Análise: adversário do Flamengo na semifinal, Al-Hilal é marcado por individualidades
Foto: Reprodução / FIFA

Comandado pelo romeno Razvan Lucescu, de 50 anos, o Al-Hilal se mostrou uma equipe bastante lúcida frente ao Espérance Tunis. No famoso e moderno esquema tático 4-2-3-1, os sauditas tiveram trabalho no primeiro tempo, mas conseguiram se impor depois do intervalo e se classificarem à semifinal para encarar o Flamengo por vaga na decisão do Mundial de Clubes.

O setor de defesa do clube azul é o que menos tem destaque e maior média de idade: 30 anos. Al-Burayk, 27 anos, pela direita, e Al-Shahrani, 27, pela esquerda, são dois laterais que não apoiam muito o ataque. Já a dupla de zaga é bem postada e costuma não aliviar. Al-Boleahi, 30, e o sul-coreano Hyun Soo Jang, 28, são firmes, principalmente o sul-coreano, que se antecipa bem, porém tem uma certa dificuldade na saída de bola.

No gol, Al-Mayouf, 32, tem 1,87m, estatura razoável para um goleiro. Com a bola no pé na saída de bola, o arqueiro saudita não é confiável. Em jogadas aéreas não é estabanado e se preserva. No reflexo, não foi exigido contra os tunisianos do Espérance.

Al-Mayouf na saída de bola saudita (Foto: Reprodução / Al-Hilal)
Al-Mayouf na saída de bola saudita (Foto: Reprodução / Al-Hilal)

Um meio-campo regido por Carlos Eduardo

Com um certo destaque, o meio-campo do Al-Hilal é interessante. Começando pela contenção feita pelo conhecido Gustavo Cuéllar, 27, colombiano ex-Flamengo, o setor também conta com o brasileiro de 30 anos Carlos Eduardo e Kanno, 25, que foi expulso e é desfalque contra o Rubro-Negro — Ateef ou Salhoub devem ganhar a vaga no time titular na semifinal. Eduardo e Kanno são os responsáveis pela armação. O brasileiro é o que mais pisa o ataque está sempre presente na entrada da área ofensiva.

Artilheiro o Campeonato Saudita, Carlos Eduardo é o mentor do meio-campo  (Foto: Reprodução / Al-Hilal)
Artilheiro o Campeonato Saudita, Carlos Eduardo é o mentor do meio-campo (Foto: Reprodução / Al-Hilal)

Lembrete: Carlos Eduardo é o artilheiro parcial do Campeonato Saudita. Em nove rodadas, ele participou de todas e já marcou oito gols. Boa arma ofensiva, tem visão de jogo. Um típico camisa 10 — mas joga com a 3.

Cuéllar é titular incontestável do Al-Hilal  (Foto: Reprodução / Al-Hilal)
Cuéllar é titular incontestável do Al-Hilal (Foto: Reprodução / Al-Hilal)

 LEIA MAIS: Cuéllar festeja vaga na semi para encarar Flamengo e diz: "Vamos enfrentar um grande time"

Pelas pontas, o peruano Carrillo, 28, e o saudita Al-Dawsari, 28, são bem agudos, o sul-americano ainda mais, tendo papel um tão parecido com Bruno Henrique no time de Jorge Jesus. Ele age maior parte do tempo pelo lado esquerdo, porém às vezes, raramente, inverte de ponta com Al-Dawsari, que tem capacidades de fazer bons passes.

Badalados e em recuperação: Gomis e Giovinco

O grande trunfo do time de Lucescu é no ataque. Gomis começou no banco de reservas contra o Espérance porque não está 100% fisicamente, entrou aos 20' do segundo tempo e precisou apenas de oito minutos em campo para balançar as redes. Francês experiente de 34 anos, ele tem passagens pela Seleção Francesa e tem como sua principal característica a finalização. Atua maior parte do tempo dentro da área, camisa 9 nato — porém joga com a 18. Na liga nacional, tem seis gols feitos e três assistências, comprovando sua capacidade. Também é forte no pivô. Peça-chave do time.

Gomis, o homem-gol (Foto: Reprodução / Al-Hilal)
Gomis, o homem-gol (Foto: Reprodução / Al-Hilal)

LEIA MAIS: Autor do gol da vitória, Gomis revela admiração por Jorge Jesus: "É um pai para mim"

Voltando de lesão, o baixinho italiano Giovinco, 32 anos, 1,64m, tem o número 9 nas costas mas joga como segundo atacante, além de cair pelas pontas quando preciso. Não entrou em campo neste sábado (14), mas deve atuar contra o Flamengo. É o homem das bolas paradas do Al-Hilal. Em nove rodadas, participou de sete, deu duas assistências e tem três gols. na conta. Olho nele.

Num todo, o conjunto árabe pode, sim, complicar para o Rubro-Negro, porém as individualidades se sobressaem. Frente ao Espérance, o gol salvador só apareceu no segundo tempo. Defensivamente, pouco sofreu. Nas vezes que teve o perigo perto de sua meta, foi por próprio erro.

Flamengo e Al-Hilal se enfrentam a partir das 14h30 (de Brasília) na próxima terça-feira (17), também em Doha, no Catar. E você acompanha tudo sobre o Mundial de Clubes aqui, na VAVEL Brasil!

MEDIA: 5VOTES: 1
VAVEL Logo