Com Wellington Paulista decisivo, Fortaleza vira sobre Grêmio e se distancia do Z-4
Artilheiro e decisivo, Wellington Paulista fez um gol e deu assistência para Osvaldo garantir a virada sobre o Grêmio. (Foto: Divulgação/Fortaleza E.C.)

Após duas derrotas consecutivas, o Fortaleza superou o time alternativo do Grêmio por 2 a 1, de virada, com gols de Wellington Paulista, que chegou ao seu 10º gol na Série A, e Osvaldo, ambos no primeiro tempo, na Arena Castelão, em partida válida pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gaúchos saíram na frente com gol do zagueiro Paulo Miranda. Com o resultado, o time do técnico Rogério Ceni, que completou 100 jogos a frente do Leão, chegou aos 31 pontos, indo para a 13ª posição, abrindo cinco pontos para o Z-4. Já o Imortal, pensando na partida diante do Flamengo, pela volta da semifinal da Libertadores, na próxima quarta-feira (23), às 21h30, no Maracanã, estaciona nos 41 pontos, segue na 7ª posição e pode cair para a 9ª colocação ao término da rodada. 

O roteiro desenhado para a partida no Castelão indicava clima de extrema confiança por parte do Fortaleza, em que pese vir de apenas duas vitórias e cinco derrotas no returno da competição e dois resultados negativos consecutivos diante de Vasco e Flamengo. O clube havia comemorado 101 anos de história no dia 18 de outubro, e Rogério Ceni comemorava 100 partidas a frente do Tricolor do Pici. São 54 vitórias; 18 empates e 28 derrotas. Além, é claro, de três títulos conquistados (Série B do Brasileiro 2018; Campeonato Cearense 2019 e Copa do Nordeste 2019). 

Pelo lado gremista, uma equipe alternativa foi mandada a campo em função de a prioridade estar direcionada para o decisivo duelo da próxima quarta-feira, frente o Flamengo, pela Libertadores. Os gaúchos precisam vencer o jogo ou empatar a partir de dois gols. A igualdade sem gols dará classificação à final da competição continental ao rubro-negro carioca. 

Todavia, se engana quem acreditou em facilidade. Logo aos dois minutos de partida, o lateral-esquerdo Juninho Capixaba tabelou com o polivalente Thaciano, chegou ao ataque, mas acabou desarmado. Na sequência da jogada, o volante Michel aproveitou a sobra e arriscou para o gol, a bola foi para fora. 

Aos 8´, quando Osvaldo tentou dominar de cabeça, perdeu a passada e a bola acabou resvalando em seu braço o árbitro marcou falta e, por muito pouco, não foi dentro da área, o que seria pênalti. Na cobrança da falta, aos 9 minutos, o lateral-direito Rafael Galhardo, muito contestado pelo torcedor gremista, achou o zagueiro Paulo Miranda, que se antecipou a Paulão e mergulhou para finalizar de cabeça para o fundo das redes de Felipe Alves. Falha geral da defesa leonina na bola aérea, uma das especialidades do time do técnico Renato Gaúcho

Quando o Fortaleza acordou e passou a controlar as ações na partida veio uma soberania cearense no primeiro tempo. Aos 16 minutos, a primeira grande chegada do Leão, quando o volante Felipe aproveitou a sobra de Wellington Paulista, dominou com a perna direita e finalizou de canhota por cima do gol defendido pelo jovem arqueiro Phelipe. Dois minutos mais tarde, o atacante Romarinho superou marcação de Galhardo, subiu em velocidade e descolou passe  para Osvaldo, que arriscou chute cruzado, mas acabou interceptado pelo zagueiro David Braz. A equipe gaúcha tentava fechar as linhas de passe do time cearense, que não conseguia acelerar no último terço do campo. Romarinho, baixa nas últimas partidas, aparecia como alternativa mais presente no campo ofensivo dos mandantes. 

Após bola mal afastada pelo lateral-esquerdo Juninho Capixaba, Edinho aproveitou e finalizou para a primeira defesa de Phelipe na partida. Contudo, o time de Rogério Ceni seguia errando o famigerado "último passe" para deixar os homens de frente em boas condições de empatar o duelo. 

Em má fase, o atacante André recebeu cartão amarelo após chegada dura no meio-campista Juninho. O avante estava pendurado e não enfrenta o Botafogo, no próximo domingo (27), às 16h, na Arena gremista, pela 28ª rodada do Brasileirão. 

Em jogada seguinte, Carlinhos tentou afastar de bicicleta e quase acertou a cabeça de André. Pelo lance, o lateral recebeu cartão amarelo. A partida ganhava contornos tensos no Castelão. 

Iluminado e carrasco do Imortal 

Embora controlasse as ações e com superioridade na posse de bola, ainda faltava maior contundência na fase ofensiva. Foi aí que veio o empate. Autor dos últimos sete gols dos 13 marcados pelo Fortaleza no campeonato, Wellington Paulista alcançou a marca de 10 gols no Brasileiro. Terceiro na lista dos maiores goleadores na atual competição nacional. Empatado em tentos marcados ao lado de Eduardo Sasha (Santos) e Arrascaeta (Flamengo). Atrás somente de Gabriel (Flamengo), que lidera a artilheira isolada com 19 gols; Gilberto (Bahia) que já foi às redes em 11 oportunidades e Bruno Henrique (Flamengo), com os mesmos números do atacante da equipe baiana. 

