À base da superação, CSA 'estaciona ônibus' e vence Guarani na estreia da Serie B
Foto: Augusto Oliveira/CSA

Foi uma semana complicada demais ao CSA. O time perdeu o Campeonato Alagoano ao arquirrival CRB e viu o sonho do tricampeonato ir ao espaço. Como consequência da derrota, uma possível lista de dispensa foi divulgada, rumores de grandes mudanças e até afastamento de presidente. Às vésperas do jogo, nove jogadores diagnosticados com o novo coronavírus, outros atletas com medo de serem contaminados, outros com dores de cabeça e febre, mas com testes negativados e ainda tinha integrantes do elenco que foram chamados às pressas para compor o grupo para estrear no Campeonato Brasileiro da Série B 2020.

Diante de todo esse panorama, além de dois pedidos de adiamento negados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o Azulão entrou em campo na noite deste sábado (8) para enfrentar o Guarani no Estádio Rei Pelé, em Maceió/AL. Foi um sufoco tremendo, um ataque contra defesa visto durante a maior parte do jogo, mas, apesar de todos os contratempos, problemas e infortúnios, os alagoanos levaram a melhor. Com gol de Geovane, que não jogava há tempos e bastante contratado desde sua chegada no início do ano, o CSA venceu por 1 a 0.

CSA abre vantagem e começa o recuo

Com a escalação toda remendada, apesar de não haver improvisações, o CSA começou a partida pronto para disputar um jogo bem equilibrado contra o Guarani, ciente do poder de fogo dos paulistas. A primeira chance foi do time campineiro aos 12 minutos. Lucas Crispim aproveitou erro de Alan Costa na saída de bola, avançou e bateu cruzado. O chute tirou tinta da trave. A resposta azulina foi fatal e decisiva. Em cobrança de falta na intermediária, Renatinho cobrou em direção à área, Alan Costa rolou ao meio da área e Geovane encheu o pé para abrir o placar aos 16 minutos.

Nos 70 minutos seguintes, os ataques foram praticamente todos verdes. Com o objetivo alcançado de sair na frente do placar, o grupo azulino começou a recuar, ciente do condicionamento físico lá embaixo. O Guarani usou o setor de ataque composto por quatro atacantes para pressionar de todas as formas. Waguininho teve a primeira chance ao driblar Caio Felipe, entrar na área e chutar cruzado. Júnior Todinho se esticou, mas não completou. Era blitz ofensiva e orações defensivas. Bidu também teve oportunidade quando arriscou de fora da área, a bola bateu em Alan Costa e foi no lado de fora da rede.

Domínio do Guarani, mas vitória é azul

Com muitas faltas e, consequentemente, muitos cartões amarelos, o jogo foi muito picotado no começo do segundo tempo. Na medida em que as substituições começaram a ser feitas e outros jogadores apresentavam extremos sinais de cansaço, os espaços apareceram. O Guarani se beneficiou disso para buscar o empate. Em cobrança de falta, Bidu mandou a bola no travessão. Lucas Crispim também aproveitou o lance de bola parada para levar perigo e o goleiro Thiago Rodrigues começou a se destacar.

Na reta final, o 4-3-3 do CSA virou praticamente um 6-2-2. Eram quatro zagueiros, dois laterais, dois volantes e dois atacantes próximos da nulidade. O ônibus estacionado em frente ao gol defendido por Thiago Rodrigues ficou ainda mais robusto. Para o Azulão, pouco importava o desempenho e estilo de jogo, o importante era garantir os três pontos de qualquer maneira. Do outro lado, o técnico Thiago Carpini apostou em sangue novo no setor de ataque, com mudanças para aumentar a ferocidade dos lances.

O Bugre pressionou, tentou de todo o jeito, alcançou quase 75% de posse de bola, mas não teve jeito. Ou a zaga tirava, ou a pontaria falhava, ou existia Thiago Rodrigues pronto para fazer milagres. Na última tentativa, Bidu cruzou, Júnior Todinho subiu e cabeceou para baixo, mas a bola teimou em não entrar. Não era dia de pressão, era de superação e alívio. Melhor ao CSA.

Sequência

A preocupação se estende aos dois clubes por causa dos possíveis casos de coronavírus que podem aparecer nos elencos. Por enquanto, há a torcida para que não haja nenhuma situação complicada a ambos e a recuperação pronta dos jogadores azulinos. Na segunda rodada da Série B, o Guarani vai receber o Cruzeiro às 20h30 da próxima terça-feira (11), no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas/SP. Por sua vez, o CSA vai entrar em campo (sabe-se lá em quais condições) às 16h30 da quarta-feira (12) para enfrentar a Chapecoense na Arena Condá, em Chapecó/SC.

Ficha técnica CSA 1-0 Guarani

Estádio Rei Pelé, o Trapichão, em Maceió/AL – Campeonato Brasileiro da Série B 2020, rodada #1

CSA – Thiago Rodrigues; Caio Felipe, Alan Costa, Luciano Castán e Rafinha; Richard Franco e Geovane; Nadson (Willian Rocha, min. 66), Renatinho (Netto, min. 46) (Lucas Dias, min. 83) e Rafael Bilu (Allano, min. 70); Diego Maurício (Alecsandro, min. 46). Técnico: Eduardo Baptista.

Guarani – Jefferson Paulino; Pablo, Wálber, Bruno Silva e Bidu; Deivid (Elias Carioca, min. 81), Arthur Rezende (Renanzinho, min. 90+1) e Lucas Crispim; Bruno Sávio (Rafael Costa, min. 59), Júnior Todinho e Waguininho. Técnico: Thiago Carpini.

Gols – Geovane (CSA, min. 16)

Arbitragem – Marco Aurélio Augusto Fazekas Ferreira (CBF/MG), auxiliado por Marcus Vinícius Gomes (CBF/MG) e por Leonardo Henrique Pereira (CBF/MG), com Hélder Brasileiro de Aquino (CBF/AL) como quarto árbitro.

Cartões amarelos – Bruno Sávio (GUA, min. 22), Waguininho (GUA, min. 45+2), Arthur Rezende (GUA, min. 48), Luciano Castán (CSA, min. 50), Alecsandro (CSA, min. 54), Thiago Fernandes (CSA, min. 78), Richard Franco (CSA, min. 79), Caio Felipe (CSA, min. 86)

VAVEL Logo