Em boa fase no Brasileiro, Athletico-PR visa G-6 ao enfrentar CSA
Foto: Reprodução/CAP

A vitória contra o Corinthians foi de um ânimo inestimável para o CSA. A equipe azulina fez valer o mando de campo e superou um adversário superior em vários aspectos e permaneceu firme na intensa luta contra o rebaixamento. Embora não tenha deixado a zona da degola, os alagoanos manifestam confiança de que é possível buscar resultados sequencialmente positivos para permanecer na elite do futebol brasileiro. Na noite deste domingo (3), tem mais um confronto de muita dificuldade. Às 18 horas, o time marujo entra em campo para enfrentar o Athletico Paranaense na Arena da Baixada, em Curitiba/PR, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A 2019.

O alto nível do adversário, campeão da Copa Sul-Americana 2018 e da Copa do Brasil 2019, com vaga garantida na Taça Libertadores da América de 2020, já atingiu as principais metas na temporada, mas deseja terminar o ano em alta para coroar outra jornada histórica, com os maiores títulos da história do Furacão. No momento, os rubro-negros estão na oitava posição, com 43 pontos e, a depender dos resultados da rodada, pode ficar entre os seis primeiros colocados.

Do outro lado, o Azulão ocupa a 18ª colocação, com 29 pontos, a três do Cruzeiro, primeira equipe fora da zona de rebaixamento. Para sair da incômoda situação nesta rodada, o clube precisa obter sua segunda vitória como visitante em toda a competição e torcer para derrota da Raposa. Porém, para obter êxito na Arena da Baixada, precisa quebrar mais um tabu. Em cinco jogos, foram três vitórias atleticanas e dois empates. No último confronto, disputado no mês de julho, o Furacão goleou por 4 a 0, mesmo com reservas.

Modificações forçadas para permanecer em alto nível

O Athletico Paranaense vive outra temporada dos sonhos. O torcedor rubro-negro vê o time se agigantar ainda mais no cenário nacional e conquistar títulos que equipes consideradas superiores jamais conquistaram, como a Copa do Brasil, vencida diante do Internacional nas duas partidas. O técnico Tiago Nunes segue a acumular feitos históricos junto com a equipe e atinge mais um nesta noite. Serão 86 jogos à frente do banco de reservas, o que iguala o antecessor Paulo Autuori. Até agora, são 42 vitórias, 19 empates e 24 derrotas. Com a disputa no Campeonato Paranaense 2018 com o Sub-23, são 103 jogos ao todo, com 53 triunfos, 24 empates e 26 derrotas. No Brasileirão, foi apenas uma derrota sofrida nos últimos dez jogos.

Foto: Miguel Locatelli/Athletico
Foto: Miguel Locatelli/Athletico

São três desfalques e duas dúvidas para a partida contra o CSA. O lateral-direito Jonathan segue em recuperação de um edema no joelho, o zagueiro Lucas Halter continua em tratamento de dores na coxa e o volante Léo Cittadini permanece com dores no joelho e deve ser poupado. As condições duvidosas são do lateral-esquerdo Adriano, substituído no empate contra o Internacional; se não jogar, Márcio Azevedo entra de primeira. No ataque, Nikão e Marcelo Cirino disputam por uma vaga. O treinador afirma que a vitória é fundamental pela honra e para comprovar que os títulos não foram conquistados por acaso.

“Estamos nos esforçando muito para cumprir este objetivo do clube e também para representar muito do que a gente conquistou este ano. Pode conquistar uma competição de mata-mata e ser circunstancial. Mas, quando consegue ter uma temporada muito regular, atuando em ótimo nível contra equipes internacionais, como River Plate e Boca Juniors, e jogando um Brasileirão em altíssimo padrão, mostra que não foi por acaso que as conquistas vieram”, afirmou Tiago Nunes.

Titulares repetidos, resultado também?

Os efeitos do triunfo do CSA sobre o Corinthians não foram mais comemorados pelo pouco tempo entre o jogo do meio de semana e a partida deste domingo (3). Como lição, o fato de que a equipe apresentou muita dedicação e entrega, além do técnico Argel Fucks estar em um dia bom e sua estratégia para a partida ter funcionado da maneira como tinha imaginado. O Azulão do Mutange precisa melhorar os números como visitante se pensa em permanecer na elite. A comissão técnica trabalha com mais cinco vitórias em nove jogos, mas a equipe só venceu uma partida longe de Maceió. Vencer o Athletico é de tamanha importância.

Foto: Matheus Pimenta/RCortez/CSA
Foto: Matheus Pimenta/RCortez/CSA

Para obter novo resultado positivo, os titulares serão mantidos. Não viajaram para o Sul do Brasil o goleiro Jordi, o lateral-esquerdo Carlinhos e o volante Naldo, todos no departamento médico. O atacante Bruno Alves também permaneceu na capital alagoana por ter seus direitos vinculados ao Furacão e não poder entrar em campo por questões contratuais. O volante Dawhan, substituído contra o Timão e ausente dos treinos realizados no Mutange com dores no tornozelo, tem condições totais de jogo e será escalado como titular. Argel Fucks afirmou que, embora o CSA permaneça na zona de rebaixamento, o time está vivo e vai lutar até o fim para permanecer entre as 20 melhores equipes do Brasil.

“Não fizemos mais do que a nossa obrigação, que é ganhar um jogo em casa. Temos mais quatro jogos em casa, precisamos ganhar em casa e precisamos ganhar fora. O campeonato é muito difícil, mas nós estamos vivos no campeonato. Se existe um time que vai lutar até o último minuto pela permanência, esse time é o CSA e a gente está merecendo”, declarou Argel.

_________________________________________________________________________

Athletico Paranaense – Santos; Madson, Thiago Heleno, Léo Pereira e Adriano (Márcio Azevedo); Camacho, Bruno Guimarães e Bruno Nazário; Nikão (Marcelo Cirino), Rony e Marco Ruben. Técnico: Tiago Nunes.

CSA – João Carlos; Celsinho, Alan Costa, Luciano Castán e Euller; Dawhan, João Vitor, Jonathan Gómez e Apodi; Ricardo Bueno e Warley. Técnico: Argel Fucks.

Arbitragem de campo – Sávio Pereira Sampaio (CBF/DF), auxiliado por Daniel Henrique da Silva Andrade (CBF/DF) e por José Reinaldo Nascimento Júnior (CBF/DF), com Leonardo Ferreira Lima (CBF/PR)

Arbitragem de vídeo (VAR) – Carlos Eduardo Nunes Braga (CBF/RJ), auxiliado por João Batista de Arruda (CBF/RJ) e por Neuza Inês Back (FIFA/SP)

VAVEL Logo