Opinião: metade dos brasileiros avançam na Copa Libertadores!
(Foto: Reprodução/Conmebol)

Sim, senhoras e senhores, a Taça Libertadores da América chegou às oitavas de final e a tensão entre os 16 times classificados já está tocando o céu. Seis brasileiros, quatro argentinos, três paraguaios, dois equatorianos e um uruguaio. Dentre eles, seis segundos colocados tiveram campanha superior ao pior primeiro, o Olímpia-PAR. Destaca-se a campanha do Nacional-URU, que, com 13 pontos, passou em vice-líder do grupo em que o Cerro Porteño-PAR venceu, no entanto o uruguaio teve a quinta melhor campanha no geral. No mais, vamos ao chaveamento:

No conjunto dos seis brasileiros classificados, Cruzeiro e Athletico, teoricamente, têm caminhos mais difíceis. Entretanto, Palmeiras e Flamengo, também teoricamente, passeiam pelas rotas menos complicadas. Como dito há pouco, a boa campanha do Nacional-URU precisa ser exaltada e é o Internacional que terá essa pedreira pela frente.

Cruzeiro x River Plate-ARG

(1º jogo: na Argentina | 2º jogo: no Brasil)

Que jogo! Raposa do Mano será exigida ao máximo pelo atual campeão. É a prova de fogo celeste, pois o Cruzeiro já perdeu força em relação ao começo do ano. As derrotas para Flamengo e Inter pelo Brasileirão acenderam o sinal de alerta em Belo Horizonte, notificando que tudo não está mil maravilhas. Do lado hermano do confronto, o River Plate ainda segue invicto, como seu parceiro de Grupo A, o Inter de Porto Alegre. Contudo, a classificação argentina parece ser mais provável, pois o Milionário vem crescendo nesta edição após três empates no primeiro turno, o oposto do desempenho cruzeirense.

Boca Juniors-ARG x Athletico

(1º jogo: no Brasil | 2º jogo: na Argentina)

Equilíbrio total! Como na primeira fase, rubro-negros e xeneizes voltam a se enfrentar. Na Arena da Baixada, o CAP goleou por 3 a 0 e na Bombonera, triunfo polêmico argentino por 2 a 1. Tradicionalmente, o Boca sempre complica no mata-mata, apresentá-lo é totalmente dispensável. Em contrapartida, o futebol que Tiago Nunes implantou no Athletico é muito bonito, para frente, ofensivo e responsável defensivamente. Aqui, mais que qualquer outro confronto, marca o embate da "camisa pesada" contra o "time de bom futebol". E nesse embate, a equipe de Buenos Aires é mais preparada para aguentar o tranco de uma Libertadores.

Palmeiras x Godoy Cruz-ARG

(1º jogo: na Argentina | 2º jogo: no Brasil)

Na teoria, é fácil! Sabe-se que o futebol não é uma ciência exata, longe disso. Já tivemos diversas demonstrações de "zebras" que passearam pelas oitavas: Cruzeiro em 2011, ao ser eliminado pelo Once Caldas-COL depois de fazer a melhor campanha da primeira fase, é o melhor exemplo. Contudo, o Palmeiras parece não ter muito trabalho para despachar o Godoy Cruz, dono da penúltima campanha classificada ao mata-mata.

Libertad-PAR x Grêmio

(1º jogo: no Brasil | 2º jogo: no Paraguai)

Novamente! Confronto repetido da primeira fase, onde o Imortal venceu no Paraguai por 2 a 0 e perdeu em Porto Alegre por 1 a 0. O Libertad é experiente e conta com Martín Silva e Óscar Cardozo, mas não deve complicar em grande escala. A classificação brasileira é mais provável porque o time de Renato Gaúcho é copeiro, a exemplo do Boca Juniors, cresce em mata-matas. Mesmo não estando em seu melhor momento dos últimos três anos, o Grêmio deve ter seu favoritismo confirmado.

Flamengo x Emelec-EQU

(1º jogo: no Equador | 2º jogo: no Brasil)

Olho aberto! Aqui se encaixa a mesma lógica que no confronto entre Palmeiras e Godoy Cruz, mas com um agravante: o Flamengo é um time que não passa confiança para si mesmo. A princípio parece fácil, mas vale lembrar que o técnico flamenguista ainda é Abel Braga. O Emelec pode complicar, pois o time joga fechado e esse estilo dificulta para o Rubro-Negro, que atua melhor contra equipes que saem para o combate. Não é absurdo se o Fla avançar pelo gol fora ou por apenas um gol de saldo — e é muito provável — diante da pior campanha das oitavas.

Internacional x Nacional-URU

(1º jogo: no Uruguai | 2º jogo: no Brasil)

Mais tradição! Aqui é onde pode haver a "zebra" — se é que um suposto avanço uruguaio pode ser considerado surpresa. Com 13 pontos, o Nacional fez a quinta melhor da fase anterior e se mostra melhor que três campeões de grupo. A tática do El Bolso é se defender muito bem e atacar quando der, sem ser uma equipe ofensiva. Isso deixa o Inter em alerta, pois quando os colorados jogaram contra times copeiros, como Grêmio no Estadual e River na própria Libertadores, não conseguiram vencer. No mais, é um confronto onde não há como cravar um classificado, mas a organização do clube de Montevidéu deve ser a triunfante.

No mais...

Outros dois confrontos também fazem parte do mata-mata, mas sem envolver brasileiros: Cerro Porteño-PAR x San Lorenzo-ARG e Olímpia-PAR x LDU-EQU, ambos serão decididos no Paraguai. Com um time bem organizado por Fernando Jubero, o Cerro deve avançar. Mesmo passando em segundo, mas tendo um ponto a mais que o Olímpia em um grupo mais difícil que o dos paraguaios, a LDU está melhor que seus adversários e tem um pé nas quartas.

Contudo, os três confrontos entre Brasil e Argentina dão um gostinho especial às oitavas desta edição e como todos sabem: "tudo pode acontecer". Ainda mais quando o cenário pode ser mudado dentro dos quase dois meses de intervalo até o início do mata-mata. Mesmo assim, você arrisca em cravar quem será o campeão da Libertadores 2019?

MEDIA: 5VOTES: 5
VAVEL Logo