Tite e Juninho explicam calendário e ranking para decidir jogos da Seleção
Lucas Figueiredo/CBF

Mês de outubro chegando, junto com ele vem a data Fifa. Na manhã desta sexta-feira (20), o técnico Tite convocou a Seleção Brasileira para os dois próximos compromissos amistosos, marcados para os dias 10 e 13, contra Senegal e Nigéria, respectivamente. Os jogos serão disputados em Singapura. 

Com sete atletas que atuam no futebol brasileiro, sendo dois do Flamengo (Rodrigo e Gabigol) e Grêmio (Matheus Henrique e Everton). O comandante da camisa canarinho explicou que toma cuidado, mas visando o período de eliminatórias precisa fechar uma equipe. 

"É desafiador ter bom senso. Eu procuro na minha vida profissional olhar os diferentes lados das situações para que todos possam ganhar. Nesse momento está a Seleção, estão clubes e estão atletas. O presidente Landim nos conhece muito bem, conhece o trabalho e nos acompanha. E sabe o quanto que a gente tem de cuidado quanto isso. Conciliar todos os fatores nesse ganha-ganha não dá, é impossível. Eu vi manifestação do Gabriel Barbosa de quanto teria de orgulho estar na seleção brasileira. Agora é o período de preparação, agora vai chegar período de Eliminatórias, Copa do Mundo e Copa América. Para formar essa equipe final, tenho que oportunizar".

A última fez em que o Brasil enfrentou uma seleção europeia foi na Copa do Mundo, na eliminação para a Bélgica. Tite revelou que calendário dificulta, e que tentaram com a Alemanha e não deu certo no fim.

"Isso cai em calendário, ela não permite. Alemanha propôs uma data, nós aceitamos. Ela propôs outra, nós aceitamos também. Quando propôs uma terceira, nós dissemos: não, não queremos mais".

Coordenador de futebol da CBF, Juninho Paulista informou que existe uma cronograma de times ranqueados para se enfrentar, quando isso não acontece, o número cai.

"Nós tentamos manter essa linha de sempre enfrentar os 20 melhores ranqueados. Quando não, seguimos para os 50 melhores. E excepcionalmente jogamos contra seleções abaixo disso".

Em relação aos times afetados pelo calendário, Tite frisou a necessidade de formar um grupo competitivo e sempre procura olhar a situação.

"Existe outro lado da questão, que é o lado da convocação da seleção brasileira, que têm que entregar desempenho e resultado. Fomos campeões da Copa América e quinto no Mundial, precisamos entregar resultado. Estou tendo o máximo de bom senso. O calendário é muito mais decisivo numa competição de Copa do Brasil do que numa competição de pontos corridos. Há controvérsias, há situações que podem ser defendidas das duas partes. Cada um busque a situação que achar melhor".

Já Juninho destacou que essas questões irão mudar no próximo ano, pois não terá nenhuma partida em datas Fifas.

J"A gente teria que lidar com esses problemas durante esse ano. No ano que vem, nosso presidente disse na posse que isso não irá acontecer, jogos da Seleção durante jogos da Copa do Brasil e do Brasileiro. Isso já está resolvido, vamos ter que lidar com esse problema somente mais esse ano".

VAVEL Logo