou, mas os jogadores não conseguiram concluir as jogadas em gol. Rossi teve a chance mais clara após um passe genial de Thiago Galhardo, mas esbarrou em duas excepcionais defesas de George. 

Oswaldo Henríquez e Marrony tentaram de cabeça, mas mandaram para fora. Rossi, em seu duelo particular com o goleiro adversário, também parou nas mãos do camisa 1 em cabeçada dentro da pequena área. A bola não entrou, por mérito do goleiro da equipe de Cabo Frio e por falta de precisão do ataque vascaíno. 

Na reta final e após o duelo, Alberto Valentim foi ofendido pela torcida presente e ouviu gritos de “burro” pelas substituições feitas, que foram muito pedidas pela torcida presente no estádio Kleber Andrade. Os torcedores ainda gritaram o nome de Valdir Bigode, ex-auxiliar do Vasco e hoje técnico da Cabofriense.

VAVEL Logo