Odair Hellmann ressalta
equilíbrio na final do Gauchão: “Decisão disputada” 

Foto: Ricardo Duarte / Internacional

Odair Hellmann ressalta equilíbrio na final do Gauchão: “Decisão disputada” 

Técnico ainda disse que não comentaria sobre expulsões da partida e falou sobre desempenhos de Paolo Guerrero e Zeca

isabella-molina
Isabella Molina

Grêmio e Internacional se enfrentaram, na noite desta quarta-feira (17), pelo jogo de volta da final do Campeonato Gaúcho. As duas partidas terminaram no empate sem gols e o Tricolor conquistou o título nos pênaltis.

Odair Hellmann, técnico do Inter, concedeu entrevista coletiva após a derrota da equipe. O comandante iniciou se dirigindo ao torcedor colorado.

“Quero dizer ao torcedor que nós fizemos o campeonato para buscar o título do início ao fim, para eles e para nós todos. Não conseguimos por detalhes. As duas finais foram 0 a 0 e a decisão foi nos pênaltis. São detalhes. Mesmo nesse momento duro, de não conquista, vocês (torcedores) podem ter certeza que, nas outras três competições que temos, nós vamos disputar para entregar a vocês um título e coroar o ano. Eu tenho certeza disso. Esse grupo merece e o torcedor também. Hoje, não deu. Saímos daqui doloridos”, lamentou o técnico.

Em seguida, Hellmann afirmou que não faria nenhum comentário sobre sua expulsão e a do jogador D’Alessandro.

“Sobre arbitragem, e qualquer outro tipo de situação, não vou falar”, disse.

O treinador também comentou que a sua ausência não fez falta no momento da definição dos pênaltis e cumprimentou o rival pela conquista.

“Já tínhamos trabalhado isso, então não fez falta. Já se sabia os batedores porque treinamos isso todos os dias. Quero parabenizar o grupo pelo enfrentamento que fez. Hoje, a definição dos pênaltis não foi para o nosso lado. Então, parabéns ao Grêmio pelo título”, declarou.

Para o comandante, o que faltou para que o Internacional conquistasse o título gaúcho foi um gol no Beira-Rio, onde as oportunidades eram melhores para o Colorado, embora a equipe tenha sido efetiva em ambos os jogos.

“Faltou o gol no Beira-Rio, onde tínhamos uma partida com melhores oportunidades que o Grêmio. Hoje, fizemos um enfrentamento onde criamos as nossas oportunidades também de fazer o nosso. Foi uma decisão dura, disputada. Com a efetividade dessa produção que tivemos, principalmente dentro do Beira-Rio, se tivéssemos trazido o placar para cá em vantagem, certamente seria outro jogo. Mas a disputa foi igual de ambas as partes”, garantiu Hellmann.

Outros trechos

Desempenho de Paolo Guerrero

“Acho que o Paolo buscou fazer todas as coisas que ele tem como característica. Lutou muito, participou dos dois jogos. Mas temos que olhar para o lado do adversário. Os dois zagueiros do Grêmio fizeram dois enfrentamentos de altíssimo nível. Tanto no Beira-Rio, quanto aqui, criaram muita dificuldade. Mas toda a atenção que eles deferiram ao Paolo, abriu espaços para que outros jogadores criassem e finalizassem, e foi isso que aconteceu no Beira-Rio”

Evolução do clube

“Em 2017, voltamos do fundo do poço, e eu acredito que essa volta firme e forte vai levar a conquista de títulos. A direção, com muitas dificuldades, buscou soluções criativas para que possamos buscar títulos e competições. Eu acho que estamos em outro momento, muito fortalecidos como grupo, time e também como clube. Claro que temos que evoluir, não só quando perdemos, mas também quando ganhamos. E acho que estamos nesse processo de evolução”

Lateral-direita

“Acho que o Zeca está fazendo o seu melhor. Pegou um jogador do outro lado, que hoje vive um grande momento. O Everton traz um desequilíbrio para o jogo, não é só o Zeca que teve essa dificuldade, outro jogador também teria. A gente mudou um pouco a marcação e acho que acertamos, mas não conseguimos ajustar a possa de bola. Sabemos que o Everton fez duas boas partidas, mas ele também teve dificuldades, porque muitas vezes o Zeca teve êxito em relação a ele”

Escalação de Dourado no Gre-Nal

 “Ontem (terça-feira), ele fez um treinamento, e nós esperamos porque ele poderia ter alguma dor tardia. Trabalhei com as duas situações. Mas hoje ele se apresentou bem. Faço elogio ao grupo e ao Dourado, que se entregou para fazer o jogo que fez, sem ter treinado uma semana com dor no joelho. Todos os jogadores são assim. Eles têm se dedicado demais e estão muito comprometidos com o torcedor e com o clube”

Cumprimentos a Renato Portaluppi

“Eu cumprimentei porque eu acho que nós, profissionais, temos de ter, acima de tudo, respeito. As coisas que acontecem dentro de campo, ficam dentro de campo. Sou um profissional de futebol e respeito todos os meus companheiros de profissão. Sempre fui assim quando atleta, sempre fui assim quando comecei a trabalhar na minha base, na volta ao Internacional, estou assim e vou continuar assim. Nos cumprimentamos, eu fui respeitoso e ele também. Falamos sobre os dois grandes confrontos que foram os jogos”

VAVEL Logo