Otero revela que não está 100% e prega concentração para clássico: "Partida diferente"
Foto: Bruno Cantini/Atlético-MG

Otero revela que não está 100% e prega concentração para clássico: "Partida diferente"

Venezuelano revelou ansiedade para disputa do clássico e se colocou à disposição do técnico Rodrigo Santana

leo-moura
Leonardo Almeida

Faltam menos de 24h para o início do primeiro jogo do clássico mineiro em Belo Horizonte, pelas quartas de final da Copa do Brasil que dará uma vaga para semifinal da competição. Na Cidade do Galo, os jogadores estão concentrados desde terça. Nesta quarta-feira (10), em entrevista coletiva na sala de imprensa, o meia Rómulo Otero ressaltou a relevância do clássico na cidade e que a equipe vai mostrar o trabalho desenvolvido nos dias de intertemporada.

"Eu acho que é um jogo à parte que Belo Horizonte toda para pra assistir. É um jogo que é a morte (risos). Com todo respeito, iremos jogar o nosso futebol, mostrar o trabalho que está sendo feito com o treinador e respeitando o rival. É uma partida bem diferente das demais", disse.

Sobre a participação na decisão, Otero não escondeu que não está com o porte físico ideal. A probabilidade é que o técnico Rodrigo Santana utilize o venezuelano no decorrer do jogo.

“Fisicamente, não estou 100%. Estava treinando bem na Arábia, mas fiquei um mês de férias e estava na Venezuela. Fiquei muito tempo sem ver minha família. Na minha volta ao Atlético-MG, eu acabei recebendo um cuidado diferente na preparação física. Estou disponível para jogar, mas não 100%. O primeiro jogo da minha volta será um clássico e acredito que vai dar tudo certo", contou.

Rómulo Otero foi negociado com o Al Wehda, por empréstimo, no fim do mês de maio do ano passado. O clube alvinegro, na época, visava aliviar os cofres e acabou cedendo o jogador para o mundo árabe por um ano. O Al Wehda optou por não exercer a compra no fim do vínculo e o atleta  retornou ao Galo; vale ressaltar que o retorno do venezuelano era desejo, também, da diretoria e comissão técnica do Atlético-MG.

Questionado sobre o período no Médio Oriente, o atleta frisou que foi importante para sua carreira, e que durante todo este tempo ainda recebia o carinho da torcida atleticana, por meio de mensagens.

“Acredito que foi uma experiência muito boa para minha carreira. Não tenho nada do que reclamar da Arábia. Fui bem acolhido lá e fiquei muito feliz com minha volta ao Atlético-MG. Nesse tempo que fiquei fora continuei recebendo o carinho da torcida atleticana por meio de mensagens. E, agora, também, fui bem tratado pelos meus companheiros e comissão técnica”, finalizou.

Cruzeiro e Atlético-MG duelam nesta quinta-feira (11), às 20h (de Brasília), no estádio Mineirão.

VAVEL Logo