Encerrando a rodada da Série B, Atlético-GO recebe o Vitória em Goiânia
Foto: Paulo Marcos/Atlético-GO

Encerrando a rodada da Série B, Atlético-GO recebe o Vitória em Goiânia

Dragão precisa vencer para retornar ao G-4, enquanto o Leão da Barra quer deixar a zona de rebaixamento

rafaelalvesgomes
Rafael Alves
Atlético-GOKozlinski; Reginaldo, Lucas Rocha, Gilvan e Nicolas; Pedro Bambu, Moacir e Matheus; Héctor Bustamante (Jarro Pedroso), Pedro Raul e Mike. Técnico: Wagner Lopes.
VitóriaLucas Arcanjo; Dudu Vieira (Rodrigo Andrade), Everton Sena, Zé Ivaldo e Capa; Gabriel Bispo, Léo Gomes e Marciel; Felipe Garcia, Nickson e Neto Baiano. Técnico: Osmar Loss.
INCIDENCIASJogo válido pela 5ª rodada da Série B no estádio Antônio Accioly, em Goiânia

Atlético-GO e Vitória finalizam a quinta rodada da Série B neste domingo (26), às 16h, no estádio Antônio Accioly, em Goiânia. As duas equipes vivem momentos opostos na competição. Enquanto a equipe da casa quer o resultado positivo para retornar ao G-4, o time nordestino precisa de um triunfo para deixar a zona do rebaixamento.

O Dragão vem de um excelente resultado. Na última rodada, o Rubro-Negro bateu o Criciúma no Antônio Accioly por 3 a 1. Devido ao desdobramento da atual jornada, o Atlético-GO está ocupando a 8ª colocação. Uma vitória simples repõe o time goiano entre os quatro primeiros da competição.

Já o Vitória, por sua vez, não vive seus melhores dias. A derrota em casa para o São Bento por 3 a 1, no final de semana passado, resultou na demissão do técnico Cláudio Tencati. Osmar Loss foi escolhido para substituí-lo e fará sua estreia nesta tarde. O Leão ocupa a 18ª posição com três pontos. Só um triunfo retira o time baiano do Z-4.

O último confronto entre as duas equipes aconteceu em 2017 pela Série A do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, Vitória e Atlético-GO empataram em 1 a 1. Luiz Fernando abriu o placar para o Dragão e José Welison marcou para o Leão da Barra, deixando tudo igual.

Dúvida ofensiva e problema defensivo

Mesmo apresentando uma boa campanha na Série B, o Atlético-GO demonstra um problema na defesa. Até aqui, o Dragão sofreu gols em todos os jogos da competição, fato que preocupa o técnico Wagner Lopes. Assim, o treinador realizou diversos trabalhos específicos durante a semana para evitar novos contratempos.

Mesmo assim, a única dúvida do comandante Rubro-Negro para o duelo contra o Vitória é no setor ofensivo. Sem Gilsinho, diagnosticado com lombalgia, Héctor Bustamante e Jarro Pedroso foram testados, mas Wagner Lopes não confirmou quem começará entre os titulares. Recuperado de caxumba, Jonathan voltou aos treinos, mas não deve jogar. Logo, Reginaldo segue entre na equipe.

O Dragão deve ir a campo com a seguinte escalação: Kozlinski; Reginaldo, Lucas Rocha, Gilvan e Nicolas; Pedro Bambu, Moacir e Matheus; Héctor Bustamante (Jarro Pedroso), Pedro Raul e Mike. Sobre o confronto, Wagner Lopes ressaltou como invencibilidade no estádio Antônio Accioly na temporada pode ajudar o Atlético-GO a buscar mais um resultado positivo.

"A atmosfera, a energia que o nosso estádio tem é difícil de você explicar, mas é um sentimento que faz você se dedicar mais, entrar em estado de alerta e ter concentração total durante a partida".

Estreia, pressão e mistério

A situação do Vitória não é boa na Série B. Em quatro rodadas, o Leão da Barra soma três derrotas e apenas um resultado positivo. O desempenho ruim acarretou numa troca de técnico. Claudio Tencati deixou o time baiano e Osmar Loss chegou para assumir o comando da equipe.

O novo treinador teve apenas quatro dias para preparar o time para o confronto de hoje. Loss deve realizar mudanças na equipe titular, sendo uma delas a estreia do zagueiro Zé Ivaldo, regularizado na última sexta-feira (24) e liberado para entrar em campo.

Osmar Loss não deu pistas sobre a escalação. Logo, o provável time titular do Vitória deve ter a seguinte formação: Lucas Arcanjo; Dudu Vieira (Rodrigo Andrade), Everton Sena, Zé Ivaldo e Capa; Gabriel Bispo, Léo Gomes e Marciel; Felipe Garcia, Nickson e Neto Baiano. Em entrevista coletiva, o técnico comentou sobre o novo desafio no comando do Leão da Barra.

"Eu não quero que o Vitória tenha a minha cara. Eu quero que o Vitória tenha a cara do Vitória, a cara da tradição. Isso ocorre numa medida de tempo. Precisamos contar com a absorção dos atletas do nosso treinamento, do nosso dia a dia para que a gente alcance nossos objetivos o mais rápido possível".

VAVEL Logo