Marlone não apoia arbitragem, mas evita críticas: "Tecnologia está aí para isso"
Foto: Reprodução/Goiás EC

A noite não foi boa para o Esmeraldino no Rio de Janeiro. Detentor do rótulo de único time 100% no segundo turno, o Goiás chegou ao Nilton Santos para tentar a quarta vitória seguida, dessa vez contra o Botafogo. Mas nada deu certo em solo carioca. Gabriel (32'), João Paulo (65') e Leonardo Valencia (81') balançaram as redes de Tadeu; Marcelo Benevenuto ainda marcou contra, pró-Verdão, aos 76'. Assim, o placar de 3 a 1 para o Glorioso não foi tão criticado pelo técnico Ney Franco.

Marlone entrou no segundo tempo e acabou tendo participação direta em um dos lances capitais. Michael balançou as redes depois de tabela com Rafael Moura, no entanto o gol foi anulado após análise do VAR. O árbitro marcou toque de mão do meia na origem da jogada.

Na saída de campo, Marlone analisou a partida e esse lance em específico. De acordo com o atleta, o toque pode ter acontecido, porém sem intenção. Ele também lamentou a derrota por 3 a 1 e a decisão da arbitragem, mas evitou críticas ao VAR.

"O Botafogo estava chegando só na bola parada. Acho que a gente falou isso no vestiário, que a forma deles chegarem seria na bola parada. Acabaram fazendo um gols assim. Falei com o árbitro que não tive intenção nenhuma de botar a mão na bola, mas é mérito do VAR também. Tecnologia está aí para isso", contou Marlone.

"Tirando isso, a gente buscou, chegou a fazer gol. Foi só no último detalhe que realmente a gente descuidou. Eles cresceram no nosso erro, mas faz parte. Pela entrega do grupo, não desistimos, buscamos o tempo todo e criamos. Agora é pensar no próximo jogo", disse.

Ainda com 33 pontos, o Goiás está em 10º lugar, cinco pontos atrás do Internacional, que fecha o G-6. Na próxima rodada, o adversário do Esmeraldino é o CSA, em Goiânia, às 17h do sábado (12).

VAVEL Logo