Em despedida, Juan manda recado para torcida do Flamengo: “Ajudaram a realizar o meu sonho”
(Alexandre Vidal / Flamengo)

Numa noite marcada pela vibração dos mais de 30 mil rubro-negros presentes no Maracanã, o Flamengo venceu o Cruzeiro por 3 a 1, pela 1ª rodada do Campeonato Brasileiro, e um craque esteve em destaque.

Não foi Bruno Henrique, apesar dos dois gols. Tampouco Gabigol, que marcou seu décimo pelo clube. O zagueiro Juan, que entrou nos acréscimos do segundo tempo, não precisou de mais que 4 minutos para emocionar e arrancar aplausos dos torcedores em sua despedida.

Depois do jogo, em entrevista coletiva, o jogador falou sobre a sensação dessa última partida antes de pendurar as chuteiras. “Sentimento de dever cumprido. Até mesmo hoje, quando eu estava aquecendo, pensei naquele sentimento de cobrança que eu me faço. Queria entrar, queria corresponder. Eu estava bem apreensivo ali do lado de fora, bem concentrado no que eu tinha que fazer. Mas graças a Deus, deu tudo certo”, afirmou.

Sobre sua trajetória, Juan apontou a regularidade como característica principal. Assim, o zagueiro conseguiu, desde cedo, se destacar.

“A minha carreira foi sempre muito constante, talvez esse seja o meu diferencial. Eu pude chegar bem no meu início aqui no Flamengo, consegui chegar à Seleção, disputei uma Copa do Mundo como jogador do Bayern Leverkussen, disputei outra Copa do Mundo como jogador da Roma. Tanto no Inter como no Flamengo, mesmo num período mais velho, pude contribuir. Não com a mesma intensidade de antes, mas pude ser bem constante”, declarou.

O filho mais velho de Juan, que estava ao seu lado durante a entrevista, foi perguntado sobre o sentimento de ver o pai ser homenageado por milhares de torcedores e apontou a emoção como protagonista de tudo.

“É uma felicidade muito grande ver o seu pai ser reconhecido por tudo que ele fez. O vencedor que ele é, sempre humilde, nunca quis passar por cima de ninguém.  Então eu fiquei muito emocionado em ver isso”, disse.

Por fim, mandando um recado para a Nação, Juan agradeceu o apoio irrestrito na realização de seu sonho no clube.

“Só tenho a agradecer a torcida do Flamengo. Eles ajudaram a realizar o meu sonho de ser um jogador do clube. Agradeço todo o carinho que eles sempre demonstraram por mim e peço desculpas se alguma vez eu falhei dentro de campo”, finalizou.

Outros trechos da entrevista:

Exemplos dentro de campo

Gamarra foi um daqueles jogadores que eu tive o privilégio de atuar ao lado, me ajudou muito. Naquele período ele já era considerado um dos melhores zagueiros do mundo, com certeza aprendi muito com ele.

Família

Meu maior orgulho. Esses dois, junto da minha esposa, meus pais também. Eu tenho muito orgulho da família que eu construí, dos valores que eu consegui passar pra eles.

Conquistas

Difícil, muito difícil destacar um só. Teve aquele tricampeonato do jeito que foi... Tem a Copa América que foi emocionante. Difícil destacar. Graças a Deus eu tive grandes momentos na minha carreira.

Juan por Juan: um jogador comum?

Com certeza mudei muito durante esses 20 anos. Aquele jogador era um menino ainda, sem muita experiência, com muitos sonhos. E esse jogador que termina a carreira hoje é um jogador que rodou o mundo, teve muitas experiências, é totalmente diferente.

VAVEL Logo