Presidente do Flamengo revela conversas com CBF para estender temporada até janeiro de 2021
Foto: Alexandre Vidal / CRF

Ok, todos sabemos que a pandemia do novo coronavírus bagunçou o calendário do futebol mundial, inclusive o brasileiro, e os clubes precisam traçar uma nova realidade. Um dos prejudicados é o Flamengo, que ainda tem Copa do Brasil, Libertadores e o próprio Campeonato Brasileiro pela frente. Pensando nessa questão, o presidente rubro-negro, Rodolfo Landim, revelou que há uma conversa entre os clubes e a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para estender a temporada 2020 até 31 de janeiro de 2021.

Em live na FlaTV, Rodolfo Landim falou sobre a preocupação que os clubes têm a respeito da pausa, que ainda não tem data para ser finalizada.

"A preocupação é muito grande. Tivemos que parar. Fizemos reuniões com outros presidentes, colocamos esse aspecto como o principal ponto. Convergimos sobre as férias dos atletas até o dia 20 de abril, quando vamos reavaliar para ver se pelo menos poderemos colocar para treinar. Expectativa é começar no início de maio, mas hoje já surgiram notícias de que a Conmebol vai precisar retardar mais por causa dos problemas de cruzar as fronteiras. Existem bloqueios. Vamos tentar terminar o Carioca e aguardar datas. Vai ser o desafio. Existe acordo com a CBF de que a prioridade é estender e terminar os campeonatos até o dia 31 de janeiro", disse o presidente flamenguista.

Por uma redução de datas para a realização da Série A, há a hipótese de que o Brasileirão seja disputado com apenas um turno e com oitos primeiros classificados para o mata-mata. 

"O Flamengo defende que o calendário seja mantido como está. Os pontos corridos já estão há muitos anos, foi assim que os clubes venderam os direitos de imagem. É uma receita importante. Queremos pontos corridos e sem afetar o número dos jogos. Sobre a adequação do calendário, isso causaria um efeito brutal econômico nos clubes. Significa que a gente estenderia o processo de auferimento de receita... ou seja, as receitas de bilheteria e televisão seriam empurradas para o próximo ano. Isso tem um efeito enorme. Temos que honrar com nossas folhas de pagamento. Seria desastroso para todos os clubes do Brasil", explicou Landim.

Presidente do Flamengo ainda abordou outros assuntos durante a entrevista no canal do clube:

Contas do clube

"Tivemos um ano bom, com uma receita grande, além do esperado, até por causa das premiações. Boa parte foi devolvida para o departamento técnico e jogadores, que foi a nossa filosofia. O bom desempenho refletiu também na bilheteria. Esportivamente foi um grande ano. Tudo isso está resumido no balanço. Vale a pena dar uma lida."

"Vamos sofrer impacto esse ano por causa da pandemia. O mundo vai sofrer. As pessoas vão passar por dificuldades, já temos visto o nível de endividamento pessoal. As empresas também vão passar por dificuldades. Mas tudo vai depender do período de paralisação. Devemos tentar voltar o mais rápido possível para as atividades. Se for pequena e encaixarmos as datas todos os campeonatos, o impacto vai ser menor. Mas que vai haver impacto, não há dúvida. Estamos traçando alternativas."

Salário integral durante pausa?

"O Flamengo honra os seus compromissos, paga em dia. Essa é expectativa que temos, e queremos manter isso. Traçamos cenários, os mais diversos possíveis, para tentarmos manter isso. Mas não controlamos os cenários. Uma paralisação extremamente longa, nenhum clube teria condições de manter o pagamento integral de todos os seus jogadores. Seria totalmente impossível."

Patrocínio master

"Não posso falar desse assunto aqui. Estamos em fase de negociação. Quando e se tiver algum contrato com patrocinador, vamos nos pronunciar. Enquanto isso, a imprensa trabalha eficientemente, mas isso de forma nenhuma é oficial."

VAVEL Logo