Cercado de cobranças e muita pressão, técnico Maurício Barbieri é demitido pelo CSA
Maurício Barbieri deixa comando técnico do CSA | Foto: Augusto Oliveira/CSA

A passagem de Maurício Barbieri no comando técnico do CSA foi encerrada bem antes do que era imaginado quando seu nome foi anunciado no último mês de dezembro. No começo da tarde desta segunda-feira (10), a diretoria maruja oficializou a demissão do treinador e de todos os integrantes da comissão que vieram consigo. A pressão por resultados, os jogos ruins feitos até agora e a eliminação na primeira fase da Copa do Brasil sofrida na semana passada pelo Vitória-ES foram determinantes para sua saída com quase dois meses no clube alagoano.

Foram apenas seis jogos, válidos pelo Campeonato Alagoano, pela Copa do Nordeste e pela Copa do Brasil. No Estadual, duas vitórias sofridas e sem convencer, mas que colocam o time na liderança do torneio que o Azulão do Mutange busca o tricampeonato depois de 22 anos. No Nordestão, três jogos e apenas um ponto conquistado – derrota em casa diante do Sport, revés destacável contra o River e empate no Clássico das Multidões deste fim de semana. Na Copa do Brasil, o time foi derrotado pelo Vitória-ES de virada quando poderia se classificar com um empate para a segunda fase.

Não foram apenas os resultados. A forma como o time jogava incomodou demais a torcida. As escolhas de Barbieri durante as partidas aumentaram a pressão. Falhas defensivas primárias, posicionamento errado em lances que culminaram em gols adversários e, consequentemente, na perda de pontos importantes, além da estratégia de jogar apenas com volantes contra o arquirrival CRB aumentaram as cobranças e a diretoria também perdeu a paciência. Em seis partidas, duas vitórias, um empate e três derrotas, com sete gols marcados e nove sofridos.

Junto com o técnico, sai os membros da comissão trazida por ele, como o auxiliar Claudio Maldonado. É o terceiro trabalho consecutivo que Maurício Barbieri é anunciado com alta expectativa por ter começado no Flamengo, mas passa pouco tempo. Foi assim em 2019 com Goiás e América-MG, agora com o CSA em 2020. Em entrevista ao Globo Esporte AL, Maurício Barbieri agradeceu à diretoria a oportunidade dada, mas afirmou que o tempo foi curto e insuficiente para deixar a equipe com um padrão de jogo que deixasse positivas impressões.

“Agradeço ao presidente pela oportunidade que me deu. Foi o primeiro clube que eu trabalhei no Nordeste, uma nova experiência. Entendo a pressão por resultados, pelo time ter acabado de ser rebaixado, mas lamento o pouco tempo de trabalho, insuficiente para dar padrão a um elenco. Fica a certeza de que busquei fazer o melhor sempre com a maior dedicação e determinação possível. Desejo sucesso ao clube nesse seu projeto de reestruturação”, afirmou.

A diretoria do CSA pretende anunciar o quanto antes um substituto, se possível, ainda nesta segunda-feira (10). A ideia do presidente Rafael Tenório é trazer uma nova comissão técnica com um nome que tenha experiência na disputa do Campeonato Brasileiro da Série B, principal competição a ser disputada pelo clube na atual temporada, e reforçar o departamento de futebol.

VAVEL Logo