Na estreia da Flórida Cup, Palmeiras derrota Atletico Nacional nos pênaltis
Foto: Divulgação/Palmeiras

Em sua estreia na história da Flórida Cup, o Palmeiras empatou sem gols com o Atletico Nacional, mas na disputa por pênaltis, após 20 cobranças, o time brasileiro bateu os colombianos por 10 a 9 e levou o ponto extra para casa. A partida foi disputada no Orlando City Stadium, na última quarta-feira (15).

A competição conta, em seu regulamento, com uma dsputa por pênaltis em caso de empate no tempo normal. O vencedor da competição leva mais um ponto para a tabela de classificação.

  • Primeiro tempo              

Na primeira etapa da partida, o Palmeiras começou com: Weverton, Marcos Rocha, Felipe Melo, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Patrick de Paula, Bruno Henrique e Lucas Lima; Raphael Veiga, Dudu e Luiz Adriano

Já o Atletico Nacional entrou em campo com: Quintana, Munõz, Palacios, Braghieri e Mafla; Perlaza, Gómez e Andrade; Moreno, González e Vladimir Henrnández.

O primeiro lance da partida foi aos 15 segundos de jogo. Na saída, o time paulista chegou com Dudu pela direita, que bateu forte, mas mandou nas mãos do goleiro Quintana.

Aos cinco, Moreno foi lançado na direita, conseguiu tirar Diogo Barbosa e a bola sobrou para Andrade bater forte para a defesa em dois tempos de Weverton! Dois minutos depois, Luiz Adriano conseguiu um toque de cabeça para Dudu, já dentro da área, que tirou o marcador e bateu por cima do gol.

Com 15 minutos, Dudu desceu pela direita, pedalou e derrubou seu marcador, e cruzou para Lucas Lima bater de direita, mas ele chutou fraco e Quintana fez a defesa com o pé.

  • Segundo tempo

O Palmeiras mudou toda sua equipe para a segunda etapa da partida na Flórida. O time alviverde foi: Jailson, Mayke, Luan, Emerson Santos e Victor Luís; Gabriel Menino, Ramires e Zé Rafael; Gabriel Veron, Wesley e Willian

Já o Atletico ficou com: Cuadrado, Muñoz, Palacios, Baghieri e Mafla; Perlaza, Barrera, Rovira, Candelo e Quiñones; Duque.

Logo no começo do segundo tempo, Jaílson brilhou duas vezes! Quiñones bateu de fora da área e o goleiro espalmou. No rebote, Barrera bateu já de dentro da área e o goleiro pegou com o pé no canto esquerdo!

Aos cinco minutos, Jailson saiu do gol e tirou a bola para longe, mas ela ficou com Barrera, que bateu por cobertura e mandou ela pra fora! Apenas dois minutos depois, Gabriel Menino bateu de fora da área e mandou a bola por cima do gol!

Com 21 minutos, Zé Rafael recebeu na meia lua, tirou o marcador e bateu forte, rasteiro, para uma defesa de Cuadrado, em dois tempos. Apenas um minuto depois, Veron tocou para Wesley, que já dentro da área pela direita, pedalou, tirou o marcador e bateu forte e obrigou Cuadrado a espalmar a bola para longe.

Aos 31 minutos, Victor Luís saiu cara a cara com o goleiro e bateu forte, mas nas mãos dele, que apenas espalmou para longe. E, com 43 minutos, Gabriel Veron roubou a bola do defensor, invadiu a área e bateu cruzado, tentando o canto esquerdo de Cuadrado, mas mandou a bola para fora!

O jogo terminou em 0x0 e foi para os pênaltis. O regulamento da competição dá um ponto para cada time pelo empate e, para o vencedor da disputa por pênaltis, soma-se mais um ponto na tabela de classificação.

  • (Muitos) Pênaltis           

Victor Luís bateu o primeiro pênalti, no alto e no canto esquerdo do goleiro, sem chances para Cuadrado. Duque bateu o primeiro do Atletico e jogou a bola no meio, empatando as cobranças. O segundo palmeirense foi Luan, que bateu forte no canto direito, enquanto o goleiro voou no esquerdo. O segundo do Atletico foi Candelo, que chutou no meio do gol enquanto Jailson saiu para o canto esquerdo.

Alanzinho bateu o terceiro para o Alviverde paulista, acertando o canto direito. O goleiro até foi na bola, mas nada pode fazer. Quiñones foi o terceiro do Nacional, batendo no canto direito enquanto Jailson foi para o esquerdo. Na quarta cobrança, Gabriel Menino foi quem bateu, no meio do gol. O quarto do Nacional foi Rovira, que bateu no canto direito, Jailson até pegou, mas ela pegou na trave e entrou!

Na última das cinco cobranças, Willian Bigode foi quem bateu, com força, no canto esquerdo, sem chances para Cuadrado. A última foi de Barrera, para o Nacional. O canhoto bateu com muita tranquilidade no canto esquerdo. Emerson Santos bateu o sexto do Palmeiras, com força, na direita. O batedor do Nacional foi Blanco, que bateu no alto e fez o gol, mesmo com um toque de Jailson.

E, para a sétima cobrança, o Palmeiras mandou Wesley. O ponta deslocou o goleiro, mandando do lado direito e fazendo o gol. O Nacional bateu com Yabur, que bateu forte no canto direito, deslocando Jailson. Na oitava cobrança, Ramires foi o batedor, que bateu forte, no alto, sem chances para Cuadrado. Córdoba bateu o oitavo do Nacional, com calma e no meio.

Na nona cobrança palmeirense, Mayke foi para a batida e colocou no alto, no canto esquerdo, mais uma vez sem chances para Cuadrado. Cuadrado foi para a batida do nono pênalti e mandou n alto, pela esquerda, sem chances para Jailson.

No décimo pênalti, Gabriel Veron foi quem bateu, deslocou o goleiro, mandando a bola no canto esquerdo de Cuadrado. Velázquez foi a décima cobrança e bateu no canto direito de Jailson, que voou e defendeu o pênalti! Na vigésima batida de pênalti, um jogador perdeu e o Palmeiras levou o ponto extra pra casa!

VAVEL Logo