Envergonhado
após goleada, Ceni releva fuga do rebaixamento como prioridade do Cruzeiro
Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Envergonhado após goleada, Ceni releva fuga do rebaixamento como prioridade do Cruzeiro

Bastante abatido, o treinador celeste descartou lutar por competição internacional, revelou principal motivo da revolta de Thiago Neves no meio da semana e confirmou mudanças na forma de jogar 

paulo-alfaro
Paulo Alfaro

Após eliminação para o Internacional no meio da semana, o Cruzeiro sofreu outra ampla derrota, na manhã deste domingo (8), para o Grêmio por 4 a 1. Os gols da equipe gaúcha foram de Everton (duas vezes), Alisson e Diego Tardelli, enquanto o único feito da Raposa foi de Fred, em penalidade.

Rogério Ceni confessou que estava envergonhado em ter que dar coletivo após o fim da partida. As expectativas diante do elenco renomado, era de uma possível lutar por competição internacional com o novo comandante, no entanto, o mesmo descartou a possibilidade e revelou o principal foco celeste.  

“A gente tem que parar de sonhar com essa coisa de Libertadores, nós temos que enfrentar a realidade. Em 2013 (pelo São Paulo), enfrentamos uma realidade que fugia do normal, costumeira - que era de brigar pelas primeiras posições. Nós temos que preocupar, realmente, em tirar o Cruzeiro da situação de rebaixamento para recomeçar o ano de 2020 de maneira melhor”.

Depois da eliminação contra o Internacional, Thiago Neves se mostrou incomodado com as improvisações feitas por Ceni, ocorrendo por consequência uma possível conversa da diretoria com o elenco.

“Desconheço qualquer conversa dos jogadores e a direção. Às vezes, o que aconteceu – acredito muito – na declaração do Thiago, foi porque ele viu um amigo no banco de reservas, o Edílson. Jadson foi a única improvisação, de resto, o time que jogou contra o Internacional foi o mesmo que jogou contra o Vasco e CSA. Todos conhecedores de sua posição”.

Ele ainda ressaltou inconformidade na forma como sua equipe vem sendo derrotada, tocando em assunto até no que refere à sua permanência.

“Se for para ficar, se for para continuar, eu preciso fazer alguma coisa de diferente, senão eu tenho que passar a vez para outra pessoa que tem uma mentalidade diferente para continuar”.

Os sete gols tomado em duas partidas foram suficientes para o técnico confirmar mudanças no conceito de jogo.

“Tentamos tudo que era possível dentro desta formação, de privilegiar o jogo. Hoje em dia, privilegiam a marcação em detrimento à construção do jogo, e talvez a maior mudança é no sistema de jogar, porque só uma mudança de atitude e mentalidade de jogo podem fazer o Cruzeiro sair desta situação”.

A Raposa terá a semana para trabalhar e rever os erros dos últimos jogos, antes de enfrentar o Palmeiras, no próximo sábado (14), fora de casa, às 19h, válido pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro.

VAVEL Logo
CHAT