Em dívida com a Cedae, Botafogo sofre corte no abastecimento de água do Nilton Santos
Foto: Divulgação / BFR

Em dívida com a Cedae, Botafogo sofre corte no abastecimento de água do Nilton Santos

Na última terça-feira, o Alvinegro precisou até recorrer a ajuda de Carlos Augusto Montenegro, ex-presidente do clube

gabriel-de-oliveira
Gabriel de Oliveira Costa

Os três meses de contas atrasadas do Botafogo com a Cedae implicaram na última terça-feira (3) com o corte no fornecimento de água que abastecia o Estádio Nilton Santos. O Glorioso, que atravessa sérias dificuldades financeiras, necessitou solicitar ajuda ao antigo presidente e torcedor, Carlos Augusto Montenegro.

O ex-dirigente presidiu o Botafogo de 1994 até 1996. Durante seu mandato, o Alvinegro foi campeão brasileiro. Montenegro também é conhecido por ser fundamental no resgate da sede histórica do clube.

Pela segunda vez em 2019 o Botafogo sofre com cortes de fornecimentos. Em julho, foi com a luz, porém, o caso ocorreu em General Severiano. A situação financeira do Botafogo é tão delicada que nesta sexta-feira (6), vão completar dois meses de salários atrasados para jogadores e funcionários.

No entanto, oficializada no dia do corte de água, a concessão do Estádio Nilton Santos foi prorrogada até 2031, com aval de Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro. 

VAVEL Logo