Esperançoso, Ganso traça objetivos no Fluminense: "Fazer grandes jogos e ser campeão"
FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

O meia Paulo Henrique Ganso concedeu entrevista nesta quarta-feira (22) no CT, após o treino. O jogador afirmou que, mesmo com a titularidade absoluta, só ficará satisfeito quando conquistar um título pelo Fluminense.

É difícil. Eu deixo para vocês analisarem. Satisfeito? Não dá para ficar satisfeito. Eu fiquei contente quando a gente venceu. Falta ser campeão. Na hora que a gente for campeão, aí a nota será 10."

Há quase quatro meses no clube, o camisa 10 da equipe falou sobre a receptividade que vem recebendo e ressaltou que a melhor forma de retribuir é com grandes jogos e vitórias.

Estou me sentindo em casa, fui muito bem recepcionado. O carinho do torcedor tem sido excepcional. Temos de fazer o Fluminense ter grandes jogos e vencê-los. Penso nisso para retribuir."

Ganso também falou sobre o treinador Paulo Autuori, que atualmente comanda o Atlético Nacional, clube que o Tricolor enfrentará na Copa Sul-Americana nesta fase. O meia lembrou da época em que trabalharam juntos, no São Paulo.

"O pouco tempo que a gente trabalhou deu para ver que ele cuida do vestiário, protege muito os jogadores. Isso pode ter feito a diferença para seguir no comando. Acredito que os jogadores devem ter falado com ele para continuar. Então, a nossa atenção tem de ser maior ainda."

Sobre o adversário, Ganso afirmou que, mesmo que o Atlético Nacional não esteja vivendo um bom momento, será um jogo difícil. No entanto, espera que o fator casa ajude a conseguir a vitória.

"Eu espero que a gente possa fazer um grande resultado aqui no Maracanã. É uma equipe que sabe jogar esse tipo de competição. Será um jogo duro. Realmente, o momento deles não é bom. Temos de estar atentos para não dar brecha a eles na nossa casa."

Quando perguntado sobre as diferenças entre Autuori e o técnico do Fluminense, Fernando Diniz, o jogador citou os pontos principais de cada um.

"Autuori tem experiência, foi campeão do mundo. Sabe os atalhos da competição. Diniz mostra que faz um excelente trabalho. Ele pode chegar muito longe como técnico no futebol."

Nas últimas partidas do Fluminense, dois jovens revelados nas categorias de base do clube têm se destacado. São eles João Pedro e Marcos Paulo, já apelidados de “casal sub-20”, em alusão a Assis e Washington, que brilharam no Fluminense nos anos 80. Ganso falou da convivência com eles.

"Desde que cheguei, os acompanho. Sorte a minha de ter eles ao meu lado. Os dois têm muita qualidade. Espero que a gente possa vencer juntos aqui. É uma felicidade enorme jogar com esses meninos. Tem muitos garotos que treinam com a gente e têm qualidade. Espero que eu possa dar esse suporte. Quando se é garoto, se precisa disso."

O meia finalizou afirmando que a evolução em campo deve ser constante, que sempre dá para melhorar em alguma coisa. Principalmente pela juventude do grupo e pelo estilo de jogo adotado por Fernando Diniz.

"Sempre vai faltar alguma coisa. Em todo o jogo, sempre vai faltar melhorar e evoluir em alguma coisa. A gente sempre procura fazer isso nos treinos, nosso time é muito jovem. Temos de fazer isso, até no nosso estilo de jogo."

Na próxima quinta-feira (23), o Fluminense recebe o Atlético Nacional, no Maracanã, às 21h30 (de Brasília). O confronto é válido pela ida da segunda fase da Copa Sul-Americana.

VAVEL Logo