Raio-X: análise tática da vitória do Fortaleza sobre o Botafogo-PB pela Copa do Nordeste
Foto: Nádya Araújo/Botafogo-PB

Deu Leão! O Fortaleza venceu, na noite desta quinta-feira (23), o Botafogo-PB por 1 a 0, na Arena Castelão, e abriu vantagem na decisão da Copa do Nordeste. Mesmo com o resultado, o Tricolor de Aço sentiu inúmeras dificuldades na partida. Aqui, faremos uma análise tática de como se desenhou o confronto de ontem.

Não demorou para a partida ter seu panorama definido. Após o início do jogo, o Botafogo-PB perdeu a posse de bola para o Fortaleza e colocou em prática sua proposta: marcar com a equipe toda no campo de defesa, fechando os espaços para impedir uma troca de passes do Leão.

A marcação foi muito bem definida. Evaristo Piza armou uma linha com cinco homens à frente do goleiro Saulo, sendo eles: Israel, Donato, Wellington Cézar, Lula e Fábio Alves. Em seguida, uma outra barreira foi composta por Clayton, Marcos Vinícius, Juninho e Dico. Nando, por sua vez, ficou isolado na frente.

Enquanto isso, o Fortaleza tentou impor seu jogo. Sempre com uma proposta ofensiva, Rogério Ceni adiantou os defensores para o meio-campo, mas não conseguiu trocar passes como habitualmente faz diante dos adversários. O posicionamento defensivo do Botafogo-PB forçava o Leão a distribuir a bola por elevação, desagradando o treinador Tricolor.

No primeiro tempo, o Fortaleza explorou a fragilidade das laterais do Botafogo-PB. Israel e Fábio Alves, além de não serem unanimidade entre os torcedores, apresentam falhas defensivas desde o início da temporada. Entretanto, a equipe da casa não acertava o último passe. Isso acarretou numa demora na criação de uma jogada perigosa para Saulo.

Jogando num esquema tático com quatro atacantes, o técnico Rogério Ceni necessita da participação ativa dos volantes na armação das tramas ofensivas. Diante da retranca do Botafogo-PB, Felipe e Araruna estiveram bem marcados em campo e não conseguiram ser efetivos no ataque.

Se os laterais botafoguenses apresentaram erros defensivos, pelo lado do Fortaleza não foi diferente. Bruno Melo não fez uma boa partida, pareceu nervoso desde o apito inicial. Tinga não teve trabalho e, quando acionado, apareceu bem no ataque e quase marcou um gol de cabeça na única chance clara do Leão na etapa inicial.

Precisando do resultado, o Fortaleza partiu para cima do Botafogo-PB na etapa final. Diante da dificuldade na participação do meio-campo na criação de jogadas, Rogério Ceni colocou Dodô no lugar de Araruna e Marcinho na vaga de Osvaldo, que não fez uma boa partida e foi anulado pela marcação do Belo.

Evaristo Piza, por sua vez, tirou Dico, que fez uma de suas piores partidas com a camisa Alvinegra, e colocou Enercino. O meia entrou bem e deu trabalho para a defesa do Fortaleza. Ofensivamente, foi um dos poucos pontos positivos do Botafogo-PB no jogo. Foi através dele, numa jogada pelo lado esquerdo, que Marcos Vinícius teve a principal oportunidade do Belo, mas desperdiçou.

Mesmo sem ter êxito na maioria das ações ofensivas, o Fortaleza conseguiu chegar ao gol. Numa rara falha do sistema defensivo do Botafogo-PB, Edinho dominou na área e bateu para o meio. Wellington Paulista apenas empurrou para as redes.

A equipe da casa ainda queria ampliar. Rogério Ceni colocou Coutinho no lugar de Romarinho, que deixou o campo bastante cansado. Evaristo Piza, apostando num contra-ataque, promoveu a entrada de Paulo Renê e Júnior nas vagas de Marcos Vinícius e Clayton, mas as modificações não impactaram na partida.

Nenhuma chance clara de gol foi registrada. O primeiro confronto da decisão da Copa do Nordeste terminou com a vitória do Leão. O segundo capítulo será escrito na próxima quarta-feira (29), às 21h30, no estádio Almeidão, em João Pessoa.

Neste final de semana, Fortaleza e Botafogo-PB voltam a campo pelo Campeonato Brasileiro. Ambos os times jogam no domingo (26). O Belo enfrenta o Imperatriz, às 17h, na capital paraibana, pela Série C. Mais tarde, às 19h, pela primeira divisão, o Tricolor de Aço recebe o Vasco na Arena Castelão.

VAVEL Logo