Justiça condena Grêmio a pagar multa de R$ 30 mil por caso de injuria racial
Yony González em disputa com  Kannemann, pela terceira rodada do Brasileiro (Foto: Lucas Merçon/ Fluminense)

A 5ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva condenou o Grêmio a pagar multa de R$ 30 mil pelo caso de injúria racial cometido por uma torcedora contra o jogador Yony González, do Fluminense. O casso ocorreu na Arena no dia 5 de maio e, hoje, por quatro votos a um, os auditores responsabilizaram o clube, que irá recorrer da decisão. 

O vídeo onde a torcedora teria xingado o atleta com o termo macaco foi divulgado no dia seguinte a partida, pela FluTv. A autora da ofensa não foi identificada. Diferente do que ocorreu no caso Aranha, onde o Grêmio foi excluído do da Copa do Brasil, desta vez não houve uniformidade nos xingamentos, por tanto o clube não perde pontos ou mando de campo. 

O clube usou como testemunha um perito em áudio, o qual disse que não era possível afirmar que a palavra macaco foi utilizada. Indo contra, a subprocuradora-geral Júlia Gelli afirmou ter ouvido a palavra mais de uma vez. Além disso um gandula foi ouvido, alegando não ter escutado nenhuma ofensa. 

O relator do caso, Flávio Boson Gambogi, e os auditores Otacílio Neto, Eduardo Affonso Mello e Mauricio Neves votaram a favor da condenação. Rodrigo Raposo, presidente da comissão, votou por absolver, alegando falta de provas.

O Fluminense não quis entrar como parte interessada do processo. O clube considera que a atitude foi isolada da torcedora.

VAVEL Logo