Ano sem título, mas objetivo alcançado! Como Sampaoli elevou o patamar do Santos
Foto: Ivan Storti/Santos FC

O Santos saiu derrotado de campo na noite desta quinta-feira (28) no Castelão, no Ceará, 2 a 1 para o Fortaleza, gols de Edinho e Osvaldo para os donos da casa e Carlos Sánchez descontou para o Peixe (o meia uruguaio ainda perdeu um pênalti no final do jogo).

Mesmo com o revés dentro das quatro linhas, o objetivo principal na temporada foi alcançado, a vaga direta para a Copa Libertadores da América em 2020. Claro que a seca de títulos que já dura três anos e meio incomoda o torcedor santista, mas a temporada fica marcada pela evolução do futebol do Santos, principalmente pelo comando à beira do campo.

Jorge Sampaoli chegou ao Brasil no início do ano e, mesmo com a desconfiança pelo técnico estrangeiro em solo brasileiro, Sampaoli mostrou aos poucos a nova cara que o Peixe poderia ganhar a partir da experiência do argentino de 59 anos.

Desde o Campeonato Paulista a equipe já mostrava fortes sinais do DNA ofensivo de Sampaoli e do próprio Santos, foram três jogos com vitórias por três gols de diferença, em contrapartida duas derrotas históricas para Ituano e Botafogo-SP. A eliminação veio para o Corinthians nos pênaltis após grande partida no segundo jogo.

Na Copa do Brasil mais amostras de um futebol para frente, com placares elásticos (7 a 1 no Altos, do Piauí, 4 a 0 no América de Natal e 3 a 0 no Atlético Goianiense), porém uma partida aquém do rendimento rendeu a eliminação para o Atlético-MG em casa. Na Copa Sul-Americana mais um vexame, eliminação para o River Plate do Uruguai no Pacaembu com portões fechados.

Com apenas o Campeonato Brasileiro em disputa desde junho, Jorge Sampaoli pode, enfim colocar em prática o estilo de jogo a longo prazo e colhe os frutos de seu trabalho com uma equipe dada como "mediana" por parte da imprensa pelos resultados no primeiro semestre.

Fica para 2020?

Na coletiva após a derrota para o Fortaleza o técnico santista disse que ainda não definiu seu futuro no Peixe, e aproveitou para criticar as bolas utilizadas durante a partida.

"Não. Já expliquei mil milhões de vezes. Penso em ganhar cada jogo. Hoje escapamos uma vitória. Uma derrota que não merecemos. Num lugar que se jogou um jogo que pareceu um jogo do século passado, furaram as bolas. Uma vergonha o que se passou aqui. É como atrasar o futebol em 50, 70 anos."

Também elogiou o aprendizado que teve na temporada com o futebol brasileiro. Segundo Sampaoli os "melhores do mundo" estão no Brasil.

"Aprendi muito aqui no Brasil. Aqui estão os melhores do mundo que me tocou comandar em muito tempo. Aprendo muito ao trabalhar nesse país."

Outro técnico estrangeiro criticado pela imprensa no início e aclamado com os títulos do Brasileirão e da Libertadores, Jorge Jesus foi assunto na coletiva.

"Não sou ninguém para julgar um trabalho, falo da equipe. Grande projeto esportivo que ganhou duas copas. Fez as coisas bem. Quem ganha faz as coisas melhores, é assim. Equipe fez de maneira diferente ao resto. Levou o Flamengo no lugar mais alto. Só tenho que felicitar."

No próximo compromisso do Santos, contra a Chapecoense na Vila Belmiro, às 19h de domingo (01/12), válido pela 36ª rodada do Brasileirão, Jorge Sampaoli não poderá comandar a equipe após ter levado o terceiro amarelo na partida contra o Fortaleza. Esta é a terceira vez que o técnico argentino cumprirá suspensão no Campeonato Brasileiro. O auxiliar Jorge Desio ficará à beira do campo.

Pará e Soteldo, expulsos contra o Fortaleza, e Jean Mota e Luan Peres, que receberam o terceiro amarelo, também desfalcarão o Peixe.

VAVEL Logo