Rodolfo Landim espera início do Brasileirão até agosto com término em 2021
Foto: Divulgação/CR Flamengo

Em entrevista à "CNN Brasil", o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, falou sobre suas expectativas  para a volta do Campeonato Brasileiro. O presidente falou sobre suas expectativas para o retorno do futebol e destacou os cuidados do Rubro-Negro para a prevenção do coronavírus.

Baseado em conversas com a CBF, o mandatário rubro-negro acredita no recomeço no final de julho ou, no máximo, no início de agosto e com duração até janeiro de 2021.

"Em relação ao calendário, é claro que temos um desafio grande pois o ano só tem 365 dias. Já tínhamos todas competições e as paralisamos. Essa é uma das razões pelas quais aqui no Rio de Janeiro tentamos dar esse passo, claro que ouvindo as autoridades, para começar o campeonato o mais cedo possível. A gente espera que final de julho, no mais tardar em agosto, possamos começar o Campeonato Brasileiro. A expectativa que se tem, de acordo com as últimas conversas com a CBF, é que o calendário deste ano deve se estender até o final de janeiro, pelo menos, para terminar todas competições da forma como foram idealizadas." 

Com relação às competições continentais, Landim crê em uma dificuldade maior para a volta da Libertadores e da Sul-Americana, por conta das medidas tomadas por cada país.

"Terá que ter um reajuste com a Conmebol, com a Libertadores e a Sul-Americana. Ainda existe uma indefinição maior pois envolve questão das fronteiras, que precisam estar com as mesmas abertas."

O presidente rubro-negro reafirmou os protocolos de seguranças elaborados e implementados pelo departamento médico do clube, no Ninho do Urubu. Rodolfo Landim destacou que desde o retorno das suas atividades, não foram registrados novos casos de coronavírus no clube.

"Desde a paralisação do campeonato, começamos a pensar como seria a volta. Colocamos todos nossos técnicos para discutir e ouvir o que estava sendo implementado na Europa, convidamos clubes para a discussão liderada pela Ferj, com a presença de infectologistas, virologistas, todos médicos, criamos um protocolo super seguro. O Flamengo foi pioneiro, chamamos os atletas para testar há um mês e meio. Cerca de 15, 18% das pessoas estavam infectadas. O que notamos é que tivemos 9 jogadores infectados naquele momento, testamos também o núcleo familiar e isolamos aqueles infectados, e controlamos eles por testes. Desde então, mais nenhum foi infectado. O que está dando certo nos outros lugares do mundo é testar e isolar as pessoas. Entendemos que estamos prestando um enorme serviço a sociedade. Assim que é identificado nos avisamos aos órgãos. O saúde é mais amplo à ausência da doença, tem o aspecto psicológico da doença. São jogadores de alto nível, que precisam voltar a treinar, porque precisam do corpo deles para jogar. Tudo foi feito com enorme segurança e ficamos felizes de poder voltar, com o primeiro jogo do futebol brasileiro, no último dia 18."

Até o momento, foram registrados 96.133 casos e 8.875 mortes de Covid-19 no Rio de Janeiro.

VAVEL Logo