Campeonato Paulista: as decepções da temporada
Foto: Divulgação/Agência Corinthians

O Campeonato Paulista, um dos principais estaduais do Brasil, está parado por conta da pandemia do coronavírus desde o mês de março, tendo seu último jogo disputado no dia 16. A partida foi entre Guarani e Ponte Preta, onde o Bugre bateu o rival por 3 a 2. Desde então o campeonato teve seus jogos adiados e não conta com uma previsão de retorno às atividades.

Com a parada, o Paulistão viu 10 rodadas serem concluídas, dando um panorama de como terminaria a classificação final da competição. Com toda certeza mudanças poderiam acontecer, mas no fim de 10 rodadas, a maioria dos times já sabe onde pode chegar o pelo que devem brigar.

Considerando esses fatores, a VAVEL Brasil elencou os três times que decepcionaram na competição, levando em conta o ano anterior, reforços e até o peso da camisa em alguns casos. Botafogo-SP, Corinthians e Ponte Preta foram os que mostraram um desempenho abaixo do esperado.

Botafogo-SP – muitas mudanças no elenco

Foto: Divulgação/Agência Botafogo
Foto: Divulgação/Agência Botafogo

O Botafogo, apesar de não possuir nenhum título da elite do Paulistão, sempre chega com nome e força para a competição, dando trabalho para os considerados grandes clubes do estado de São Paulo.

No Paulistão de 2019, o clube também não fez uma grande campanha: amargou o quarto lugar no grupo D, com 11 pontos. Grupo esse que contava com Ituano, São Paulo e Oeste. O clube por pouco não foi rebaixado. Naquele ano quem caiu foram São Bento e São Caetano.

Na série B do Brasileirão, uma campanha consistente. Em 38 partidas foram 13 vitórias, 11 empates e 14 derrotas, com 38 gols marcados e 38 sofridos. O nono lugar ficou de acordo com a campanha.

Na virada de 2019 para 2020, o Botafogo teve muitas saídas e chegadas, o que resultou em uma reformulação em seu elenco. Foram 15 chegadas e 14 saídas. Entre esses jogadores de destaque, como Lucas Mendes, Felipe Saraiva e Bruno Moraes.

Isso resultou em um campeonato inconsistente do Botafogo, somando apenas oito pontos em 10 jogos no grupo B, com duas vitórias, dois empates e seis derrotas. Forma sete gols marcados e 21 (!) sofridos. São 2,1 gols sofridos por jogo. Essa campanha, caso fosse declarado o fim do Paulistão, rebaixaria o clube que um dia foi casa de Sócrates e Raí.

Ponte Preta – um nome grande do interior na lanterna

Foto: Divulgação/Ponte Preta
Foto: Divulgação/Ponte Preta

Como funciona o Paulistão? Os 16 times participantes são divididos em quatro grupos com quatro times. Cada grupo possui um grande clube como cabeça de chave e os outros times são sorteados.

Para fins de rebaixamento, os times são colocados de acordo com sua pontuação todos juntos, onde os dois últimos caem para a Série A2. Atualmente a Ponte soma sete pontos, sendo a lanterna da competição.

No Paulistão 2019, a Ponte Preta fez uma campanha para se classificar. No grupo, A, a Macaca somou 19 pontos, ficando em terceiro lugar, atrás do Red Bull Brasil, que somou 27, e do Santos, que somou 23. Para comparar: no grupo C a Ponte passaria em segundo, na frente da Ferroviária, que somou 18. No grupo D, primeiro lugar, na frente de Ituano e São Paulo, que somaram 17 e 15 respectivamente.

Já no Brasileirão, a campanha foi consistente, mas mediana para um clube que almeja chegar na primeira divisão. Com 47 pontos, a Ponte venceu 11, empatou 14 e perdeu 13 dos seus 38 jogos. Foram 41 gols marcados e 39 sofridos.

Para 2020, a Ponte seguiu o Botafogo e também teve muitas chegadas e saídas em seu elenco. A diferença entre ambos é que a Ponte teve chegadas de nome, como Safira, conhecido por uma boa passagem pelo Londrina, Bruno Rodrigues, ex-Athletico e Yuri, ex-Botafogo, além de Cleber, que estava no Santos, por empréstimo.

Alguns nomes de destaque também saíram, como Renato Cajá, Araos e Reginaldo, que voltou ao Fluminense. Ao todo foram 15 chegadas e 20 saídas.

Mesmo com muitas mudanças, se espera mais da Macaca. Um clube que já foi finalista da competição não deve amargar a possibilidade de se rebaixado na competição. Hoje a Ponte precisaria vencer os um dos dois jogos que restam e torcer para que Botafogo-Sp e Ituano não vencessem pelo menos um dos jogos.

Corinthians – atual campeão e quase sem chance de se classificar

Foto: Divulgação/Agência Corinthians
Foto: Divulgação/Agência Corinthians

Detentor do título do Paulistão 2019, o Timão chegou como um dos favoritos para a competição. Com reforços de peso e um novo técnico, que busca um jogo com mais posse de bola, o alvinegro esperava uma boa campanha na competição, mas não foi isso que o estadual reservou ao Timão.

Em 2019 o Corinthians somou 21 pontos na fase de grupos, tendo assim a quarta melhor campanha da competição, atrás apenas de Red Bull, Palmeiras e Santos. Nas quartas de final, dois empates em 1 a 1 e o Corinthians passou pela Ferroviária nas penalidades.

Nas semis, uma vitória por 2 a 1 e uma derrota por 1 a 0 levaram o jogo para as penalidades mais uma vez. E deu Timão contra o Santos. Na final frente ao São Paulo, um 0 a 0 e uma vitória por 2 a 1 deram a taça ao alvinegro.

No Brasileirão, uma campanha segura. 56 pontos e a oitava colocação levaram o alvinegro à Libertadores. Com 14 vitórias, 14 empates e 10 derrotas o Timão fez seus 38 jogos marcando 42 gols e sofrendo 34.

Para 2019, a expectativa era alta. Tiago Nunes chegou para comandar o alvinegro. Junto com o novo técnico, jogadores como Luan e Cantillo foram contratados para dar corpo e qualidade ao time. Muitos saíram, como Júnior Urso, Sornoza, Clayson e Ralf. Ao todo foram 31 saídas, entre jogadores de nome, atletas já emprestados e jogadores da base.

Mas, mesmo com tantos pontos positivos, a situação não andou. Fora o Paulistão, o Timão caiu na pré-Libertadores, para o Guaraní-PAR, após perder o primeiro jogo por 1 a 0 e vencer o segundo por 2 a 1. Isso escancarou a situação incomoda que o clube vivia.

No estadual, houve até um momento de flerte com o rebaixamento, mas essa situação hoje depende de muitos encaixes de resultados ruins para o Corinthians, que já não corre mais riscos reais. Buscar a classificação que se tornou difícil. Restam duas rodadas e o alvinegro está cinco pontos atrás do Guarani e seis atrás do Bragantino.

Para ir à próxima fase, o alvinegro teria de vencer seus dois jogos e torcer contra o Bugre nos dois restantes, para assim chegar às quartas de final, considerando que o próximo jogo seria o dérbi frente ao Palmeiras.

O atual campeão decepciona, pois se esperava uma melhora com relação ao 2019 do time. Se esperava uma apresentação melhor de futebol em campo e resultados melhores, não um risco de ficar de fora do mata-mata do estadual.

VAVEL Logo