EXCLUSIVO! Presidente do Salgueiro fala sobre perspectivas, políticas e futuro da equipe
José Guilherme já foi presidente do clube (Foto: Reprodução/TV Grande Rio)

EXCLUSIVO! Presidente do Salgueiro fala sobre perspectivas, políticas e futuro da equipe

José Guilherme já foi presidente do clube em 2010, voltou ao cargo em 2017

thomasalencar
Thomas Alencar

Aos 55 anos, José Guilherme da Luz Alencar Ferreira, tem uma longa história para contar quando se trata de Salgueiro Atlético Clube, Zé Guilherme, como é conhecido pela torcida do Carcará, foi motorista do clube em 2006, ainda em tempos de profissionalização, foi presidente do tricolor do sertão em 2010, onde conseguiu o acesso para a Série B do Campeonato Brasileiro, feito que até hoje é dado como a maior conquista do clube. O dirigente voltou a ser presidente do Carcará em 2017, onde ocupa o cargo até os dias atuais.

Em entrevista exclusiva para a VAVEL Brasil, o presidente do Salgueiro fala seu início no clube, sobre as perspectivas, políticas do clube e o futuro a equipe pernambucana.

Você já foi presidente do clube em 2010 e voltou a ser em 2017, o que mais mudou no Salgueiro de lá para cá?

O ano de 2010 foi o ano da maior conquista do Salgueiro Atlético Clube, acesso a Série B do Brasileiro, um ano que nos levou a 2011 a maior projeção da equipe e da cidade, todos os jogos televisionados, levamos o nome da nossa cidade para todo Brasil de forma positiva. 2017 foi ano de crise financeira, mas ainda conseguimos chegar à final do Campeonato Pernambucano e trazer o último jogo para nossa cidade de Salgueiro, fomos imensamente prejudicados com o adiamento do jogo final sendo marcado para 50 dias após a data do primeiro jogo. Então a maior mudança foi a mudança de patamar financeiro para baixo, crise financeira.

Durante o período de profissionalização em 2006, você foi motorista do clube no mandato do ex-presidente Clebel Cordeiro, como foi a experiência de trabalhar em um clube recém profissionalizado?

O Salgueiro Atlético Clube foi criado para divulgar nossa cidade de maneira positiva para todo Brasil, um grupo de pessoas se reuniu para através da criação de um time de futebol profissional resgatar a imagem da nossa cidade que era muito mal vista no Brasil todo. O primeiro presidente do clube Sr. Clebel Cordeiro, me convidou para participar desse grupo e também colaborar com com a equipe, como não tinha condições financeiras de colaborar em dinheiro, ofereci a ele o meu trabalho de motorista profissional para dirigir o ônibus sem cobrar nada por isso. Como motorista passei a conviver com todos que faziam o futebol do clube, presidente, diretores, comissão técnica e atletas. Aprendi muito observando e participando de reuniões. Acabado o primeiro ano de participação da equipe, ficamos em terceiro lugar no campeonato da segunda divisão de Pernambuco, não logrando êxito no acesso para primeira divisão que só subia duas equipes, isso tudo em 2005. No final de 2005 a Federação entrou em contato com o presidente Clebel Cordeiro informando que a equipe do Itacuruba havia desistido de participar do campeonato da série A1 2006, abrindo vaga para o Salgueiro Atlético Clube que tinha sido o terceiro colocado da série A2. Fomos participar da série A1 em 2006, com a confiança adquirida com Clebel, fui chamado para ser diretor, uma nova experiência que assumi com responsabilidade, dedicação e procurando sempre aprender mais sobre futebol.

Quais as expectativas do Salgueiro para o restante de 2019?

Retornar à Série C do Brasileiro.

Quais são as receitas que o Salgueiro tem direito no ano?

Patrocínio da Prefeitura de Salgueiro, somos Patrimônio Imaterial Histórico e Artístico da nossa cidade, lei aprovada por unanimidade pela Câmara de Vereadores; e cotas de participação nos campeonatos.

Sem grandes investimentos, qual a principal dificuldade do clube?

A maior dificuldade é financeira, a cobrança é grande, participamos de campeonatos de um nível elevado e precisamos contratar profissionais mais qualificados e isto custa caro.

Jogando a última divisão do Brasil e por ser um clube do interior, como estão as contas atuais do Salgueiro?

Com planejamento, orçamento e contratações dentro da realidade financeira no ano de 2019, estamos com o pagamento da folha salarial rigorosamente em dia.

Qual as políticas do clube quando se trata de reforços? Existe um perfil ideal para a diretoria?

O perfil que buscamos é de atleta jovem, que tenha jogado grandes partidas contra grandes equipes, que esteja dentro de nossa faixa salarial, que queira aproveitar a oportunidade que o Salgueiro dá participando de vários campeonatos.

Como é o trabalho com a base do clube?

Infelizmente a crise financeira não deixa investir muito na base, temos observadores em várias cidades e procuramos trazer os que já tenham alguma base para diminuir o tempo de chegar ao profissional.

Existem projetos para melhorias estruturais no estádio e CT? Ou obras em andamento?

O estádio é do município e está em boas condições. Sobre o CT, no momento só planos.

Qual a projeção do Salgueiro para os próximos anos?

2020 é retornar a série C, infelizmente no futebol atual não temos como projetar muito longe.

Desde a profissionalização, o Salgueiro virou uma força no estado de Pernambuco, foi duas vezes vice-campeão Pernambucano (2015 e 2017) e vem jogando a semifinal do estadual desde 2012. Jogou a Série B em 2011, chegou a disputar a Copa do Nordeste e conseguiu chegar nas oitavas de finais da Copa do Brasil de 2013, quando caiu para o Internacional

MEDIA: 5VOTES: 1
VAVEL Logo