Governo do Rio, Flamengo e Fluminense oficializam acordo pelo Maracanã em cerimônia
(Foto: Marcelo Cortes/ Flamengo)

Governo do Rio, Flamengo e Fluminense oficializam acordo pelo Maracanã em cerimônia

No Palácio Guanabara, Rubro-Negro assinou o contrato que dará o direito de assumir o Maracanã por, pelo menos, seis meses; mesmo com pendências, Tricolor será parceiro do rival na administração

rafalisboa
Rafael Lisboa

Na manhã dessa sexta-feira (12), no Salão Nobre do Palácio Guanabara, Flamengo e o Governo do Estado do Rio de Janeiro assinaram o termo que dará o comando do Maracanã ao Rubro-Negro a partir do dia 19, quando a construtora Odebrecht deixará o estádio.

O Fluminense, por não possuir as certidões negativas de débito, será interveniente, e irá gerir junto com o clube da Gávea. Para o governador, Wilson Witzel (PSC), a responsabilidade nesse período será inteira do Flamengo.

"O contrato é com o Flamengo. Se ele vai decidir com o Fluminense as decisões, isso é problema deles. Vou cobrar é o Flamengo", afirmou.

No acordo, os clubes dividirão os custos do estádio, além do pagamento mensal ao Estado (no total, cerca de R$ 2,16 milhões). Além do estádio, Fla e Flu poderão usar o Maracanãzinho, e explorar o Tour Maracanã. Alvo de ataques do presidente do Vasco, Alexandre Campello, a concessão foi defendida:

"Lamentável, poderia ter participado, não participou porque não quis. Quando ainda estava no tribunal, a gente chamava isso de "news sperniandi" (sic) ou seja, o sujeito não participou, teve reflexos negativos e agora está esperneando. Não é um papel que se espera de um dirigente de clube. O gestor é o Flamengo. Mas eles (Vasco e Botafogo) têm oportunidade de participar, de trocar ideias... Só que ele não participou do processo de permissão apresentando uma proposta de gestão. Aí depois ficou reclamando, uma postura, do meu ponto de vista, absolutamente lamentável", criticou Witzel.

Os presidentes do Flamengo, Rodolfo Landim, e do Fluminense, Pedro Abad, falaram logo após Witzel. O mandatário rubro-negro agradeceu ao governador pelo interesse quando conversaram sobre o assunto e explicou como será a divisão dos lucros:

"O Maracanã vai ser operado de forma mais justa pelos clubes. O mandante ficará com a bilheteria, a alimentação e a bebida. Fico muito feliz da solução que foi dada ao Maracanã. O futebol é um espetáculo. Tenho certeza que teremos todos satisfeitos. Eu agradeço a participação dos clubes, do presidente da Federação, dos Secretários e da comissão que tocou todo este projeto. Essa foi uma conversa que começou quando estive com o governador logo após ele ter sido eleito no ano passado. Eu esperava que fosse apenas por cinco minutos, mas quando ele começou a ouvir o que estava falando, passou uma hora e meia me dando atenção, procurando detalhes. A preocupação que ele teve com esse tipo de problema que rapidamente foi perfeita. Ele teve sensibilidade de enxergar, e as coisas foram se desenrolando ao longo do tempo. Podem ter certeza que o Flamengo fará o melhor pelo Maracanã".

Depois de Landim, o presidente tricolor afirmou que Vasco e Botafogo poderão usar o estádio, que terá valor menor do que quando o estádio era administrado pela antiga concessionária, o que era alvo de reclamação constante dos clubes:

"Momento histórico onde duas instituições centenárias, de rivalidade, em 36 horas conseguiram modelar uma parceria sem nenhum tipo de interesse acima daquilo que é razoável. Nosso parceiro Flamengo sempre atuou em conjunto, sem nenhum tipo de visão pessoal acima do clube. E não só Flamengo e Fluminense, mas Botafogo e Vasco também estão mais que convidados, também construíram a história do estádio, a gente prevê a participação deles. Estamos reduzindo custos, com valor do aluguel muito mais baixo, e temos certeza que vamos oferecer uma opção muto mais barata, eficiente de protagonizar o seu jogo".

VAVEL Logo