Rafael cita vontade de fazer história no Atlético-MG e explica saída do Cruzeiro
Foto: Bruno Cantini / Agência Galo / Clube Atlético Mineiro

Contratado por três temporadas e com cláusula de renovação por mais um ano, o goleiro Rafael trocou de manto em Belo Horizonte. Agora, ele usará a camisa de número 13 do Atlético-MG. Em sua apresentação, o jogador de 30 anos expressou que o 'casamento' com sem dores de cabeça.

“Quando eu saí do Cruzeiro, conversei com meu empresário, ele trouxe alguns projetos, entre eles o do Atlético. É um projeto grandioso, audacioso, que busca um crescimento muito grande. A gente pode conquistar muitos títulos, ter uma projeção muito boa. Falo isso por todos os jogadores que aqui estão. Fiquei muito contente com o Atlético contar com meu serviço, ter interesse no meu trabalho. Foi um casamento muito bacana e tranquilo. Fiquei muito feliz pela oportunidade. Queria agradecer ao presidente Sette Câmara por me dar essa oportunidade de fazer parte deste projeto e de poder estar inserido aqui e fazer meu melhor pelo clube".

Rafael entrou com uma ação contra o Cruzeiro, clube que permaneceu por 17 anos, cobrando atrasos salariais e verbas trabalhistas. O atleta comentou a decisão dada Tribunal Regional do Trabalho de rescisão contratual.

“Eu deixo grandes amigos lá, grandes pessoas, que tenho carinho e admiração por toda a minha vida, uma gratidão por terem me ajudado. Sigo em frente. Venho para cá para fazer história, para fazer novos amigos, para conhecer novos profissionais que também vão me ajudar a crescer. Sem mágoa nenhuma, sigo em frente”.

Com Victor e Michael no elenco, o arqueiro frisou que não pensa na titularidade ou banco, mas sim em dá o seu melhor e entrar para a história do clube.

"Vim pra cá não pra ser o titular ou o reserva. Vim pelo projeto. Vou me dedicar pra fazer meu melhor. E pra jogar, é claro. Como o Victor vai fazer, como o Matheus (Mendes) vai fazer, como o Michael vai fazer. Vim pra fazer parte da família Atlético, pra fazer parte do grupo de goleiros. Sei que tem grandes goleiros. O Chiquinho é um grande treinador de goleiros, tem grandes profissionais. Vamos fazer nosso melhor para que o Atlético saia vencedor, para que o Atlético cresça. Ter essa competitividade, de grandes goleiros, faz todos nós crescermos. Só faz bem pro Atlético. Estamos aqui pra fazer nosso melhor. Estou muito feliz e muito grato de poder fazer parte desse elenco tão qualificado".

Em relação as fotos apagadas, Rafael argumentou que está escrevendo uma nova história.

"A minha história nunca vai se apagar. Hoje, começo uma história nova. Começo uma história que vou construir e, daqui a 10, 20 anos, vou ter construída. Hoje em dia as redes sociais vieram pra ajudar, pra acelerar as informações, mas ela também vem com duras críticas. Preferi apagar as fotos. Não para apagar minha história, porque história todos nós temos, e isso jamais se apaga, mas para demonstrar que hoje estou começando uma nova história, um novo vínculo, e estou muito focado e quero muito fazer meu melhor pra construir uma história linda e postar muitas coisas bonitas pra agradar o torcedor atleticano".

VAVEL Logo