Raio-X Seletiva Carioca 2020: Americano quer acesso à Série D via estadual
Foto: Reprodução / Americano FC

Pela segunda vez consecutiva, o Americano disputa a seletiva estadual. Vice-campeão da segunda divisão em 2018, o time de Campos dos Goytacazes conseguiu o acesso da primeira fase carioca junto ao Resende neste ano, porém, com a 11ª colocação na tabela final, o "Cano" novamente passará pela fase que antecede o Campeonato Carioca 2020.

Desde abril com o planejamento funcionando para o próximo estadual, quando o clube utilizou jogadores da base na Copa Rio e emprestou alguns atletas profissionais para equipes da segunda divisão carioca, o Americano tem em seu favor o tempo, que por vezes é desejado pelos treinadores de futebol.

O treinador Josué Teixeira, que segue no comando da equipe, continua anunciando reforços, que até o momento tem como principal destaque, o retorno do artilheiro Cláudio Maradona. Em sua segunda passagem pelo clube, o ex-jogador do São José/RS atuou pelo Cano em 2018, quando anotou 22 gols em 34 jogos.

Em entrevista exclusiva à VAVEL Brasil, o goleiro Patrick Ritter, 23 anos, que esteve emprestado ao Campos na temporada 2019, fala sobre a qualidade do time e destaca a ambição do Alvinegro:

“A expectativa é a melhor possível, temos um clube com grande planejamento, reestruturado, que tem como objetivo passar da seletiva e conseguir ir à serie D. Independentemente de quem esteja jogando, o torcedor Americano será bem representado."

Ressaltando o bom ambiente de trabalho, Ritter elogia o treinador Josué Teixeira e reforça a competitividade do grupo que se planeja para surpreender na elite carioca.

"Estamos nos dedicando ao máximo, todos os dias, para colocar o time do Americano no lugar que o torcedor merece, e assim vamos usar da marca registrada do professor Josué para conseguir o feito. O ambiente é maravilhoso, temos uma característica de muita união, e só quem está no dia a dia sabe bem", finaliza o goleiro.

Quem chega: Gean Miller (Itaboraí), Gabriel Carrera (Audax Rio), Franklin, Daniel Farias, Zeca (Ferroviário/CE), Marquinho, Cláudio Maradona (São José/RS), Daniel Gonçalves (Artsul) e Diego Serra (Serrano/PE).

Principal reforço: Cláudio Maradona (25 anos). Grande nome do Americano na campanha do acesso em 2018, com 22 gols no ano, Maradona retorna ao clube depois de defender o Madureira e o São José. Ambidestro, o veloz centroavante leva como principal característica a versatilidade tática, além da precisão nas finalizações.

Fique de olho: aos 23 anos, a promessa do Artsul, Diego Gonçalves, chega ao clube com status de xerife. Destaque na B1 pelo time de Austin, o defensor soma passagens de base pelo Vasco e Cruzeiro, enquanto profissional já trabalhou no Esportivo de Bento Gonçalves, Nova Iguaçu e Artsul.

Atual elenco: goleiros (Gustavo Baioco, Luis Henrique e Patrick Ritter); Laterais direitos (Yuri e Melvin); Zagueiros (Biliu, Daniel Gonçalves, Gabriel e Ruan Espinho); Laterais esquerdos (Raí e Zeca); Volantes (Abuda, Diego Serra, Gean Miller, Nathan, Sanderson e Vandinho); Meias (Bruno Vianna, Daniel Farias, Guatavo Tonoli, Lucas Abreu, Matheus Gama, Paulo Vítor e Rogerinho); Atacantes (Alex Pixote, Gabriel Carrera, Daniel Marins, Di Maria, Franklin, Lucas Shallon, Lyon e Claudio Maradona).

Treinador: Josué Teixeira. Experiente treinador com ampla rodagem no futebol carioca, ex-Nova Iguaçu, Macaé, Duque de Caxias e Fluminense, desde 2018 está à frente do Cano, quando treinou a equipe que retornou à primeira divisão estadual, por onde esteve afastado desde 2013. Recém certificado do curso da CBF, com a Licença Pró, Josué também buscou conhecimento na Argentina, onde também se certificou na Associação Argentina, onde treinadores como Diego Simeone, Jorge Sampaoli e Maurício Pochettino já graduaram.

Estádio: Ferreirão, com capacidade para 3.000 pessoas. Sem contar com o histórico estádio Godofredo Cruz, a casa original do Americano, o clube terá seu mando de campo em Cardoso Moreira, na Baixada Fluminense. Apesar de o estádio poder abrigar aproximadamente 3 mil pessoas, por motivos de segurança, apenas 900 entradas costumam ser liberadas em jogos no Ferreirão. O estádio está confirmado apenas para a seletiva, podendo trocar de campo caso o time passe de fase.

Foto: Reprodução / Americano FC
Foto: Reprodução / Americano FC

Melhor campanha: vice-campeão (2002). Campeão da Taça Guanabara diante do Vasco, a histórica campanha do Americano só não foi ainda melhor porque o título escapou na grande decisão contra o Fluminense. O Americano ainda encerraria a competição estadual com o melhor ataque do campeonato, com 54 gols anotados e a melhor defesa também, com 26 gols sofridos, depois de 28 partidas disputadas.  

2019: 11° (rebaixado à seletiva). Recém promovido junto ao América, o Cano conseguiu o acesso da seletiva com o Resende. As promoções consecutivas permitiram o time a chegar na chave principal do torneio, porém, depois de ser lanterna do grupo A na Taça Rio, o clube retornou à seletiva para 2020. Na classificação geral, o Americano terminou com 6 pontos, um a menos que o Madureira, último garantido na fase de grupos do estadual.

Expectativa: 2° (seletiva) e 6° (fase principal). Inicialmente repetir o feito de conquistar o acesso de primeira. Com um grupo jovem, a ideia é surpreender na briga pela vaga na quarta divisão. Para isso, o Cano deverá superar alguns problemas, bem como, jogar longe de sua torcida e seu estádio. A grande esperança do alvinegro está nos pés de Maradona, que dentro do clube tem fama de artilheiro nato. Será sua nova chance de mostrar serviço na elite estadual, depois da performance abaixo do esperado no Madureira.

MEDIA: 5VOTES: 1
VAVEL Logo