Raí e Alexandre Pássaro criticam São Paulo, mas garantem Fernando Diniz no cargo
Raí e Alexandre Pássaro falaram sobre eliminação tricolor (SPFCTV/Reprodução)

A repercussão da eliminação do São Paulo no Campeonato Paulista 2020 foi intensa nos bastidores tricolores. Tanto que dois diretores usaram palavras fortes em entrevista à SPFCTV. Raí, diretor de futebol, e Alexandre Pássaro, executivo de futebol, fizeram uma série de críticas à exibição.

Raí destacou a dor sentida por conta da eliminação, alem de inesperada.

"Toda desclassificação é dolorida, muito dolorida, principalmente quando a gente pensa também na torcida. Essa eu diria que é a mais inesperada, primeiro pelo nível em que o time estava antes da parada, e também pelas dificuldades que a parada trouxe para o Mirassol. A mais inesperada, a que surpreende mais, também tende a ser a mais dolorida", afirmou.

Alexandre Pássaro foi mais contundente: "A decepção é gigantesca, é um resultado que nem nos piores pesadelos a gente esperava. Com todo o respeito ao Mirassol, o São Paulo não pode perder para o Mirassol, ainda mais nas condições, na diferença de elenco que existe entre as duas equipes. Foi um verdadeiro fiasco, o que nos causa uma revolta gigantesca, a gente tem certeza que também na torcida", comentou.

Fernando Diniz

Alexandre Pássaro foi quem explicou a situação do técnico tricolor, que segue à frente da equipe.

"Pelos mesmos motivos que o trabalho era bom e deveria seguir há seis dias, antes do jogo contra o Bragantino. O trabalho continuou muito bom, dia a dia, resultado é outra coisa, que a gente tem de buscar melhorar. Mas perdemos dentro de campo, não perdeu na área técnica, nos treinos, na condição física ou na estratégia desde que voltamos. A gente perdeu dentro de campo, nos 90 minutos. Uma decisão ou outra diferente do Diniz poderia ter ajudado um pouco mais ou um pouco menos. Mas faltaram outras coisas que vêm de dentro de campo para que a gente pudesse ganhar esse jogo do Mirassol", finalizou.

VAVEL Logo