Jorge Jesus diz que goleada sofrida pelo Flamengo ‘não vai abalar nada’ para o Mundial
Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Na Via Belmiro, Jorge Jesus viu seu Flamengo apanhar para o Santos por 4 a 0 na última rodada do Campeonato Brasileiro, neste domingo (09). A derrota não influencia no belo ano rubro-negro e um dos motivos para o placar elástico foi o foco no Mundial de Clubes, segundo o treinador português.

Depois do confronto, em entrevista coletiva, o Mister afirmou que seus jogadores estavam com a cabeça apenas na competição internacional, no Catar, onde joga a semifinal dia 17 de dezembro.

"Entrei com 11 jogadores. Dos 11, cinco ou seis entraram em campo. Os outros não conseguiram segurar o jogo [...] Não vai abalar nada, zero (para o Mundial). Nesse jogo, maior parte dos jogadores já estavam pensando na semifinal. Não podemos deixar de dar méritos ao Santos, uma equipe que jogou, competitiva. Mas o Flamengo depois de ganhar tudo... Não há mais nada para ganhar no campeonato nacional, isso ficou no subconsciente deles. Quando não é competitivo contra uma equipe, tem alguma dificuldade. O fato de não ser aquela equipe que normalmente é, é a razão de já ser campeão e estar no Mundial", destacou Jesus.

Em seguida, o comandante europeu já teve que responder uma pergunta sobre o Al-Hilal (da Arábia Saudita), equipe que pode ser o adversário do Flamengo na semifinal do Mundial. Vale lembrar que Jorge Jesus treinou o Al-Hilal antes do Rubro-Negro, na temporada 2018-19. Foram 19 vitórias em 24 jogos.

"Faltam nove dias, temos muito tempo. A partir de quarta-feira, quando começarmos a trabalhar, aí sim vamos começar a pensar no Al-Hilal. É um adversário com muita qualidade, uma equipe muito criativa. Vai ser uma semifinal muito disputada para os dois times, qualquer um dos dois tem possibilidades."

"Em termos de nome, história, poder pensar que uma equipe árabe não tem valor, mas não é verdade. Eu estive lá e sei os jogadores que estão na equipe. Apesar do futebol brasileiro não ter comparação com o da Arábia Saudita, essa equipe é fora da curva no futebol de lá, por isso está na semifinal."

Foto: Reprodução/Al-Hilal
Jorge Jesus na época do Al-Hilal (Foto: Reprodução/Al-Hilal)

Al-Hilal e Espérance Tunis (da Tunísia) jogam dia 14/12 para brigarem por vaga na semifinal, contra o Flamengo. Depois de conquistar 90 pontos e o título da Série A, o objetivo carioca agora é apenas um: conquistar o mundo de novo.

Outros trechos da coletiva de Jorge Jesus

Mundial tem alguma influência na permanência no Flamengo?

"Tudo que acontecer no Mundial não vai ter influência nenhuma na minha decisão. Tenho contrato até maio, gosto do Flamengo, sou acarinhado aqui como nunca foi em outra parte do mundo. Mas meu foco é o campeonato do mundo, voltamos dias 22 de férias, dia 23 vou para Portugal passar o Natal com a minha família. E dia 22 (de janeiro) marquei a apresentação para a nova temporada."

LEIA MAIS: Mundial de Clubes: Fifa divulga lista de inscritos completa dos sete times

Bruno Henrique

"Eu não ia propor a ele jogar, mas ele disse: 'Mister, estou bem, já joguei no Santos, quero jogar.'"

Foto: Alexandre Vidal/Flamengo
Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Comparação com a goleada contra o Avaí

"Tinha uma emoção, 70 mil, era despedida do Maracanã, o que obrigou a ser uma equipe competitiva. Hoje não, sabíamos que não poderia pôr em risco em muitas situações do jogo. O Bruno Henrique jogou? O Gabi jogou? Arrascaeta, Everton Ribeiro? Tudo que fosse bola dividida não entraram. Mas não quero tirar o mérito da equipe do Santos."

Ímpeto flamenguista

"Ganhar é sempre importante, nós viemos para não perder. Mas taticamente o time estava meio desligado do jogo. Santos teve méritos, fez uma partida competitiva, quis ganhar do campeão, mostrar seu valor. Fizeram bem o que tinham que fazer. E o Flamengo fez o contrário. Somos campeões, não vamos arriscar nada, não vamos entrar dentro dos jogadores do Santos. Quando o jogo acabou, eles não estavam felizes, óbvio, mas o mais importante é que não tivemos ninguém lesionado."

Jesus mais contido também na Vila?

"Até eu estava diferente, veja lá (risos). Não estava com tanta adrenalina, mas é que estou um pouquinho gripado. Não foi por causa de ter outro jogo daqui a nove dias, eu não posso lesionar."

Uso das categorias de base

"Flamengo tem uma formação hoje que pode acreditar nos seus jovens, que foram campeões sub-20 e sub-17. São jogadores que demonstraram suas qualidades e talento, como Reinier e Lincoln. O Vinicius (Souza) também, é um menino que não lancei ainda tanto, mas para o ano vai jogar muito mais vezes. Penso que o Estadual é para isso, descobrir e lançar novos jogadores."

VAVEL Logo