CSA bate Corinthians pela primeira vez na história e segue vivo contra rebaixamento
Foto: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

Foram 36 anos sem o torcedor do CSA comparecer para assistir a um jogo da equipe contra o Corinthians. A noite desta quarta-feira (30) reservou emoções que o azulino não sentia antes, apenas aqueles que viram o escrete histórico liderado por Rommel, Jacozinho, Dentinho. Porém, nem o mais antigo adepto, nem aquele que foi ao Estádio Rei Pelé para uma experiência única tinha visto Alagoas levar a melhor. Tinha, porque o Azulão do Mutange quebrou mais um tabu e fez da massa aliada para a sobrevivência. Em jogo válido pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A 2019, o clube venceu por 2 a 1. Apodi e Ricardo Bueno marcaram os gols do triunfo, enquanto Pedrinho, alagoano e cria do CSA, descontou ao Timão.

Foi a primeira vitória azul e branca na história do confronto. A situação permanece bastante complicada, mas a rodada tem ajudado para se manter na luta para permanecer na elite do futebol brasileiro por mais uma temporada. O clube ocupa o 17º lugar, com 29 pontos, e acumula sete jogos sem ser derrotado em casa – empates contra Cruzeiro e Atlético-MG, além de vitórias contra Chapecoense, Ceará, Avaí, Internacional e agora contra o Corinthians. Por outro lado, o Timão segue em queda livre, sem vencer há sete rodadas e fora da zona de classificação para a Taça Libertadores da América de 2020. O Alvinegro está na sétima colocação, com 46 pontos.

Os times voltam a entrar em campo no domingo (3). O Corinthians tem páreo complicadíssimo ao enfrentar o líder e virtual campeão Flamengo no Maracanã, no Rio de Janeiro/RJ, às 16 horas. Um pouco mais tarde, às 18 horas, o CSA também tem duelo de bastante dificuldade ao medir forças contra o Athletico Paranaense na Arena da Baixada, em Curitiba/PR.

Apodi de um lado, Pedrinho do outro

Nos primeiros minutos, o CSA esperou o Corinthians mostrar o seu repertório. Como não tinha nada a oferecer, o que se viu na primeira parte da partida foi algo assombroso de ver, longe de indicar uma partida da elite do futebol nacional. Troques de passes para os lados ou para trás e pouca criatividade. Os donos da casa não passavam do meio de campo, enquanto os visitantes se limitavam apenas à intermediária.

Com o tempo, o Azulão do Mutange viu que poderia ser mais arisco e usar o campo como recurso favorável. Aos 12 minutos, Euller cruzou nas costas da defesa para Ricardo Bueno, que não conseguiu completar como deveria. Aos 24, o espaço na defesa foi determinante para a abertura do placar. João Vitor rebateu passe de Sornoza e Jonathan Gómez foi acionado. O meia deu passe em velocidade para Apodi vencer Fagner e finalizar no canto direito de Cássio.

Os alagoanos se contentaram com a vantagem e não atacaram mais. A prioridade era a marcação e os comandados de Argel Fucks passaram a falhar, dar espaços. Ainda assim, o Timão era bastante tímido. O primeiro chute veio aos 35 minutos, mas Pedrinho mandou sem direção.  Nove minutos depois, o maceioense acertou o alvo. Clayson recebeu em lateral por trás da defesa, cruzou, a defesa cortou mal e o camisa 35 aproveitou o espaço para encher o pé e igualar o marcador.

Ricardo Bueno fez a diferença

O Corinthians deu a falsa impressão de que seria dominante no segundo tempo com a entrada de Mateus Vital. Logo aos três minutos, o camisa 22 recebeu com liberdade dentro da área e bateu cruzado, à direita de João Carlos. Aos oito, foi a vez de Clayson acionar Pedrinho pelo lado esquerdo, mas o cruzamento foi fraco e João Carlos fez a defesa. Insatisfeito com o desempenho da equipe, Argel Fucks promoveu a entrada de Jean Cléber. E, a partir dos 16 minutos, os donos da casa voltaram ao jogo.

A primeira finalização azulina foi de Jonathan Gómez e fraca, mas mostrou que o CSA ia partir para cima e o empate não seria um resultado que o grupo iria se agradar. Héctor Bustamante também voltou a jogar com a característica velocidade pelo lado direito. Ricardo Bueno resolveu arriscar, mas mandou por cima.

O Corinthians voltou a levar perigo quando Janderson entrou em campo. Em cobrança de lateral executada por Danilo Avelar, Gustavo Henrique tocou para o meio e Pedrinho finalizou travado com Euller. Minutos depois, em cobrança de escanteio pelo lado direito, Fagner alçou na área e Danilo Avelar desviou de cabeça e tirou tinta. Na jogada seguinte, o lance determinante.

Bustamante avançou e tentou emendar cruzamento, mas Ralf cortou. No escanteio, Celsinho mandou na cabeça de Ricardo Bueno, que cabeceou como exige de um centroavante. Nos minutos finais, o Azulão do Mutange contou com a festa do torcedor e a euforia para manter a posse de bola e não levar perigo. Entregue e abatido do início ao fim, o Timão sucumbiu à dedicação maruja.

VAVEL Logo