Notas: Gabigol decide mais uma vez e garante título do Flamengo; laterais têm dia discreto
 Foto:  Reprodução Instagram /  Conmebol Libertadores

O ano de 1981 não sai da cabeça e do coração de todo flamenguista. Ano de título da Libertadores, do Mundial e Zico no comando. Para os mais velhos, o orgulho de dizer que presenciou esse momento e sentiu na pele o que é ser campeão, para os mais novos o que ficou foi a felicidade de já nascer campeão sul-americano.

O Flamengo, exatos 38 anos depois concedeu aos rubro-negros um dos melhores sentimentos que se pode ter para um torcedor.

Mas o universo já conspirava a favor, não só pelo excelente desempenho do clube ao longo do ano, mas também pelas semelhanças que não foram mera coincidência. O dia 23 de novembro entra para a história, seja ele em 1981 ou em 2019. Fora isso, no primeiro título de Libertadores conquistado pelo Flamengo, Zico marca dois gols e traz a taça. Exatamente 38 anos depois, Gabigol, de apenas 23 anos, faz 2 em cima do River e vira o jogo, que até então conspirava a favor do time argentino.

  • Análise do Jogo

Primeiro tempo

O Flamengo começa atacando, porém não assusta e nem demonstra segurança. O River observou os espaços deixados pelo clube carioca e se aproveitou para marcar e mostrar como se faz. Por consequência, o gol chegou aos 14 minutos, devido a uma falha de Filipe Luís no domínio. Com a sobra, Borré aproveitou e mandou para o gol. Em contraste às marcações e finalizações dos millonarios, o Rubro-Negro teve somente uma finalização, com Bruno Henrique. Quem assistia ao primeiro tempo, já via o título se afastando do rubro-negro e indo diretamente para o time argentino, que se mostrou superior em grande parte nesses 45 minutos.

Segundo tempo

A postura rubro-negra foi outra no segundo tempo. A primeira chance veio aos 11 minutos, também com o Bruno Henrique que invadiu a área pela linha de fundo e chutou para o meio, mas Arrascaeta furou, e a defesa bloqueou o chute de Gabigol. Logo após isso, Gerson que mostrou raça desde o início, se machucou e deu lugar a Diego.

No final, Gabigol apareceu e marca dois gols em seguida, o primeiro aos 43 e o outro aos 46. Foi expulso logo depois, mas já estava decidido o Flamengo campeão.

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo
Foto: Alexandre Vidal / Flamengo
  • Notas 

Goleiro

Diego Alves não teve culpa no gol e passou discreto no restante da partida. Nota 6

Zagueiros

Sofrendo desde o início devido à uma disputa no alto, onde ficou com o nariz sangrando, Rodrigo Caio foi até o final, mas não se destacou, permanecendo mediano na atuação. Nota 7.

Pablo Marí teve dificuldades e passou sufoco com os adversários. Nota 5.

Laterais

Mal se via Rafinha, se colocou no posto de figurante, e não apareceu muito nas jogadas. Nota 6.

Não foi o dia de Filipe Luís. Um erro crucial fez com que o River marcasse o primeiro gol da partida. Nota 4.

Meio-campistas

Indeciso, Willian Arão errou junto ao Gerson na tentativa de tirar a bola da área no primeiro gol do River. Aos 41 do segundo tempo, Arão sai e é substituído por VitinhoNota 5

Diego entrou no segundo tempo e fez bonito, mudou o clima do jogo. Nota 8.

Um jogador que jogou muito futebol durante o campeonato, parece ter deixado isso um pouco de lado e se apagou na partida. Arrascaeta começou mal, porém deu assistência no primeiro gol. Nota 7,5.

Buscando desde o início, Gerson não se destacou mas também não decepcionou. No segundo tempo se lesionou e foi substituído. Nota 7.

Destaque no segundo tempo, Everton Ribeiro buscou jogadas pelo meio e fez a diferença na partida. Nota 8,5.

Atacantes

Vitinho entrou bem no final, não teve tempo de mostrar muito jogo, porém não desapontou. Nota 6,5.

Como sempre, não deixou a desejar e fez pressão nos adversários. Mesmo sem marcar gol, Bruno Henrique se movimentou bastante. Nota 9.

Intimidado no primeiro tempo, o destaque da partida, Gabigol, resolveu agir no segundo tempo, marcando dois gols. Nota 10.

River

O time que impressionou no primeiro tempo, resolveu tirar um pouco da pressão no segundo tempo, abrindo espaço para os flamenguistas que até então estavam intimidados.

Os destaques ficaram com Ignácio e Perez, que ajudou no primeiro gol e dominou o meio de campo, seu desempenho foi cair no segundo tempo, mas mesmo assim se manteve mediano. Nota 8. Já Ignácio ajudou a armar os ataques e deu assistência para os gols. Nota 8,5.

A festa não termina por aqui. Neste domingo (24), o Flamengo irá desfilar na Avenida Presidente Vargas, ainda sem horário confirmado.

MEDIA: 5VOTES: 1
VAVEL Logo