Guia VAVEL do Brasileirão 2019: Cruzeiro
(Arte: Arianna Lacerda/VAVEL Brasil)

Guia VAVEL do Brasileirão 2019: Cruzeiro

Veja uma análise da Raposa para o Campeonato Brasileiro

gabriel_oandrea
Gabriel Andrea

A Raposa vem ambiciosa em busca desse Campeonato Brasileiro e é uma das grandes favoritas para brigar no escalão de cima durante o torneio. Com uma base campeã e muito forte mantida há mais de três anos sob o comando de Mano Menezes, o Cruzeiro Esporte Clube tem tudo para sonhar bem alto e ter boas expectativas quanto a um dos campeonatos de pontos corridos mais importantes do futebol mundial: o Brasileirão.

Vindo de um bicampeonato da Copa do Brasil, os celestes não se acomodaram e reforços de renome vieram para o time estrelado neste ano de 2019. Mas, como um bom time não é feito só para campeonatos curtos, o Cruzeiro mostra-se preparado para o que virá pela frente no brasileiro com um plantel numeroso e de muita qualidade, mesmo no banco de reservas.

Escalação

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro    


Ter um elenco forte e entrosado faz toda a diferença para que o Cruzeiro tenha o respeito que tem. Mas, mesmo com todo o mérito que o clube tem de segurar uma forte base do ano anterior, o clube sofreu com algumas perdas para essa temporada. Uma delas foi a de De Arrascaeta, jogador que foi peça chave do time celeste nos anos anteriores e era uma das grandes referências de ataque da equipe.

O uruguaio deixou o clube mineiro para defender as cores do Flamengo, mas o torcedor celeste não tem muitas razões para lamentar sua saída. Isso porque a diretoria celeste compensou a perda do antigo camisa 10 com prontidão e trouxe Rodriguinho para seu lugar.

Apesar de possuir características bem diferentes do ex-jogador celeste, o meia adaptou-se muito rapidamente à equipe e já é hoje uma das principais peças do elenco. Além de Rodriguinho, jogadores importantes como Marquinhos Gabriel, Pedro Rocha, Jadson, Orejuela e Dodô chegaram para compor o recheado time do Cruzeiro; que também foi pontual em suas vendas - já que peças nem tão atuantes no ano passado - como Bruno Silva, Marcelo Hermes, Ezequiel, Barcos e Sóbis deixaram a equipe e reduziram a folha salarial do clube.

Se um dos problemas em 2018 foi também a falta de produtividade ofensiva, a equipe vem contando com um centroavante bem conhecido pelo torcedor azul que pode fazer toda a diferença no campeonato nacional: Fred. O camisa 9 celeste recuperou-se completamente da contusão que sofreu e o tirou de praticamente todo o ano passado e é hoje o principal cabeça de área da equipe estrelada.

Destaque

Rodriguinho chegou ao time celeste para ser referência técnica da equipe. Com 31 anos de idade, o experiente meia retornou ao Brasil depois de um curto período no Egito e já vem se mostrando com um jogador fundamental para o que Mano Menezes pensa para o ano de 2019. Além de poder atuar como um tradicional camisa 10, Rodriguinho é também um jogador que flutua bastante entre as linhas intermediárias e o ataque e pode funcionar bem como um terceiro volante - por ter características necessárias para tal e boa recomposição quando exigido na marcação.

Junto ao camisa 23 celeste, Robinho e Dedé são dois jogadores que correm por trás e também têm quase o mesmo protagonismo de Rodriguinho. Robinho é outro meia que cumpre uma função primordial na equipe cinco estrelas. No ano passado, foi o segundo maior assistente da Raposa no Campeonato Brasileiro, atrás apenas de De Arrascaeta.

É um jogador que cumpre tanto a função de meio campista como auxilia com muita qualidade o lado direito, posição que costuma “cair” quando está atacando. É o típico armador que não tem medo de infiltrar uma bola de maior dificuldade e, por isso, muitas vezes é o maior garçom cruzeirense nas competições em que disputa. É também um excelente cobrador de faltas de curta e média distâncias.

Dedé, por sua vez, é a maior arma do Cruzeiro nas bolas paradas. No alto de seus 1,92 metros de altura, o zagueiro é o destaque da defesa cruzeirense e um dos grandes responsáveis pelo baixo índice de gols levados pela Raposa. No ano passado, por exemplo, o time levou apenas 59 gols em 72 partidas disputadas.

Fique de olho

 

Dentro de um elenco lotado de atletas de renome, dois jogadores têm grandes possibilidades de alcançar grandes feitos na temporada nacional. Marquinhos Gabriel e Pedro Rocha são jogadores com algumas características bastante similares, mas que cumprem funções distintas dentro das quatro linhas. Marquinhos é um ponta capaz de atuar pelos dois lados do campo com qualidade - já que tem boa capacidade de cruzamento e é também um bom chutador de média e longa distâncias - além de ser um coringa quando o assunto é infiltração em velocidade. É um jogador que pode ser a saída se o armador estiver tendo dificuldade em encontrar o centroavante da equipe.

