Victor Ferraz explica confusão generalizada no Gre-Nal: "Nervos à flor da pele"
Foto: Reprodução/GFBPA

Todo o futebol bem jogado no Gre-Nal desta quinta-feira (12) caiu por terra logo após a confusão generalizada entre jogadores de Grêmio e Internacional, no primeiro clássico pela Libertadores. Na segunda rodada do Grupo E, o placar foi 0 a 0, porém Moisés e Paulo Miranda protagonizaram o início da generalização da briga por volta dos 39 minutos do segundo tempo.

Lateral-direito gremista, Victor Ferraz acompanhou de perto as "trocas de carícias" e ao ser perguntado, depois do jogo, sobre a confusão, o jogador não escondeu que clássico como o Gre-Nal levam bastante responsabilidade às costas dos envolvidos.

"Nervos à flor da pele, cabeça quente. Todo mundo querendo ganhar. Acaba alguns jogadores se exaltando um pouco, coisa que não pode acontecer, porque a gente sabe que prejudica o espetáculo, não dá exemplo para nossas crianças, mas são coisas que infelizmente acontecem. Futebol é paixão, futebol envolve muita emoção, é muita responsabilidade. Esse clássico vale muita coisa. Então todo mundo quer ganhar e, às vezes, isso acaba acontecendo."

Sem titubear, o experiente lateral apontou quem iniciou toda a grande confusão. Para ele, o responsável foi Moisés, jogador colorado que entrou durante o intervalo.

"Começou no lance do Moisés. O Moisés entrou já no jogo um pouco acima do que se deve. É um cara muito gente boa, mas acabou ocasionando tudo isso. Às vezes uma irresponsabilidade ocasiona uma guerra, como aconteceu aqui."

No primeiro clássico porto-alegrense na história da Libertadores, quatro expulsões roubaram a cena: Edenilson, Moisés, Victor Cuesta e Bruno Praxedes foram excluídos do lado vermelho; Pepê, Luciano, Caio Henrique e Paulo Miranda pelo lado azul. Praxedes e Paulo Miranda foram expulsos no banco de reserva. Agora, todos esses desfalcam suas equipes na terceira rodada do Grupo E, quando o Inter joga em casa contra o América de Cali, e o Grêmio visita a Universidad Católica.

VAVEL Logo