Fortaleza
e Botafogo fazem jogo equilibrado, mas pecam em último passe e finalizações
Foto: Divulgação/CBF

Fortaleza e Botafogo ficaram no 0 a 0 neste domingo (16) em jogo válido pela terceira rodada do Brasileirão 2020. A bola rolou na Arena Castelão e não foi muito bem conduzida por nenhum time ao ponto de movimentar o placar. E com erros táticos, a a rede ficou parada no Nordeste.

O Leão vinha de duas derrotas nas duas primeiras rodadas e de quatro jogos sem marcar. Portanto, encarava o confronto em casa como uma possibilidade de recuperação neste início de campeonato. E acreditava no primeiro resultado positivo, pois a equipe havia demonstrado evolução em campo da primeira para a segunda partida, na qual vendeu caro a derrota para o São Paulo.

Já o Glorioso também buscava sua primeira vitória na competição, mas em sua segunda partida. Na anterior, conseguiu um ponto fora de casa, empatando com o Bragantino. Para encarar o Fortaleza, precisava ajustar a compactação, problema nítido contra a equipe paulista.

Estratégias

Precisando dar fim ao jejum de gols, Rogério Ceni promoveu alterações na equipe, principalmente no ataque, mas não com a esperada entrada de Wellington Paulista, optando por um 4-4-2 sem um centroavante. Juan Quintero e Paulão formaram a dupla de zaga, enquanto Gabriel Dias e Carlinhos, mais participativo no ataque, cuidaram das laterais. No meio-campo, Felipe e Juninho compuseram a dupla de volantes. Mais à frente, David era responsável pela velocidade na direita, e Romarinho, pela construção das jogadas mais centralizado. E, no ataque, Osvaldo aparecia pela esquerda, e Édson Cariús, na área.

Paulo Autuori optou por apenas uma modificação em relação ao jogo anterior: a entrada do lateral Guilherme no lugar de Rhuan na ponta-esquerda, enquanto Luiz Fernando começou no banco. O esquema também foi, na prática, o 4-4-2. A zaga contou com Marcelo Benevenuto e Kanu. Nas laterais, Barrandeguy e Victor Luis, mais ofensivo. Caio Alexandre e Honda Willian formaram a dupla de volantes cuidando do primeiro combate e do início das criações ofensivas.

À frente, Luis Henrique e Guilherme ficaram nas pontas proporcionando velocidade. Bruno Nazário, responsável pelo último passe e finalizações, e Matheus Babi, de centroavante, ocuparam o ataque.

Botafogo melhora compactação, mas equipes pecam no setor ofensivo

A primeira etapa começou com o time da casa tentando se impor. Com marcação alta e o goleiro Felipe Alves saindo da área para participar do passe, o Fortaleza iniciou melhor nos primeiros minutos, enquanto o Botafogo só marcava a partir do campo de defesa e apostava nas roubadas de bola.

Caio Alexandre e Honda, diferentemente do jogo anterior, chegavam mais perto da área, participando da construção. Guilherme também passou a ser bem acionado e a fazer o corredor pela esquerda. Foi quando o Botafogo começou a ter certo domínio, rodando a bola com paciência até chegar na área adversária.

Pelo Leão, Juninho aparecia mais como segundo volante que como meia, e o atacante Romarinho mais recuado e centralizado, construindo e finalizando. Já Osvaldo tinha participação muito discreta atacando pela esquerda. Quanto ao Botafogo, chamou atenção o posicionamento de Bruno Nazário, jogando ao lado de Matheus Babi a maior parte do tempo. Já no fim da etapa inicial, o Fortaleza retomou a posse de bola e conseguiu trabalhar no campo de ataque.

O Glorioso iniciou o segundo tempo adiantando a marcação e tentando impor a superioridade de performance que teve no primeiro. Mas não demorou para a equipe mandante voltar a ficar com a bola, no ritmo de quando foi para o intervalo.

Ainda aos 15 minutos, Ceni promoveu as entradas de Wellington Paulista e Yuri César nos lugares de Édson Cariús e Osvaldo respectivamente. Enquanto o primeiro substituto demorou a ver a cor da bola, o segundo entrou bem, enfiando bolas na área e movimentando o ataque.

No Botafogo, Luis Henrique cansou na marcação pela direita, o que resultou em um corredor para o Leão explorar, e foi o que Carlinhos fez. Além disso, a equipe alvinegra voltou com a linha de marcação baixa, chamando ainda mais o Fortaleza para o seu campo.

Autuori, então, percebeu o corredor e promoveu a entrada de Luiz Fernando na ponta direita no lugar de Caio Alexandre. Com isso, Luis Henrique pôde voltar para a esquerda, onde fica mais à vontade. Victor Luis passou a jogar centralizado e puxando os contra-ataques.

Aos 39 minutos, o Leão teve um gol anulado por impedimento, não interrompendo a saga do time no ataque, com ausência de gols. Ceni tentou mais alterações com Romarinho e Carlinhos dando lugar a Mariano Vázquez e Bruno Melo. Do outro lado, Luis Henrique e Honda saíram para as entradas de Rhuan e Luiz Otávio. No entanto, desta vez, substituições que não surtiram efeito, e as equipes não fugiram do 0 a 0.

Classificação e próximos compromissos

Com mais um jogo sem fazer gol e o empate em casa, o Fortaleza ficou na vice-lanterna do Campeonato Brasileiro com um ponto. O próximo compromisso do Leão é fora de casa contra o Goiás na próxima quarta-feira (19) às 20h30.  

Já o Botafogo, somando mais um ponto fora de casa, ocupa agora a 14ª colocação com dois pontos. O Glorioso volta a campo também na quarta-feira (19) às 21h30, quando recebe o Atlético-MG.

VAVEL Logo