Marcão desconversa sobre efetivação, explica Ganso capitão e elogia elenco: "Grandiosos"
Divulgação / Fluminense

Após semana conturbada, com a demissão de Oswaldo de Oliveira e invasão dos torcedores no CT, o Fluminense voltou a vencer no Campeonato Brasileiro, após ganhar de 2 a 1 do Grêmio. O auxiliar Marcão foi o responsável por ficar à beira do campo comandando a equipe. O treinador interino falou durante coletiva que seu principal objetivo foi motivar a equipe e se esquivou do assunto sobre uma possível efetivação.

“Sou funcionário do clube. Agradeço ao presidente Mário e ao doutor Celso mais uma vez pela confiança, em confiar no nosso trabalho e na comissão técnica, eu, Ailton, Edvaldo e o estafe todo. Nos tornamos um só hoje. Todos que torcem muito por esses meninos, que acompanham o dia a dia deles. E o resultado não poderia ser outro.”

Marcão comentou sobre a pressão de assumir o tricolor e destacou que esta sempre preparado para assumir a responsabilidade.

“Sobre estar preparado, quando você trabalha no Fluminense, você tem que estar preparado. O presidente, desde que entrou, disse que só colocaria pessoas que estão capacitadas. Estudamos bastante, tenho feito algumas viagens, converso bastante com Thiago Silva, Marcelo, eles dão referência do que acontece no jogo”

Uma escolha do comandante para este jogo chamou a atenção de todos. Ganso foi o escolhido para ser capitão do time que foi a campo. O meia protagonizou cenas lamentáveis na quinta-feira, com Oswaldo de Oliveira, ao chamá-lo de burro após der substituído pelo ex-treinador, na partida entre Fluminense x Santos, que terminou empatada por 1 a 1. O camisa 10 já havia sido capitão sob o comando de Marcão, no duelo da Sul-americana, contra o Corinthians. O zagueiro Digão, que costumava ser o capitão com Oswaldo e com Fernando Diniz, estava suspenso para o jogo de hoje.

"Ganso tem total consciência de tudo o que aconteceu, da responsabilidade que estava nas suas costas. Conversamos. Foi uma conversa leve, sincera e transparente, que iríamos precisar dele. Ele se colocou à disposição da gente e da instituição. Dentro de campo nos respondeu muito bem, fez uma grande partida. Foi o Ganso que queremos. Com responsabilidade, comprometido a tudo que pedimos."

A invasão ocorrida às vésperas do jogo contra o tricolor gaúcho também foi tema da coletiva de Marcão, que preferiu destacar a superação dos seus jogadores após as cobranças.

“Ficamos em uma posição que não dava para ser diferente. Realmente não esperávamos. Teria uma conversa naquele setor. Tivemos que ter calma. Os jogadores foram calmos. A situação foi difícil, mas não teve agressão a ninguém. Acalmamos todos os ânimos. Já que eles estavam ali, eles conseguiram passar o que queriam, recebemos. Depois tivemos que treinar. Baixou a adrenalina. E treinamos para esse jogo de tamanha importância. Por isso enfatizo tudo o que esses meninos passaram e sofreram para estar hoje aqui dentro de campo e apresentar o que apresentaram. Foi grandioso.”

O Fluminense volta a campo no próximo domingo, onde terá pela frente o clássico "Vozão" contra o Botafogo, às 16h, no Estádio Nilton Santos, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

VAVEL Logo