Crise no São Paulo: Jean se manifesta contra Mancini, que promete resposta
Foto: Divulgação / São Paulo

Crise no São Paulo: Jean se manifesta contra Mancini, que promete resposta

Goleiro do tricolor se manifestou  por meio das redes sociais ; o treinador disse à VAVEL Brasil que se manifestará após a partida 

ma_azevedo
Marcella Azevedo

O São Paulo vem enfrentando uma grande crise. Não bastou a queda na pré-libertadores, troca de Jardine por Cuca (que ainda nem “chegou”) e o risco de ficar fora da fase mata-mata do Paulista, o time Soberano entrou em outra polêmica essa semana.

Os envolvidos da vez são: Vagner Mancini (Coordenador técnico) e o goleiro Jean. Tudo aconteceu na segunda-feira, quando no momento que o treino ainda estava aberto para imprensa, foi visto o goleiro saindo do treino mais cedo após cobrança de Mancini. Jean acredita que não é culpado pela má fase, já que não está jogando. Após essa atitude, a diretoria do São Paulo resolveu afastar o goleiro e ele iria treinar separado de seus companheiros. 

O goleiro ficou quieto na terça-feira, mas hoje (dia que o São Paulo tem duelo importante no Paulista), Jean usou seu Instagram para falar sobre o ocorrido: 

Diante das coisas que li, vi e que chegaram até mim via imprensa nos últimos dias, gostaria de esclarecer e dizer a verdade sobre alguns pontos referente ao ocorrido na última segunda-feira. Antes de mais nada, reconheço o meu erro ao ter deixado o campo de treinamento após o ocorrido e me desculpar publicamente com a instituição São Paulo Futebol Clube, meus companheiros de time e, principalmente, os torcedores são-paulinos. Respeito muito este clube e ajo de forma profissional desde o dia em que cheguei aqui.

Na segunda-feira, em conversa com todo o grupo de jogadores, o técnico interino Vágner Mancini, se dirigiu a todo o grupo e apontou que eu, mesmo sem ter atuado, era um dos grandes responsáveis pela derrota do São Paulo no clássico contra o Palmeiras, no último fim de semana. Em nenhum momento fui cobrado em quesitos técnicos e táticos, já que nem em campo eu estava. Segundo ele, o motivo era que eu, ao término do jogo, fui tomar banho. Quando o jogo terminou, eu e cerca de sete ou oito jogadores fomos para os chuveiros (alguns inclusive que haviam participado do jogo), fato absolutamente rotineiro. Neste meio tempo, alguns atletas chamaram a reza final no vestiário. Saí do chuveiro prontamente e fui para o “fechamento”, como chamamos. Cheguei, inclusive, antes de outros jogadores para participar da roda e da última conversa. Mas, na segunda, no CT, fui cobrado de forma individual por ter ido tomar banho ao chegar no vestiário, o que não fez nenhum sentido para mim.

É bom explicar que desde a sua chegada ao São Paulo, Mancini não me trata da mesma forma que todo o restante do grupo de jogadores, motivado por uma rivalidade nos clubes em que trabalhamos anteriormente. Quando ele foi colocado na posição de técnico, mesmo tendo prometido que não assumiria esta posição, eu já sabia que eu começaria a ser renegado e dificilmente poderia entrar em campo, fazer meu papel e ajudar o São Paulo da melhor forma possível. Ainda assim continuei trabalhando e dando meu melhor nos treinos, como é minha obrigação.

Infelizmente, quando fui cobrado e apontado como culpado por uma derrota mesmo sem ter entrado em campo, não consegui me conter e aceitar ser execrado desta forma. Não considerei justo e me retirei. Como eu disse anteriormente, sei que cometi um erro e me desculpo por isso. Novamente, respeito a instituição, os torcedores e meus companheiros de equipe. Entendo completamente, também, a briga por posição na equipe titular da equipe. Respeito muito o goleiro Tiago Volpi, hoje sendo escalado. Além de um grande goleiro e profissional, Volpi hoje é um amigo no dia-a-dia de clube. Logo, o que aconteceu em nada teve a ver com o fato de eu estar reivindicando uma vaga na equipe, como também li nos últimos dias.

Para finalizar, estou e estarei sempre à disposição do São Paulo Futebol Clube para cumprir o meu dever. Sou feliz neste clube e sempre pretendi brilhar aqui, fazer uma história cumprindo meu contrato, só entendi que era necessário esclarecer uma injustiça que sofri. Desejo sorte aos meus companheiros na partida de hoje em busca da classificação no Campeonato Paulista. Estarei no Morumbi torcendo por eles e pelo São Paulo - Declarou o goleiro.

Entretanto, não é a primeira vez que Jean causa problemas. No ano passado, ele é Sidão se desentenderam nas redes sociais e foi necessário uma reunião para selar a paz entre ambos. O contrato de Jean vai até dezembro de 2022.

A reportagem da VAVEL Brasil tentou contato com o técnico Vagner Mancini, mas o mesmo preferiu se pronunciar apenas após o jogo contra São Caetano, pela última rodada do Paulistão que acontece hoje às 21h30.

VAVEL Logo