O lance do tento de empate se deu com cruzamento de Romarinho vindo da esquerda de ataque, aos 34´, Wellington se antecipou ao zagueiro David Braz e concluiu com extrema perícia de direita para dar números iguais ao jogo. Verdadeiro faro de artilheiro do camisa 9. 

Wellington Paulista é acostumado a balançar às redes diante do tricolor gaúcho. Contra o Grêmio, ao todo, são 20 jogos disputados, cinco gols marcados pelo Cruzeiro; dois vestindo as cores do Criciúma e um pelo Fortaleza. São oito gols marcados quando o oponente é o Imortal do Rio Grande do Sul. 

A virada ainda viria no primeiro tempo. Aos 40 minutos, Wellington Paulista, agora em papel de garçom, aberto pela direita, cruzou com lucidez, a bola atravessou toda a área gremista e encontrou Osvaldo, de frente para Phelipe, assinalar o tento da virada no Castelão. O atacante cearense foi completamente esquecido por Rafael Galhardo na jogada. A torcida agradeceu e foi ao delírio com a reviravolta no placar em questão de seis minutos. Eram oito jogos de seca do atacante, que reencontrou o caminho das redes em partida fundamental visando as pretensões leoninas. 

Exercendo papel de liderança e com números expressivos para a campanha de manutenção do Tricolor de Aço na primeira divisão, ao final da primeira etapa, o capitão e artilheiro leonino reuniu os companheiros antes da descida para o vestiário e passou instruções. 

Tricolor gaúcho melhora 

Na volta para o segundo tempo, o time de Renato Gaúcho voltou mais ligado, adiantando a marcação, passando a ter mais a bola e levando perigo nos minutos iniciais. 

Logo aos 8 minutos da etapa derradeira, o hábil e veloz atacante Pepê, autor do tento da vitória gremista sobre o Fortaleza no primeiro turno por 1 a 0, passou entre o zagueiro colombiano Quintero e Felipe, ainda conseguiu chegar antes da marcação de Paulão e obrigou Felipe Alves a realizar intervenção providencial. Belíssima jogada individual do vice-artilheiro do time gaúcho no Brasileiro, com cinco gols assinalados, somente atrás de Everton "Cebolinha", que tem oito tentos convertidos na competição. 

Após ter realizado grande partida na derrota para o Flamengo, o meio-campista Nenê Bonilha ingressou no jogo aos 15 minutos. Rogério Ceni optou pela saída de Edinho. 

Renato responderia minutos depois. Duas alterações para buscar a vitória. Foi assim que Renato Portaluppi procedeu ao colocar o jovem meia Patrick na vaga do volante Michel, e Everton Cebolinha, cearense de Maracanaú revelado nas categorias de base do Fortaleza, no lugar de André, apagado na jornada. Luciano passava a ser a referência no ataque do tricolor gaúcho, tendo Pepê e Everton abertos explorando a velocidade. Patrick na articulação das jogadas e Thaciano auxiliando Rômulo mais recuado. 

E o talento cearense não se intimidou ao enfrentar seu time de infância. Everton, em jogada individual pela esquerda, chamou dois marcadores para dançar e fuzilou no cantinho de Felipe Alves, que realizou mais uma grande defesa. A melhora do Grêmio era flagrante e encurralava o Tricolor do Pici. 

Com esperada queda física em função das ausências nas últimas partidas, aos 24´, Romarinho foi substituído e em seu lugar entrou Marlon, outro atleta que realizou partida de destaque mesmo na derrota cearense diante do Flamengo por 2 a 1. Já na vaga do volante Felipe, Ceni mandou a campo Kieza, atacante bastante contestado pelo torcedor e que ainda não se firmou com a camisa leonina. E o atleta foi responsável pela primeira defesa do arqueiro Phelipe na etapa complementar, em chute rasteiro de fora da área, aos 30 minutos. A torcida, que estava ansiosa, ficou com o grito de gol entalado na garganta. Kieza ainda conseguiria ótima jogada individual sobre Paulo Miranda, mas novamente pecaria no último passe. 

Aos 33´, Renato Gaúcho mandou a campo mais um titular quando tirou Luciano para a entrada de Diego Tardelli. A busca pelo G-6 é uma das metas dos gaúchos, mesmo com foco principal na Libertadores. A grande oportunidade viria pelos pés do volante Rômulo, que isolou após bola alçada na área por Patrick. 

Ainda daria tempo para Rafael Galhardo ser expulso após receber cartão amarelo, reclamar acintosamente com o árbitro e levar o vermelho. A equipe gaúcha terminaria com um a menos no Castelão. Enquanto isso, a torcida cearense protagonizava um verdadeiro espetáculo nas arquibancadas. Comemoração um dia após aniversário do clube de 101 anos, marca histórica de 100 jogos de Rogério Ceni no comando da equipe e distanciamento da zona do rebaixamento.

Agora, o Leão se prepara para dois confrontos, longe de seus domínios, e considerados diretos pela permanência na Série A. No próximo sábado (26), Rogério Ceni vai reencontrar seus ex-comandados em duelo diante do Cruzeiro, às 21h, no Mineirão, pela 28ª rodada.  No enfrentamento seguinte, o Tricolor de Aço medirá forças com o Avaí, na quarta-feira (30), às 19h30, na Ressacada. 

MEDIA: 5VOTES: 4
VAVEL Logo