Luxemburgo cobra atitude do Vasco para 2020: "Não pode brigar para não cair todo ano"
Foto: Reprodução/Vasco

Desde sua chegada ao Vasco, o técnico Vanderlei Luxemburgo sempre bateu na tecla de manter o cruz-maltino na série A. Após o empate por 1 a 1 com o Goiás, em São Januário, nesta segunda-feira (18), seu time chegou aos 44 pontos e está praticamente garantido na primeira divisão, mas uma vitória, que esteve muito perto de acontecer, colocaria o Vasco a 4 pontos da zona da Libertadores. Após a partida o treinador falou sobre o que é necessário para o Gigante da Colina voltar a brigar por coisas melhores em 2020.

"Independentemente de renovar contrato ou não, o Vasco tem de pensar em coisas diferentes no ano que vem. Você não pode brigar para não cair todo ano. Quando cheguei, disse que não cair era obrigação, porque o Vasco precisa sair desse patamar. Tem de se pensar em planejamento. É fundamental que tenha planejamento. Não é questão de renovar contrato comigo, é de apresentar um projeto para a próxima temporada, o que vamos trabalhar, orçamento, onde queremos chegar. Tem de botar no papel ."

LEIA MAIS: Jogo corrido e gol no último minuto: Vasco e Goiás empatam no Rio e seguem no meio da tabela

Luxemburgo também comentou sobre o gol contra sofrido no último lance, as chances de classificação para Libertadores do ano que vem e de rebaixamento esse ano.

"Foram tantos escanteios seguidos que, de repente, poderia acontecer. Mérito do Goiás. Somamos um ponto. Estivemos mais vezes com a responsabilidade de ganhar o jogo, mas isso é futebol [...] Se tivéssemos ganhado hoje, depois mais dois jogos em casa, podia buscar alguma coisa. Agora, ficou mais difícil. Um pouco mais complicado [...] Acho que ninguém consegue chegar a 44 pontos, mas seria bom a vitória para brigar por algo lá em cima".

O "profexô" comentou como o clássico de quarta-feira (13), contra o Flamengo, acabou interferindo na partida contra os goianos.

"O time sentiu um pouco o desgaste do jogo, mesmo que eu tenha dado um dia para ficar em casa. O jogo contra o Flamengo exigiu muito da parte emocional. Faltou ter tranquilidade para buscar o contragolpe. Na transição, o passe não era bom. Acho que faltou segurarmos um pouco a bola. Sair, ficar com a bola lá na frente. O segundo gol tinha de sair com naturalidade. Sofrendo uma falta, sofrendo outra falta. Não soubemos fazer isso".

O empate praticamente tirou qualquer chance de rebaixamento de Vasco e Goiás e também deixou as equipes sem qualquer chance real de uma vaga na Libertadores. O panorama agora é de cumprir tabela até o final do campeonato e tentar uma vaga na Sul-Americana.

VAVEL Logo