Ind. del Valle empata com Flamengo na Recopa, e lesão de Bruno Henrique preocupa
Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Na altitude de Quito, capital equatoriana, o Flamengo teve dificuldades contra o atual campeão da Sul-Americana. Jogando em casa, o Independiente de Valle não se acovardou em nenhum momento da partida e buscou impor seu ritmo de jogo contra o conquistador da última Libertadores. E no embate entre duas equipes bem armadas ofensivamente, o placar de 2 a 2 desenhou bem como foi o confronto de ida da Recopa Sul-Americana.

Jacob Murillo e pôs os mandantes à frente do placar no primeiro tempo. No entanto, depois do intervalo, Bruno Henrique e Pedro viraram para os brasileiros. E quando tudo parecia resolvido, o pênalti de Rafinha em Murillo fez com que Cristian Pellerano convertesse a penalidade. Tudo igualado para a volta, no Maracanã, às 21h30 (de Brasília) da próxima quarta-feira (26).

Equilíbrio no primeiro tempo

O primeiro tempo em Quito foi de total equilíbrio. Jogando em casa, o time mandante não temeu o atual campeão da Libertadores e explorou os espaços dos brasileiros. A posse de bola foi bem dividida, com 51% para o Ind. de Valle e 49% para o Flamengo. Como se não bastasse, o número de finalizações também foram parelhos: 5 a 5. Ou seja, o placar de igualdade seria inevitável se Jacob Murillo não tivesse sido feliz aos 21 minutos. O camisa 18 equatoriano bateu falta do bico da grande área e acertou o canto alto esquerdo do goleiro Diego Alves, que chegou atrasado na bola e aceitou o 1 a 0 para o IDV.

Logo em seguida, aos 29', Bruno Henrique recebeu nas costas da zaga, na linha do meio de campo, arrancou, driblou o goleiro e balançou as redes. Mas o VAR checou e, demoradamente, invalidou. No mais, sem chances claras de gol.

Trocação de contragolpes após o intervalo

Nunca o time de Jorge Jesus atua maior parte do tempo defensivamente, e depois do intervalo as chegadas se deram com ênfase. Toda etapa final ficou marcada pela trocação de ataques. De um lado o IDV buscava jogadas pelo meio. E do outro, o FLA exala infiltrações com Bruno Henrique e Vitinho (que entrou no lugar de Diego Ribas no intervalo). Em suma, os equatorianos tiveram duas boas chances até o minuto 64, mas não movimentaram o marcador. E quem não faz, leva!

Aos 66', Arrascaeta passa para Bruno Henrique. O camisa 27 rubro-negro dominou engolindo o marcador, partiu em velocidade e tocou na saída do goleiro. Ali foi o 1 a 1. No entanto, BH se machucou no lance em colisão com o arqueiro e saiu de campo de ambulância, preocupando a torcida por seu joelho.

A intensidade do segundo tempo foi visto no número de grandes chances criadas: 3 a 2 para o Ind. de Valle. Mas de tanto as equipes chegarem, ambas voltaram a marcar. Na reta final, Pedro foi a luz que saiu do banco para aproveitar passe de Everton Ribeiro e bater de primeira, virando o placar na capital equatoriana (1 a 2) aos 85'.

Empurrado pela torcida, os mandantes se lançaram ao ataque e ganharam o sofreram um pênalti já aos 90'. Pênalti discutível na lateral da área cometido por Rafinha em Murillo. Cristian Pellerano bateu firme no canto direito de Diego Alves e deixou tudo no 2 a 2.

 

Nota triste

O placar acabou ficando em segundo plano devido à preocupação do Departamento Médico do Flamengo acerca de Burno Henrique e Rodrigo Caio. O atacante sofreu um trauma na perna direita e seguiu direto para o hospital local. Já o zagueiro sentiu dores no adutor esquerdo e será reavaliado na reapresentação, no Ninho do Urubu.

VAVEL Logo