Após mais uma derrota, técnico do Figueira fala em 'resistência e resiliência' para próximas rodadas
Foto: Luiz Henrique / Figueirense Oficial

Diante de uma crise nos bastidores e correndo risco de ser rebaixado, o Figueirense tropeçou mais uma vez na Série B do Brasileiro. Na noite desta sexta-feira (27), o time catarinense perdeu por 2 a 0 para o vice-líder Atlético-GO no Estádio Antonio Accioly, em Goiânia, pela 25ª rodada.

O técnico Márcio Coelho falou sobre a partida e também sobre o lance do gol invalidado no segundo tempo, situação que poderia alterar o cenário do jogo.

"A gente tinha uma ideia de jogo de tentar levar o primeiro tempo de uma maneira um pouco mais controlada, mas infelizmente o gol aos quatro minutos acabou transformando bem. Tentamos alterar algumas questões, mas fizemos um primeiro tempo terrível, muito influenciado pelo gol logo no início, uma falha individual e a equipe não se encontrou. Acertamos, conversamos algumas coisas no vestiário, fizemos algumas trocas que eu acho que acabaram surtindo efeito. Tivemos um gol que, não vou entrar no mérito mas com 21 minutos, se a gente faz um gol, eu acho que a história poderia ser diferente, a gente teria um bom tempo para tentar reverter a situação. A equipe do Atlético ia entrar em uma zona de desconforto que não aconteceu o jogo inteiro."

A crise vivida pelo clube nos últimos dias foi pauta da entrevista coletiva. Em reposta, Márcio avaliou o peso da situação e relembrou a importância de manter os pés no chão.

"A avaliação ela tem que ser mais ampla. Claro que as questões extra-campo e toda essa rotina que a gente viveu durante esses últimos meses mexe mais com o emocional, mas eu não fico pautando desculpa não. A gente tem que ter resistência e resiliência para suportar as pressões seja de um adversário forte, como o Bragantino, e um fora de casa. Se quer sair dessa situação a gente vai ter que superar essas adversidades e deixar para trás toda essa questão psicológica, emocional e tentar canalizar todas as energias para poder fazer o nosso melhor dentro do campo, resistir com intensidade, bravura, coragem e com resultado. Não adianta não ter desempenho, não ter situação de qualificação para fazer gol."

Para o próximo jogo, o comandante fala sobre a importância de alterações em campo e garante que pretende fazer diferente daqui para frente.

"Fica evidente a necessidade de mudança. E é isso que a gente ta tentando construir nestas três últimas rodadas. É alterar a forma, mexer de alguma maneira. Algumas coisas não estão funcionando, a gente já tem clareza de situações e as mudanças vão ocorrer."

Com o resultado, o time catarinense segue em último na tabela, com 23 pontos. O Figueira recebe o Oeste no Orlando Scarpelli na próxima sexta-feira (04), às 19h15, pela 26ª rodada. 

VAVEL Logo