Renato Gaúcho critica defesa do Grêmio, mas exalta: "Sempre vou defender meu grupo"
Foto: Reprodução/Conmebol

 Metade do Rio Grande do Sul está de luto nesta quinta-feira (24). Depois da goleada histórica de 5 a 0 sofrida na noite anterior para o Flamengo, o Grêmio sai da Copa Libertadores de cabeça baixa. Derrotado também está Renato Gaúcho, que sucumbiu à equipe de Jorge Jesus.

Após a partida, o técnico gremista concedeu entrevista coletiva. Nela, o técnico gremista afirmou que não vai ser o revés para o Rubro-Negro que apagará a reputação do clube gaúcho nos últimos três anos. E ele também falou que essa mentalidade de "desvalorização" é uma característica do futebol brasileiro.

"Até ontem o Grêmio era um timaço, supergrupo. Eu sempre vou defender meu grupo. Já estou acostumado com o futebol brasileiro, em qualquer lugar, eu vejo nos outros clubes também. Por mais que forte que se tenha um grupo, quando você não ganha, ninguém é bom. Infelizmente, aqui no Brasil, só é bom quem ganha. E nem todo mundo vai ganhar, porque para alguém ganhar, outro tem que perder."

"Uma mulher grávida faria gol no Grêmio."

Dos cinco gols sofridos no Maracanã, quatro foram oriundos de bolas paradas. Além deles, o sistema defensivo do Tricolor permitiu o Fla finalizar 15 vezes, 10 ao gol. Renato ainda assumiu as falhas da defesa nos lances dos gols adversários. Mesmo assim, o treinador exaltou o fato de o Grêmio ter ido firme em três competições diferentes até pouco mais de um mês atrás.

"Tomamos cinco gols em cinco falhas nossas. Jogamos muito abaixo. Hoje, se bobear, uma mulher grávida faria gol no Grêmio. Todas as chances nós que demos ao Flamengo. Gostaria de lembrá-los que um mês atrás o Grêmio era o time que estava disputando três competições. Jogou duas até hoje. O Grêmio é ruim? O que falar dos outros então?"

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Renato Gaúcho explicou o motivo de não ter cumprimentado Jorge Jesus. Para ele, por estar de cabeça quente, foi melhor ir para o vestiário. No entanto, falou que deu um abraço no português antes do jogo.

"Antes de começar o jogo eu falei com ele, eu cumprimentei ele. A gente se abraçou. Depois do jogo tem hora que é melhor você ir para o vestiário, como foi hoje. Mas isso não tira o excelente trabalho dele, por eu não ter um abraço nele, isso acontece em outros jogos também. Tem treinadores que no início nem se cumprimentam também. Faz parte, mas no momento, como hoje, cabeça meio quente, melhor ir para o vestiário."

LEIA MAIS: Rouco, Jorge Jesus admite ‘sonho’ em classificação e parabeniza Grêmio

Agora os gremista têm que concentrar o foco apenas no Campeonato Brasileiro. O primeiro desafio pós-eliminação da Liberta é o Botafogo, às 16h do próximo domingo (27).  Atualmente em sétimo, com 41 pontos, o G-4 está perto o Grêmio, pois o São Paulo, quarto colocado, tem 46.

VAVEL Logo