Atlético-MG, Santos e Ricardo Oliveira: desejo antigo e Lei
do ex infalível
(Foto: Bruno Cantini/Atlético)

Atlético-MG, Santos e Ricardo Oliveira: desejo antigo e Lei do ex infalível

Jogo pela Copa do Brasil reúne grande história na qual Ricardo Oliveira é o principal personagem

vitor-moura
Vítor Moura

Atlético-MG e Santos se enfrentam hoje (15), às 19h15, no Estádio Independência, pelo primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Brasil. O duelo entre as equipes também exalta um jogador que será um dos focos desta disputa, o atacante Ricardo Oliveira.

O camisa 9 do Galo tem rica história com o Peixe, clube pelo qual tem duas passagens e 92 gols em 173 jogos, além de ser considerado um ídolo do clube. Atualmente defende as cores do time mineiro, mas se a vontade do técnico Jorge Sampaoli fosse concretizada Ricardo Oliveira estaria novamente em Santos, isso porque o treinador deseja um camisa 9 para a equipe e o centroavante seria o atleta ideal para o argentino. Porém o desejo não foi realizado e Ricardo Oliveira pode novamente colocar a "Lei do ex" para funcionar em campo.

Lei do ex e números de Ricardo Oliveira em 2019

Aos 39 anos o atacante continua em alto nível. No Atlético-MG o atleta é referência da equipe, assim como em praticamente todos os clubes que passou na carreira devido ao seu instinto de liderança e perfil imponente em campo.

Em 21 jogos em 2019 marcou 13 vezes, número que o coloca como quinto maior artilheiro do Brasil na temporada, três atrás do líder e rival Fred do Cruzeiro, média de 0,62 por partida, considerada alta no país.

Pelo Santos foi artilheiro da Copa Libertadores em 2003 com nove gols, do Campeonato Paulista de 2015 com 11 tentos e do Campeonato Brasileiro o mesmo ano ao marcar por 20 vezes. Pelo Atlético foi o goleador máximo do Campeonato Mineiro de 2018 com seis gols. O faro do artilheiro continua implacável.

Outro aspecto que o artilheiro domina bem é a Lei do ex, nome dado ao atleta que consegue marcar contra uma equipe que já defendeu. Contra o Santos ela já funcionou quatro vezes.

Desde que trocou o Santos pelo Atlético Ricardo Oliveira já duelou com o Peixe duas vezes, ganhou uma e perdeu outra. Dos cinco gols que o Galo marcou nos confrontos o camisa 9 anotou quatro, ou seja, uma Lei do ex dupla, ambas as partidas foram válidas pelo Campeonato Brasileiro de 2018. Neste ano, além dos dois jogos da Copa do Brasil, o "pastor" também poderá encontrar seu antigo clube mais duas vezes pelo Brasileirão.

Sem Ricardo Oliveira Santos ainda busca um 9

A falta de um centroavante na equipe santista é dor de cabeça para Sampaoli desde o começo do ano. Com a saída de Ricardo Oliveira no fim de 2017 o clube não conseguiu outro jogador com a mesma característica. Gabigol em 2018 foi uma das referências do time, mas enfatizou que não jogava nesta posição. 2019 começou e a busca por um 9 continua e até o momento Eduardo Sasha faz o papel de centroavante.

No começo da temporada Ricardo Oliveira virou um dos alvos do comandante santista e da diretoria que vê no jogador a solução dos problemas ofensivos do Peixe. O desejo perdura até os dias atuais, mesmo sem avançar nas negociações.

Sampaoli falou publicamente da tentativa de repatriar o atleta e disse que o retorno de Ricardo Oliveira daria muita experiência e capacidade ao ataque do Santos, justamente na vaga de maior carência da equipe.

VAVEL Logo