Ex-presidente da CBF, José Maria Marín é banido do futebol
   José Maria Marin (à esquerda) e Marco Polo Del Nero (à direita)      Foto:Guilherme Pessoa/divulgação:cbf.com.br

Ex-presidente da CBF, José Maria Marín é banido do futebol

Dirigente estava aguardando a sentença, em segunda instância, que o condenou por suborno além de lavagem de dinheiro, fraude bancária e organização criminosa. O último recurso para o ex-dirigente é a corte de apelações da FIFA

andreandrade
André Andrade

De acordo com a sentença dada pela Câmara de Arbitragem do Comitê de Ética da Fifa, o ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF)José Maria Marín foi banido de qualquer atividade relacionada ao futebol durante toda a sua vida.

A notícia foi veiculada durante a manhã da última segunda-feira (15) e o dirigente foi condenado em segunda instância, cabendo mais um recurso até a corte de apelações da entidade máxima do futebol mundial. Além de estar impedido de se relacionar com qualquer atividade que envolva o futebol, o dirigente terá que pagar uma multa no valor de 1 milhão de francos suiços. Algo em torno de 3,86 milhões de reais.

Entre os anos de 2012 e 2015, Marín foi presidente da CBF e esteve envolvido em esquemas de subornos nesse período. Além disso, José Maria Marín ainda coleciona planos na escolha de empresas de direitos de transmissão e marketing de competições nas confederações da América do sul, norte, central e caribe.

Em 2017, Marín teve sua prisão preventiva decretada nos EUA. No final do ano passado, ex-presidente foi julgado no Tribunal Federal do Brooklyn e teve que devolver cerca de US$ 137.532,60 (algo em torno de R$ 520 mil) aos cofres da Conmebol e da FIFA. O valor condizia com salários e benefícios que o dirigente recebeu na época de seu mandato e quando ocupava cargos importantes na entidade sul-americana.

O ex-presidente já foi notificado da sentença e ainda não se pronunciou sobre o julgamento.

VAVEL Logo