Técnico do Figueirense admite superioridade de Bragantino e cita continuação de trabalho 
Luiz Henrique / Figueirense Oficial

Com um começo de semana conturbado, marcado por crises e a ameaça de abandonar o torneio, o Figueirense enfrentou o Bragantino nesta terça-feira (24) em casa, no Orlando Scarpelli, pela 24ª rodada da Série B do Brasileiro. Mesmo superado pelo placar de 3 a 0, a torcida catarinense compareceu e fez uma grande festa, sendo o maior público do ano.

Em entrevista coletiva, o técnico do Figueira, Márcio Coelho, admitiu erros e a superioridade do rival paulista em cima do time da casa. Citou como principal dificuldade a capacidade na hora da finalização e em jogadas.

"Tomamos três gols pela qualidade do adversário. Em um momento onde o jogo estava bem igual, eles tiveram duas oportunidades e as duas muito parecidas, foram muito competentes e acabaram fazendo com que o primeiro tempo fosse, apesar de, ao meu entender, não ter sido tão diferente, apesar de terem posse de bola maior, a gente teve algumas oportunidades de chegar e não tivemos a mesma competência para finalizar que eles. O terceiro gol foi uma bola parada, gol que já tomamos contra o Brasil de Pelotas, é algo que a gente precisa corrigir. A partir do terceiro gol se definiu o jogo".

Efetivado para o time principal, Márcio falou sobre a pressão de assumir um clube em crise e que luta para sobreviver na segunda divisão. 

"Sentimento de total confiança. Eu já estou aqui tem 10 anos, já passei por muita coisa. As pessoas perguntam se eu estou preparado ou não. O que vai dizer se eu estou preparado ou não são os resultados. A gente está vivendo uma situação complicada e precisamos reverter essa questão de resultado, mas vai se reverter, não de qualquer maneira, e sim com trabalho. Tem que trabalhar, corrigir muitos detalhes. Infelizmente o calendário é apertado, a gente não vai ter tempo para treinar contra o Atlético-GO mas é tentar corrigir com vídeo e com conversa para tentar chegar lá e não cometer os mesmos erros. Eu acredito no grupo".

Mesmo com a derrota, o assunto da noite foi a festa da torcida, com quase 13 mil torcedores nas arquibancadas. 

"São dez anos aqui. Vendo a torcida, toda a atmosfera e tudo que foi criado, fazendo o que fez e a gente, infelizmente, com o resultado de três a zero, o sentimento é de frustração. Mas ao mesmo tempo queria dizer que senti orgulho do que aconteceu. Mais uma vez o Figueirense e a torcida estão de parabéns. Maior público do ano, aplaudiu a gente do início ao fim. Essa é a energia, atmosfera. Esse apoio vai ser fundamental para que na trigésima oitava rodada a gente alcance o nosso objetivo que é a permanência na Série B o mais rápido possível. A gente sabe das dificuldades, o que a gente vai enfrentar contra os adversários fortes".

O Figueirense é o último colocado, com 23 pontos na conta. Na 25ª rodada da Série B, visita o Atlético-GO, no Antônio Accioly, na sexta-feira (27), às 21h30. 

VAVEL Logo