Erros individuais e postura conservadora do treinador determinam derrota do Confiança
Foto: Divulgação / Botafogo S/A

Na partida desta terça (11), o Confiança foi até Ribeirão Preto enfrentar o Botafogo-SP em partida válida pela segunda rodada do Brasileirão da Série B 2020. O Dragão do Bairro Industrial fez partida fraca e acabou derrotado por 2 a 0. Alguns fatores táticos e falhas individuais foram determinantes para o resultado final.

Erros, ausências e tática pouco eficaz

A opção de Matheus Costa em iniciar o jogo apenas com Reis como jogador de velocidade, com Danilo Pires também jogando pelos lados mas sem ter velocidade para acelerar o jogo, deixaram a transição lenta e com pouca criatividade. Além disso, Ronald deitou e rolou para cima de Dudu no lado esquerdo de ataque e o treinador pouco fez para corrigir o problema.

Outra questão importante e que atrapalhou demais o time azulino, foram as falhas individuais. Os jogadores abusaram dos erros, inclusive os dois gols surgiram com esses vacilos. Primeiro Ronald aproveitou falha de Matheus Mancini, driblou o defensor e na finalização contou com outro erro, dessa vez de Rafael Santos, que até tocou na bola, mas falhou na execução da defesa. No segundo tempo o próprio Ronald aproveitou erro na saída de bola do Confiança depois que Matheus Mancini tocou na fogueira para Jeferson Lima.

A pouca criatividade do meio-campo trás outra dor de cabeça ao técnico Matheus Costa. Geralmente o time azulino entra em campo com dois volantes, Amaral e Jeferson Lima, com Ítalo Melo articulando as jogadas. Mas o desempenho bem abaixo do camisa 10, que foi escolhido o melhor jogador da equipe no ano passado, tem feito com que o centroavante Mikael seja pouco municiado. Contra o Botafogo-SP, por exemplo, o camisa nove não teve se quer uma oportunidade de finalização.

Além dessas questões, a ausência de dois jogadores importantes defensivamente também foram determinantes. Primeiro, o zagueiro Nirley, que é o pilar do miolo de zaga, segundo o lateral direito Thiago Ennes, que vem sendo um dos principais jogadores do time no ano. Marcelinho não conseguiu ir bem em nenhum dos dois jogos até aqui na Série B, e Luan não dá a mesma segurança que o xerifão da zaga azulina.

Outro fator preocupante para o torcedor do time sergipano fica por conta do rendimento ter caído bruscamente após a saída de Daniel Paulista do comando. A boa campanha na Copa do Nordeste até animou o torcedor, mas analisando mais a fundo era bem clara a queda, a equipe proletária sofria para marcar gols e apostava em marcação forte e quase nenhuma criatividade para vencer partidas nas penalidades. 

Para perceber a mudança basta analisar os resultados. Na Copa do Nordeste, após a troca de comando, o Dragão foi derrotado por Bahia e CRB por 1 a 0, empatou com o Sport por 1 a 1, empatou com o Santa Cruz por 0 a 0 e perdeu para o Bahia por 1 a 0. Apenas um gol marcado em cinco jogos. Desempenho muito fraco ofensivamente.

Falando de campeonato de tiro curto, como são chamados os torneios de mata-mata, onde na teoria o time entra como azarão, a estratégia de priorizar a defesa para tentar algo diferente nas penalidades é eficaz, mas se tratando de um campeonato de pontos corridos com 38 rodadas, é uma estratégia bastante arriscada. 

Agora o Confiança volta suas atenções para o Campeonato Sergipano. O time azulino entrará em campo na sexta (14), às 17h45, para enfrentar o seu maior rival, o Sergipe, em partida que deve definir o título da competição.

VAVEL Logo