Carlinhos, Celsinho e Didira têm contratos finalizados e estão fora do CSA
Meia Didira chegou ao CSA no fim de 2015 e se tornou ídolo da torcida | Foto: Augusto Oliveira/RCortez/CSA

A quarta-feira (20) seria mais um dia de treinos no CSA, realizados em dois períodos no Centro de Treinamento Gustavo Paiva, no Mutange, em Maceió/AL. As atividades aconteceram, mas um fato inesperado foi o principal assunto do dia no ambiente azulino. O meia Didira e os laterais Celsinho e Carlinhos tiveram férias antecipadas e não fazem mais parte do elenco marujo para a reta final da temporada. A diretoria tomou a ação nesta manhã, após conversa com outros dirigentes, comissão técnica e aos próprios jogadores envolvidos. De acordo com a direção, os atletas não teriam os vínculos renovados no fim deste ano e resolveram acertar os desligamentos.

Destes três atletas, de longe Didira é o mais apreciado da torcida azulina. O jogador chegou ao clube em 2015, após anos com a camisa do ASA. Com os acessos, títulos e interação com a massa, logo foi idolatrado. Foi o artilheiro da equipe na temporada de 2018. Neste ano, perdeu espaço, principalmente com a chegada de Argel Fucks no último mês de junho. Com a camisa azul e branca, conquistou o vice-campeonato da Série D em 2016, o título da Série C em 2017, o vice-campeonato da Série B em 2018 e o bicampeonato alagoano em 2017 e 2018. Foram 146 jogos e 25 gols marcados.

“Conversamos e decidimos encerrar nosso vínculo antecipadamente. Foi muito bom enquanto durou. Só tenho gratidão ao CSA e aos seus torcedores. Agradeço aos funcionários do clube por tudo que passei aqui. Deixo o clube pela porta da frente, a mesma que entrei. Não tenho do que reclamar de nada. Só agradecer e guardar na memória tudo que passei aqui. Foram momentos muito especiais. Cheguei ao CSA no fim de 2015, ainda em um projeto que estava se iniciando de retorno do clube ao cenário nacional, e essa escolha foi a melhor que eu poderia ter tomado. Fui muito feliz vestindo a camisa do clube nestes últimos quatro anos. Lutamos muito para dar a volta por cima com o CSA e foi o que aconteceu. Agora é descansar uns dias e já projetar 2020. Vamos buscar escolher o melhor projeto para o próximo ano. Quero ter uma temporada perfeita”, disse.

Lateral-direito Celsinho estava no CSA desde 2017 | Foto: Augusto Oliveira/RCortez/CSA
Lateral-direito Celsinho estava no CSA desde 2017 | Foto: Augusto Oliveira/RCortez/CSA

Se Didira não tinha tanta participação nos últimos jogos, além de passar algum tempo no departamento médico por causa de lesões, pode-se afirmar que o lateral-direito Celsinho foi o inverso. O jogador começou como titular, mas perdeu espaço com a chegada de Apodi e, depois, com a improvisação de Dawhan. Porém, voltou a ter presença no time titular desde o mês passado. Esteve como titular no último fim de semana, na derrota do Azulão por 3 a 0 diante do Fortaleza. Desde 2017 no clube, Celsinho conquistou a Série C de 2017, o vice-campeonato da Série B em 2018 e o bicampeonato alagoano em 2017 e 2018. Foram 106 jogos e quatro gols marcados. O jogador falou que a saída foi em comum acordo e agradeceu pelo período que esteve no Mutange.

“Tivemos uma conversa franca e decidimos em comum acordo encerrar nosso vínculo. Como não seria mais utilizado, tomei essa decisão também, até para ficar mais próximo da família neste momento, já que minha esposa está grávida e quero estar mais presente. Estou saindo do CSA pela porta da frente e com a sensação de dever cumprido por ter ajudado o clube a dar a volta por cima em sua história. Só tenho a agradecer por tudo que passei aqui. Os momentos bons foram marcantes e os ruins serviram de aprendizado. Fica a minha torcida pelo clube. Cheguei no CSA em 2017, com o clube no início de sua caminhada rumo à Série A. Participar deste processo foi muito especial para mim. Conseguimos fazer história nos últimos anos colocando o clube novamente na elite do futebol nacional. Isso não tem preço. Sempre respeitei todos no clube. Gratidão por ter a oportunidade de vestir essa camisa”, afirmou.

Lateral-esquerdo Carlinhos foi bem utilizado durante o Brasileirão 2019 | Foto: Augusto Oliveira/RCortez/CSA
Lateral-esquerdo Carlinhos foi bem utilizado durante o Brasileirão 2019 | Foto: Augusto Oliveira/RCortez/CSA

Embora saia antes da temporada ser encerrada, o ano de 2019 foi de superação para o lateral-esquerdo Carlinhos. Com experiência em clubes de maior estrutura e investimento do futebol brasileiro – São Paulo, Fluminense, Internacional, Santos, Cruzeiro e Bahia – e dois títulos brasileiros pelo Tricolor das Laranjeiras, as lesões passaram a fazer parte do cotidiano do jogador, tanto que em 2018, Carlinhos disputou apenas seis jogos pelo Paysandu. Ao chegar no CSA, conseguiu se readequar fisicamente e livrar das seguidas lesões, ganhou titularidade em sua posição. O lateral de 32 anos marcou dois gols no Brasileirão, contra Ceará e Botafogo, em 31 jogos disputados. Também esteve em campo no último fim de semana e ainda não se pronunciou sobre sua saída.

O CSA se resumiu a explicar o fato por meio de nota oficial, divulgada durante a tarde. Na publicação, apenas citou algumas estatísticas dos três atletas e agradeceu a dedicação de todos no período que integraram o elenco. Durante os treinos a serem realizados até o fim desta semana, o técnico Argel Fucks vai se desdobrar para encontrar o substituto e treinar a formação inicial para o duelo diante do Fluminense, a ser realizado às 20 horas da segunda-feira (25), no Estádio Rei Pelé, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A 2019.

“Em reunião, o Departamento de Futebol e a Comissão Técnica decidiram que os atletas Didira, Celsinho e Carlinhos não seriam mais utilizados nas cinco partidas restantes do Campeonato Brasileiro, tendo em vista o fim do vínculo contratual (08/12) a Diretoria antecipou as férias dos respectivos atletas.

Cícero dos Santos, mais conhecido como Didira, chegou no Azulão no ano de 2016 e conquistou dois Campeonatos Alagoanos, um título da Série C, além de três acessos consecutivos.

Celsonil Santos, Celsinho, chegou em 2017, conquistou dois acessos, dois títulos alagoanos e um Campeonato Brasileiro da Série C.

Os dois atletas honraram a camisa do Maior de Alagoas, com mais de 100 partidas representando nossas cores.

Carlinhos chegou em 2019 no CSA, foi Campeão Alagoano e disputou 32 partidas.

Em nome de todos nossos colaboradores, agradecemos cada gota de suor derramada pelo nosso clube e desejamos boa sorte na sequência da carreira”, diz a nota.

VAVEL Logo