Pedro Rocha, o último jogador contratado no ano, chegou no Cruzeiro para ser o maior velocista do time e fazer um papel que poucos jogadores fazem no elenco. Apesar de competir com David e Rafinha, Pedro é o mais vertical e também pode jogar de segundo atacante, por isso está na frente desses jogadores e é deve ser praticamente um “12º jogador” para Mano Menezes neste campeonato.

Técnico

​​​​​​Créditos: Vinnícius Silva/Cruzeiro E.C.
​​​​​​Créditos: Vinnícius Silva/Cruzeiro E.C.

Ficar mais de três anos à frente de um clube não é pra qualquer um, e por isso mesmo o Cruzeiro vem colhendo os frutos que plantou nesses anos ao manter seu treinador e sua base de jogadores. O gaúcho Mano Menezes, contando suas duas passagens pelo clube celeste, tem quase 51% de aproveitamento de vitórias e cerca de 60% de aproveitamento de pontos.

Por mais que seja considerado um treinador “retranqueiro” por grande parte da mídia e por torcedores, ao menos no Cruzeiro o aproveitamento e número de taças levantadas por Mano compensam esse rótulo. O treinador já disse que o Cruzeiro chega forte para qualquer campeonato que disputar em 2019, incluindo o Brasileirão, que é uma das grandes motivações para o torcedor cruzeirense.

Estádio

​​​​​​Créditos: Vinnícius Silva/Cruzeiro E.C.
​​​​​​Créditos: Vinnícius Silva/Cruzeiro E.C.

Casa do Cruzeiro desde 1965, o Mineirão (Estádio Governador Magalhães Pinto) é um fortíssimo aliado do time celeste na história do clube e uma das grandes armas da equipe para o Brasileirão. Em 2018, o clube teve uma média de quase 70% de aproveitamento como mandante além de uma média de aproximadamente 25 mil torcedores presentes no estádio. Por essas e outras, o Mineirão é consideravelmente um fator de “medo” para os adversários que viajam para Belo Horizonte e visitam o Cruzeiro, que sabem a força da equipe azul jogando em seus domínios.

Posição em 2018

Por ter apostado todas as suas fichas na Copa do Brasil, o time celeste foi apenas o 8º colocado no Brasileirão ​​​(​​​Créditos: Bruno Haddad e Vinnícius Silva/Cruzeiro E.C.)
Por ter apostado todas as suas fichas na Copa do Brasil, o time celeste foi apenas o 8º colocado no Brasileirão ​​​(​​Créditos: Bruno Haddad e Vinnícius Silva/Cruzeiro E.C.)

No ano de 2018, depois que o clube conciliou três competições importantes junto ao Brasileirão (Copa do Brasil, Campeonato Mineiro e Copa Libertadores) e foi campeão da Copa do Brasil, o time de Mano Menezes acabou deixando o Brasileirão muitas vezes em segundo plano e terminou o torneio na oitava colocação, com 53 pontos ganhos - 14 vitórias, 11 empates e 13 derrotas. Com a taça da Copa do Brasil, o time celeste conseguiu uma vaga de forma direta para a Libertadores de 2019 e, por essa razão, não foi tão cobrado por uma melhor classificação no campeonato nacional.

Expectativa para 2019

O Cruzeiro sagrou-se o campeão Mineiro de 2019 ​(​​​​​Créditos: Bruno Haddad e Vinnícius Silva/Cruzeiro E.C.)
O Cruzeiro sagrou-se o campeão Mineiro de 2019 ​(​​​​​Créditos: Bruno Haddad e Vinnícius Silva/Cruzeiro E.C.)

Assim como no ano passado, o Cruzeiro disputará de forma concomitante ao Campeonato Brasileiro a Libertadores e a Copa do Brasil, portanto é provável que ao longo do torneio de pontos corridos sejam necessárias mudanças pontuais na equipe e, para tal, o bom elenco cruzeirense dispõe de uma força suficiente para conciliar mais de uma competição ao mesmo tempo. No papel, o Cruzeiro tem um time com um poderio para chegar longe no Campeonato Brasileiro e brigar, no mínimo, por uma vaga na Copa Libertadores da América.

Contando com o ótimo desempenho do clube celeste dentro de casa, é de se esperar que o time estrelado tenha boas ambições para o Brasileirão em 2019. Uma semana antes do início do campeonato, o Cruzeiro foi o grande campeão Mineiro, superando seu rival Atlético-MG e motivando a equipe para o restante da temporada.

MEDIA: 5VOTES: 1
VAVEL Logo