Com Casemiro fora das quartas, Tite questiona a arbitragem: "Só quero que seja igual"
Foto: Lucas Figueiredo/ CBF

O Brasil fez as pazes com a torcida. Em atuação incrível, a Seleção goleou o Peru por 5 a 0 neste sábado (22), em partida válida pela Copa América, com direito a pênalti perdido. Após a vitória, o técnico Tite enalteceu a performance da equipe e sobre o gol de Casemiro, logo aos 12 minutos.

"Equipe tem que ter persistência e saber olhar para erros e corrigi-los. Tem que ter finalização e a precisão. Efetividade. Ter consistência. Teve um grande jogo hoje. É um jogo que você tem que persistir. Falei no intervalo que temos que trabalhar com todas as variáveis, preparar para toda circunstância. Aí de fazer o primeiro ou fazer o segundo. Como fizemos no primeiro, aí tem que continuar no mesmo ritmo. É a nossa característica. Aí traz esse componente de alívio. Solta mais. Emocionalmente te dá mais confiança, sim".

Perguntado sobre a pressão por desempenho, Tite esclareceu que o seu maior objetivo é fazer com que a Seleção Brasileira evolua a cada partida, deixando para trás qualquer tipo de situação com a imprensa.

"Eu volto a dizer: às vezes me perguntam dessas situações para confrontarmos as opiniões de vocês (imprensa). Não estamos aqui para confrontar, estamos aqui para trabalhar e procurar o melhor futebol possível. Não é de a seleção vir aqui e confrontar porque alguém confrontar. Não é isso. É porque a gente quer sempre o melhor. Não se trabalha assim. É da felicidade do trabalho bem executado. E saber reconhecer que tem coisas boas e ruins. É do jogo".

Sobre o pênalti desperdiçado por Gabriel Jesus, o treinador da Amarelinha lamentou muito o erro do camisa 9, que segundo Tite, fez uma bela partida e deve se orgulhar pela atuação.

"Fiquei triste por não fazer o gol porque jogou muito. Tem que se orgulhar muito da forma que jogou. Estava torcendo por ele até individualmente. Não ia ser determinante para o resultado, mas torci pelo grande jogo que ele fez".

Tite também questionou o cartão aplicado ao volante Casemiro, que está fora das quartas de final da Copa América. Vale lembrar que a última derrota da Seleção Brasileira, foi diante da Bélgica, nas quartas da Copa do Mundo, quando também não pode contar com o jogador do Real Madrid.

"Ouvi vocês, todos comentaristas de arbitragem, eu ouvi antes do último jogo. Cartões tem que dar com equidade, tem que ser igual o critério. No primeiro tempo, o cartão que o Casemiro tomou, era para ter tomado o lateral (Advíncula) deles também. E depois era para ser expulso. Não fiquei chorando. Só quero que seja igual".

O técnico do Brasil foi perguntado sobre a utilização de Lucas Paquetá, um dos principais nomes da futura geração e sobre a disputa no ataque da Seleção.

"São opções, Firmino por dentro também joga nessa função com agudo na frente. Então vem com essa opção, para ter Gabriel do lado. É jovem, com futuro. Tem que ter cuidado. Um técnico falou que é fácil lançar jogadores. Lançar no momento exato para que tenha condição de produzir, isso é desafiador. Acho eu foi Bielsa. Vai ter momento. Vir para a Copa convocado já é extraordinário".

"Eu já colocava que nesses campeonatos tem que ser mais rápido (mudança no time). Chamei os cinco (atacantes). Firmino ficou mais chateado porque a bola relou nele e não foi gol contra a Venezuela. Falei que isso acontece. Aprendi que tem que reciclar rápido. Tem confiança, de retomar melhor. Ele tem mais para dar. Foi bem hoje e tem mais ainda. Está em processo de evolução. Chamei os cinco e disse: ‘cada um de vocês tem característica diferente’. Mas agora, a escolha, o técnico tem essa responsabilidade. Agora preparam-se todos, porque não sei no próximo jogo quem vai começar. Cada um empresta uma virtude diferente".

MEDIA: 5VOTES: 1
VAVEL Logo